Penas de morte e execuções baixaram em 2017

| Mundo
Penas de morte e execuções baixaram em 2017

Foto: Reuters

As sentenças de pena de morte e execuções baixaram, em 2017, quatro por cento em relação ao ano anterior, mas continuam a ter lugar nos mesmos 23 países.

Os números constam do relatório anual da Amnistia Internacional sobre sentenças de morte e execuções, em todo o mundo, mas onde não é feita referência quer à Síria, quer à China.

A África Subsariana destaca-se num mundo onde perto de 22 mil pessoas estão sob sentença de pena de morte como nos conta a jornalista Ana Jordão.

No Botswana, Indonésia, Nigéria, Sudão e Taiwan a Amnistia Internacional não registou execuções em 2017.

A informação mais vista

+ Em Foco

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

    Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

      O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

        Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.