Ilha italiana de Ischia atingida por sismo

| Mundo

|

O abalo, de 3,6 de magnitude na escala de Richter, provocou a derrocada de vários edifícios, incluindo uma igreja. Há registo de pelo menos uma vítima mortal.

O abalo deu-se às 20h57 (19h57 GMT) tendo o epicentro sido localizado no mar perto do farol de Punta Imperatore, a dez quilómetros de profundidade.

As consequências mais graves registaram-se em Casamicciola, na zona norte da ilha, com a queda de edifícios e vastas zonas sem acesso a eletricidade. 


Foi precisamente aqui que se registou a morte de uma mulher, sepultada pelos escombros de uma igreja. Há ainda vários desaparecidos, já que os edifícios colapsados estavam habitados. Receia-se que haja pelo menos dez pessoas sob os destroços.



Há relatos de vários feridos, 25 de acordo com o jornal Corriere della Sera. O único hospital da ilha foi afetado pelo sismo e teve de ser evacuado. 

Ischia fica ao largo da costa de Nápoles e é um ponto turístico sobretudo no pico do verão. A chanceler alemã, Angela Merkel, é presença frequente na ilha.

Residentes e turistas correram para a rua mal se sentiu o abalo ao início da noite. Imagens de televisão mostraram pelo menos seis edifícios e uma igreja em ruínas em Casamicciola. 

Os restaurantes da ilha estavam repletos e muitas lojas estavam também abertas ao início da noite, quando se sentiu um barulho surdo com o abalo, relatam várias testemunhas na rede social Twitter. 
Outros abalos ao longo do dia
De acordo com a agência italiana de notícias Ansa, registaram-se pequenos terramotos ao longo do dia noutras zonas de Itália.

O mais forte deles, de magnitude 2.9 na escala Richter, na província de Perúgia, capital da Úmbria, centro da península italiana. a mesma área que tem sofrido com vários sismos desde 24 de agosto de 2016.

Também na Itália Central, em Arquata del Tronto, cidade que teve um distrito devastado peloabalo de um ano atrás, foi registado um sismo de 2.3 às 5h37 (hora local). Mais para o norte, moradores da região metropolitana de Florença, na Toscana, assustaram-se de madrugada com um terramoto de 2.3.

A ocorrência de sismos é frequente em Itália, país situado sobre as placas tectónicas eurasiática e africana, que se chocam constantemente.

Essa intensa atividade sísmica está a provocar uma sequência no centro da península que já dura há um ano e que deixou pelo menos 333 mortos, além de ter causado danos calculados em mais de 20 mil milhões de euros.

O novo sismo acontece quando o país se prepara para assinalar, na próxima quinta-feira, o primeiro aniversário do abalo que fez 299 mortos em Amatrice e nas comunas vizinhas, no centro do país. 

A ilha de Ischia, afetada esta segunda-feira pelo terramoto, foi visada por um grande sismo a 28 de julho de 1883. Na altura, o abalo fez mais de dois mil mortos, deixando destruída a cidade de Casamicciola.

Tópicos:

Ilha, Sismo, Itália,

A informação mais vista

+ Em Foco

No 20.º aniversário da Exposição Universal sobre os Oceanos, a Antena 1 e a RTP estiveram à conversa com alguns dos protagonistas do evento.

    Um dos mais conceituados politólogos sul-coreanos revelou à RTP o modo de pensar e agir de Pyongyang.

    Portugal foi oficialmente um país neutro na 2ª guerra Mundial. Mas isso não impediu que quase mil portugueses tivessem sido deportados, feitos prisioneiros ou escravos pelos nazis.

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.