Onda de calor na Coreia do Sul já matou 42 pessoas

| Mundo

Desde maio deste ano, foram tratadas 3400 pessoas por doenças relacionadas com calor
|

Pelo menos 42 pessoas morreram na Coreia do Sul devido às altas temperaturas que se fazem sentir desde julho. O país tem passado pela maior onde de calor alguma vez registada, com os termómetros a ultrapassarem os 39 graus.

Há 111 anos que não se registavam temperaturas tão altas em Seul. Na semana passada estas atingiram os 39,6 graus, numa capital que alberga quase metade da população do país. Como resultado, já morreram pelo menos 42 pessoas.Desde maio deste ano, foram tratadas 3400 pessoas por doenças relacionadas com calor.

É o maior número de mortos desde que, em 2011, as autoridades sul-coreanas começaram a registar oficialmente as ocorrências em vagas de calor.

A maior parte das mortes ocorreu entre a população idosa e pobre, que não possui ar condicionado em casa. No entanto, também morreram pelo menos cinco pessoas após terem estado a trabalhar ao ar livre.

Nestas mortes estão incluídos um homem de 30 anos e um migrante vietnamita de cerca de 50.

A importância dos ares condicionados para fazer face ao calor levou o Governo a tomar medidas. O ministro sul-coreano do Comércio, Indústrias e Energia, Paik Un-gyu, anunciou esta terça-feira que o Governo iria “aliviar temporariamente as tarifas progressivas de eletricidade”, nos meses de julho e agosto.

A medida pretende incentivar os sul-coreanos a utilizarem os ares condicionados sem temer a conta da eletricidade. O corte das tarifas poupa aos consumidores cerca de 267 mil milhões de wons (206 milhões de euros), de acordo com Paik Un-gyu.
Calor causa explosão
A onda de calor também já teve repercussões no exército sul-coreano. Um depósito de munições explodiu na passada quinta-feira devido a uma “reação química, espoletada pelas altas temperaturas”.

Apesar de a explosão não ter causado feridos, esta decorreu próxima de pilhas de dinamite, fósforo branco e outros explosivos, como noticia o jornal The Korea Times.

Os soldados também já se queixaram de que as suas fardas não estão preparadas para as temperaturas altas, especialmente as boinas de lã que são obrigados a utilizar, que retêm o suor e o calor.

As altas temperaturas que se fazem sentir na Coreia do Sul também já levaram à ocorrência de alguns episódios caricatos. Foi o caso de um pinto que chocou de um ovo já dentro de uma caixa de cartão. O calor fez com que este chocasse sem precisar de uma galinha ou de uma lâmpada própria para o feito.

Noutro caso, os bombeiros foram chamados a um apartamento depois de uma almofada de látex se ter incendiado, apenas por estar exposta à luz solar de uma janela.

Tópicos:

, Seul, altas temperaturas, calor, mortes, onda de calor, Coreia do Sul,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.