Prémio de arquitetura para projeto do Espigueiro-Pombal em Ponte de Lima

| Mundo

O projeto do Espigueiro-Pombal do Cruzeiro, do ateliê Tiago do Vale Arquitetos, recebeu hoje o prémio Blueprint na categoria de "Melhor Projeto Sustentável", foi anunciado esta noite em Londres.

O projeto em Ponte de Lima, distrito de Viana do Castelo, já tinha vencido em julho o prémio do júri e do público na categoria de Conservação dos prémios A+, da plataforma Architizer.

A estrutura datava originalmente do final do século XIX e era composta por dois espigueiros tradicionais em bases graníticas unidos por uma cobertura comum, que passou a abrigar um pombal.

Entretanto, o espaço entre ambos os espigueiros passou a ser usado para a secagem de cereais, usando dois painéis basculantes para controlar a ventilação, descreve o ateliê na sua página de Internet.

O trabalho de reconstrução implicou a substituição das madeiras apodrecidas "peça a peça", aproveitando ao mesmo tempo para "corrigir a fragilidade estrutural original" com elementos de travamento diagonais em localizações estratégicas.

Dispensado da utilização agrícola, o edifício modernizado passou a ser um espaço de uso genérico, não tendo uma função específica.

"O Espigueiro-Pombal do Cruzeiro é agora um santuário entre as copas das árvores, uma forma icónica na paisagem rural minhota", garantem os arquitetos.

A Casa na Fuseta, concelho de Olhão, distrito de Faro, do arquiteto Miguel Arruda, também era finalista na categoria de "Melhor Projeto Residencial Não-Público", mas o prémio foi atribuído ao ateliê chinês gad x line+ studio pelo empreendimento de habitação económica na localidade de Dongziguan, no distrito de Fuyang.

Nesta 5.ª edição, os Blueprint Awards, criados pela publicação britânica especializada, foram atribuídos por um júri constituído alguns profissionais reconhecidos da arquitetura e design mundiais, entre os quais Daniel Libeskind e David Adjaye.

Tópicos:

Espigueiro Pombal, Fuyang, Lima,

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.