Linha da Frente. A RTP com os militares portugueses na República Centro-Africana

| Mundo

|

São a Força de Reação Imediata das Nações Unidas, na República Centro Africana. O 6.º país mais pobre do mundo. A 3ª Força Nacional Destacada é composta por militares portugueses. Deviam ser o último recurso da Missão Multidimensional Integrada das Nações Unidas para a Estabilização da República Centro-Africana (MINUSCA), mas a instabilidade constante obriga a que estejam sempre na linha da frente para proteger civis dos grupos armados.

Os Seléka, de maioria muçulmana, e os Anti Balaka, de maioria cristã, disputam território desde 2013 num país rico em diamantes, ouro, petróleo, tem terra fértil e água em abundância.

O conflito tem subido de tom e nem os 12 mil capacetes azuis da ONU parecem conseguir estancar a violência que já obrigou mais de um milhão de pessoas a abandonar as suas casas.

Os jornalistas da RTP Sandra Claudino e Tiago Passos acompanharam a missão dos militares portugueses num país a beira de uma guerra civil.

Revelamos aqui algumas imagens em 360º de um dos vários momentos em que os jornalistas da RTP acompanharam a missão.


Vídeos com uma visão única dos desafios que os militares portugueses enfrentam todos os dias.

Tópicos:

Linha da Frente, Portugal, RTP, militares, República Centro Africana,

A informação mais vista

+ Em Foco

A revelação foi feita durante uma entrevista exclusiva à RTP à margem da cimeira de CPLP, que decorreu esta semana em Cabo Verde.

Em entrevista à RTP, Graça Machel revela que o grande segredo de Nelson Mandela era fazer sentir a cada pessoa com quem falava que era a mais importante.

O economista guineense Carlos Lopes, em entrevista à RTP, considera que a Europa tem discutido as migrações e outras questões africanas, sem consultar os africanos.

    Apesar da legislação contra estas situações, os Estados Unidos são dos países que mais importam produtos em risco de serem produzidos através de trabalhos forçados.