Sismo de magnitude 7,7 ao largo da Rússia, alerta de tsunami

| Mundo

Um sismo de magnitude 7,7 na escala aberta de Richter foi hoje registado na costa da Rússia, informou o Centro Geológico dos Estados Unidos, levando as autoridades a emitir um alerta de tsunami em algumas zonas do Pacífico.

As ondas não deverão exceder os 0,3 metros acima do nível da maré alta na costa da região em estado de alerta, da Rússia ao Havai, disse o Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico.

O sismo foi registado às 23:34 GMT (00:34 em Lisboa), com hipocentro localizado a 11,7 quilómetros de profundidade e epicentro à latitude de 54,466 graus norte e longitude de 168,822 graus leste, a 199 quilómetros a leste-sudeste de Nikolskoye, na ilha de Bering, onde vivem mais de 600 pessoas.

O Centro de Alertas de Tsunami do Pacífico emitiu um aviso para advertir sobre a possibilidade de "perigosas ondas de tsunami" para o Japão, Rússia, ilhas Marshall e Yap, além das costas norte-americanas de Guam, Havai, ilhas Marianas do Norte, Atol de Johnston, ilhas Midway e ilha Wake.

O arco das ilhas Aleutas, onde está localizada a ilha de Bering, é uma zona de grande atividade sísmica que compreende uma extensão de cerca de 3.000 quilómetros, desde o golfo norte-americano do Alasca, no leste, até à península russa de Kamchatka, no oeste.

Tópicos:

Alertas Tsunami, Japão, Johnston,

A informação mais vista

+ Em Foco

Foi considerado o “pior dia do ano” em termos de fogos florestais, com a Proteção Civil a registar 443 ocorrências. Morreram 45 pessoas. Perto de 70 ficaram feridas. Passou um mês desde o 15 de outubro.

    Todos os anos as praias portuguesas são utilizadas por milhões de pessoas de diferentes nacionalidades e a relação ambiental com estes espaços não é a mais correta.

      Doze meses depois da eleição presidencial de 8 de novembro de 2016, com Donald Trump ao leme da Casa Branca, os Estados Unidos mudaram. E o mundo afigura-se agora mais perigoso.

        Uma caricatura do mundo em que vivemos.