Polónia. Aulas de educação sexual podem dar até três anos de prisão

por RTP
O líder do PiS, Jaroslaw Kaczynski, após o anúncio da vitória eleitoral Kacper Pempel, Reuters

Uma associação anti-abortista apoiada pelo Governo quer ver aprovado um projecto de lei que castiga com penas de prisão efectivas os docentes que derem aulas de educação sexual. A oposição manifesta-se na rua contra o plano da direita.

Uma grande manifestação em Varsóvia e várias em cidades mais pequenas têm protestado contra o projecto de lei, que conta com o apoio do partido de Governo, PiS ("Direito e Justiça").

O lema da campanha pela aprovação da lei é a "protecção das crianças e jovens contra a depravação sexual".

Após a concorrida manifestação de ontem, quarta feira, em Varsóvia, os deputados do nacional-populista PiS reafirmaram que se deverá continuar a trabalhar na linha do projecto de lei. O PiS obteve nas eleições de domingo passado a maioria absoluta no parlamento.

O partido assume-se como conservador e católico, combate a imigração e a homossexualidade, e promete combater as elites de Bruxelas. Por outro lado, prometeu aumentar as prestações do Estado social, o salário mínimo e os subsídios aos agricultores.