Irão e Estados Unidos estiveram em contacto através de canal diplomático suíço

por RTP
Kevin Lamarque - Reuters

O Ministério suíço dos Negócios Estrangeiros relevou esta quarta-feira que Teerão e Washington trocaram mensagens através de um canal diplomático suíço. A informação é avançada pela CNN horas depois da declaração de Donald Trump na resposta aos ataques contra bases aéreas norte-americanas no Iraque. O Presidente dos Estados Unidos afirmou que o Irão "parecia estar a recuar", sem especificar em que contornos.

De acordo com a CNN, os dois países trocaram mensagens através de um canal diplomático suíço. Não se conhece o conteúdo destas mensagens nem quando o contacto ocorreu, mas a informação do MNE suíço surge depois das declarações de Donald Trump.

O Presidente norte-americano reagia esta tarde ao ataque da última madrugada contra as bases com tropas norte-americanas no Iraque. Donald Trump disse que o Irão "parecia estar a recuar" e apelou à negociação de um novo acordo sobre o programa nuclear.

"A Suíça está profundamente preocupada com a elevada tensão entre os Estados Unidos e o Irão e com o recente ciclo de confrontos violentos no Iraque. Convocamos todas as partes a exercerem o máximo de contenção e a evitarem novas escaladas. A Suíça está pronta para apoiar iniciativas da comunidade internacional que procuram a diminuição da violência na região", diz um comunicado do Ministério suíço dos Negócios Estrangeiros, citado pela CNN.

"O canal diplomático de comunicação entre os Estados Unidos e o Irão que tem sido disponibilizado pela Suíça (...) continua a operar. A Suíça confirma que várias mensagens foram transmitidas através deste canal", acrescenta a nota.

Há várias décadas que o Irão e os Estados Unidos não têm representações diplomáticas e recorrem a canais alternativos de comunicação. Por exemplo, no final de 2019, numa troca de prisioneiros, o canal diplomárico da Suíça foi decisivo, e antes da assinatura do acordo sobre o programa nuclear, em 2015, foi estabelecido um canal diplomático entre os dois países através de Omã.

A declaração de Donald Trump surge numa altura de elevada tensão, dias depois da morte do general iraniano Qassem Soleimani, na sequência de um ataque aéreo norte-americano. A resposta iraniana - com o ataque a duas bases no Iraque na última madrugada - acabou por não provocar baixas norte-americanas e iraquianas, de acordo com Donald Trump.

O Presidente norte-americano não descartou novas ações de retaliação, mas a resposta limita-se, pelo menos para já, à imposição de novas sanções contra Teerão.
Irão falhou alvos norte-americanos de propósito?
Enquanto Donald Trump se preparava para fazer a declaração ao país - o Presidente norte-americano falou mais de 30 minutos depois da hora prevista - a agência Reuters avançava que o Irão tinha falhado deliberadamente os alvos norte-americanos no ataque que ocorreu na madrugada.

De acordo com a agência internacional, que cita fontes norte-americanas e europeias anónimas, o Irão quis evitar baixas entre as tropas norte-americanas que estão destacadas em Erbil e Al-Asad, as duas bases que foram visadas pelo ataque.

O Irão terá então evitado atingir determinadas zonas das bases militares de forma a evitar a morte de soldados norte-americanos.

"Eles pretendiam responder, mas não queriam uma escalada", disse uma das fontes norte-americanas consultadas pela agência Reuters.

Não obstante estes avisos, as autoridades iraquianas condenaram o ataque e dizem que o país recusa ser "campo de batalha" entre Teerão e Estados Unidos, nos mesmo termos que tinham feito na passada sexta-feira, quando os EUA conduziram o ataque que matou Soleimani junto ao aeroporto internacional de Bagdade.

"Condenamos a violação iraniana da soberania iraquiana esta madrugada. Confirmamos a nossa rejeição absoluta a que as partes em conflito usem território iraquiano para ajustar contas", afirmou o presidente do Parlamento iraquiano.

Já o Ministério iraniano dos Negócios Estrangeiros destaca que o Iraque "é um Estado Independente e que a sua segurança interna é prioritária". Por isso mesmo, a diplomacia de Bagdade anunciou ter convocado o Embaixador iraniano naquele país.
Tópicos
pub