Guiné Equatorial torna-se membro de pleno direito da CPLP

por Florbela Godinho

Foto: Paulo Novais, Lusa

Foi selada esta quarta-feira a entrada da Guiné Equatorial na Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Logo no início dos trabalhos da cimeira de Díli, o Presidente daquele país africano, Teodoro Obiang, foi chamado à tribuna de líderes. O momento - insólito - foi sublinhado com o aplauso da maioria dos presentes.

Fonte da delegação portuguesa à cimeira da CPLP, citada pela agência Lusa, deu conta de "um consenso generalizado" para a adesão da Guiné Equatorial. Mas falou também de um "debate intenso" suscitado por Portugal. Esta discussão deixou assente que o Presidente Teodoro Obiang terá agora de explicitar os passos já dados para preencher as condições de entrada na organização.

A decisão foi adotada durante uma sessão restrita da X Cimeira da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, sem a participação da Guiné Equatorial. De acordo com a mesma fonte portuguesa, Cavaco Silva sublinhou naquela sessão os princípios fundadores da CPLP e lembrou o roteiro fixado para a adesão da Guiné Equatorial.

O processo definido pela CPLP incluía o fim da pena de morte e medidas de promoção do uso do Português. Isto num país onde a língua mais falada é o Castelhano. O controverso regime de Obiang prometeu implementar uma moratória sobre a pena capital.

c/ Carlos Santos Neves
pub