Lei húngara quer funcionários a trabalhar até mais 400 horas extra por ano

| Mundo
Lei húngara quer funcionários a trabalhar até mais 400 horas extra por ano

Marko Djurica - Reuters

Já foi batizada como “Lei dos escravos” e foi aprovada na semana passada na Hungria. Uma lei, contestada nas ruas, e que obriga os funcionários a trabalhar mais 400 horas extra por ano.

À frente da contestação está o partido MKKP, um partido que surgiu como uma anedota e usa a ironia e o humor para contestar as decisões do Governo.

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán, culpa o bilionário George Soros da Open Society Foundations de estar por trás deste movimento de contestação, mas a fundação já negou o envolvimento.

A informação mais vista

+ Em Foco

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam.

    Rosa Luxemburgo, "uma das melhores cabeças do socialismo internacional", foi assassinada há 100 anos.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.