Perseverence. As imagens vermelhas enviadas de Marte

por Nuno Patrício, Carla Quirino - RTP
Fotos: NASA/JPL-Caltech

Continuam a chegar ao centro de controlo da NASA dezenas de dados provenientes de Marte, entre os quais fotografias e vídeos enviados pelo rover Perseverance.

Trata-se de registos que oferecem uma visão única do solo de um outro planeta do Sistema Solar, por ora apenas acessível a meios robotizados.

Apesar de apresentarem uma coloração vermelho-magenta, ainda sem tratamento de correção e equilíbrio da cor, as fotos recebidas de Marte não deixam de surpreender pela qualidade.

Captadas por uma das 23 câmaras instaladas no rover, neste caso particular no equipamento de entrada, descida e aterragem (EDL), as imagens disponibilizadas pela NASA revelam o árido e despido solo marciano, durante a descida do Perseverance, na cratera Jezero.

Créditos: NASA/JPL-Caltech

Registos fotográficos de alta resolução que foram compactados nos computadores do rover e enviados para a órbita de Marte, onde se encontram vários satélites a estudar o Planeta Vermelho. As imagens são enviadas para a Terra à velocidade da luz.

Dados que a NASA vai compilar nos próximos dois anos terrestres, tempo previsto para a duração da missão do Perserverance, que vai procurar vestígios de vida passada, bem como recolher amostras que serão recolhidas para serem estudadas por cá.
O Perserverance é o quinto veículo robotizado móvel a chegar ao Planeta Vermelho e o melhor apetrechado em termo tecnológicos.

Atualmente, Marte está a afastar-se orbitalmente da Terra, encontrando-se a cerca de 1,37 UA (1 UA = Sol-Terra) do Planeta Azul. Um fator que acabará por acrescentar tempo ao envio de dados até ao centro de comando na NASA.
A mensagem escondida no paraquedas
Na senda da exploração espacial, várias foram as ocasiões em que foram enviadas mensagens para o espaço, na esperança de um dia a Terra receber ecos de vidas inteligentes.

Mensagens em linguagens e representações que se acredita serem universais e inteligíveis. A última missão da NASA a Marte voltou a contar com uma dessas comunicações “escondida” no padrão do paraquedas supersónico de reentrada no planeta vermelho.

Foto: NASA/JPL-Caltech

Estampadas no padrão, as cores vermelhas e brancas passariam despercebidas ao comum dos mortais. Ao contrário dos habituais paraquedas utilizados nos sistemas de reentrada e recuperação, este apresentava uma estampagem diferente.

Foi precisamente isso que um grupo de entusiastas descobriu: uma mensagem escrita em código binário que continha a frase “Dare mighty things” ( ouse coisas poderosas), mas também as coordenadas do Jet Propulsion Laboratory da NASA.

Direitos Reservados

A codificação binária é decifrada ao atribuir à cor vermelha o valor 1 e ao branco o valor 0 no padrão que divide os segmentos do paraquedas, fazendo a correspondência a uma letra do alfabeto.

Direitos Reservados

Assim, a letra A está codificada num bloco de branco-branco-branco-branco-branco-branco-vermelho, isto é, 0000001 em binário 1, significando A. À letra D corresponde branco-branco-branco-branco-vermelho-branco-vermelho, isto é, 0000101 (4 em binário), o que corresponde à letra D.
Tópicos
pub