Revista de Imprensa internacional

| Mundo
Revista de Imprensa internacional

A ver: Revista de Imprensa internacional

O Atentado terrorista desta quinta-feira em Paris é também tema na revista de imprensa internacional.
Felisbela Lopres lembra que as questões de segurança têm dominado os últimos dias de uma campanha que tinha já sido ameaçada por promessas de ataques terroristas.
As eleições deste domingo em França são o tema dominante não apenas na imprensa francesa, mas também à escala global.

Nesta revista de imprensa internacional Felisbela Lopes fala da clara preferência das revistas e jornais franceses por um dos candidatos. Emmanuel Macron. Os segredos de campanha do antigo ministro da economia de François Hollande são destaque no L'Obs, que destaca também as palavras chave de cada um dos candidatos ao Eliseu.

As sondagens mostram que nenhum dos candidatos vai vencer as presidenciais na primeira volta deste domingo e deixam claro que tudo se irá decidir a 7 de maio entre Marine Le Pen e Emmanuel Macron.

Numa campanha mediatizada à escala global o Courrier faz reportagem na França real. A publicação foi ouvir agricultores, operários, gente comum cujas opiniões têm estado afastadas do espaço mediático.

Na rubrica semanal do Jornal 2 Felisbela Lopes debruça-se também sobre as eleições antecipadas que vão acontecer no Reino Unido.

A decisão de Theresa may aconteceu sem aviso prévio. O país vai às urnas a 8 de junho. As consequências desta antecipação em três anos das legislativas, e as posições da imprensa conservadora, por um lado, e pró-trabalhista, por outro são lidas na The Spectator e na The New Stasteman.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

    É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

    Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.