Mãe de Navalny diz ter sido vítima de "chantagem" para enterrar o filho "secretamente"

por Mariana Ribeiro Soares - RTP
Canal de Youtube de Alexei Navalny via Reuters

A mãe de Alexei Navalny acusou esta quinta-feira as autoridades russas de a terem "chantageado", afirmando que a tentaram forçar a realizar uma cerimónia fúnebre "secreta", sem enlutados. Lyudmila Navalnaya anunciou ainda que já teve acesso ao corpo do filho e à certidão de óbito, que indica que o líder da oposição russa morreu de causas naturais.

“Eles estão a chantagear-me, a dizer-me onde, quando e como Alexei deveria ser enterrado”, diz a mãe do opositor russo num vídeo publicado no YouTube.

No vídeo, Navalnaya diz que as autoridades russas a “ameaçaram” a concordar com um funeral “secreto”, caso contrário “fariam algo com o corpo” de Navalny.

"Eles querem que isso [funeral] seja feito em segredo, sem despedida. Eles querem que eu vá ao cemitério, para uma sepultura recente e diga: aqui jaz o meu filho. Não concordo com isso", diz Lyudmila no vídeo partilhado no YouTube.

“Eu não quero condições especiais. Só quero que tudo seja feito de acordo com a lei”, pede Lyudmila, exigindo que o corpo do filho lhe seja entregue “imediatamente”.
Morte por "causas naturais"
Navalnaya diz ainda ter sido levada “secretamente” à morgue na cidade russa de Salekhard, na quarta-feira, onde teve acesso ao corpo de Navalny. A mãe do opositor russo diz que as autoridades alegaram que sabiam a causa da morte e tinham “todos os documentos médicos e legais”.

Também esta quinta-feira, a equipa de Navalny confirmou que a certidão de óbito indica que o líder da oposição russa morreu de causas naturais.

Alexei Navalny morreu na passada sexta-feira e desde sábado que a mãe do opositor russo está a tentar ter acesso ao corpo do filho. Na terça-feira, a Lyudmila tinha exigido a Vladimir Putin que lhe fosse devolvido o corpo do filho de forma a poder ser enterrado “com humanidade”.

“Faço-lhe este apelo, Vladimir Putin. A resolução deste problema depende apenas de si. Deixe-me finalmente ver o meu filho”, pediu a mãe de Alexei Navalny numa mensagem de vídeo publicada na rede social X.

Na terça-feira, as autoridades russas disseram que o corpo do opositor de Vladimir Putin não será entregue à família nas próximas duas semanas, argumentando que está a ser feita uma investigação "médica forense" que demora 14 dias.

Navalny morreu a 16 de fevereiro numa colónia penal no Ártico onde cumpria uma sentença de 19 anos de prisão. O principal opositor do regime russo, de 47 anos, foi vítima de “síndrome de morte súbita”, segundo informaram as autoridades russas.

Vários países ocidentais, incluindo Portugal, acusam o presidente russo de ser responsável pela morte de Navalny.

Alexei Navalny ganhou notoriedade após ter criado o Fundo de Luta Contra a Corrupção (FBK), que denunciava pormenores sobre corrupção no Kremlin. Sobreviveu a uma tentativa de envenenamento, em 2020, e foi durante vários anos uma voz crítica do Kremlin, apesar das várias ameaças e ataques que sofreu.
pub