UNITA prolonga prazo de entrega de candidaturas à presidência do partido

por Lusa

A direção da UNITA decidiu prorrogar o prazo para a apresentação ao cargo de presidente do partido da oposição angolana por questões relacionadas com "aspetos técnicos e logísticos", de acordo com uma nota enviada na segunda-feira à comunicação social.

O novo prazo fixado pelo Comité Permanente da Comissão Política da UNITA (União Nacional para a Independência Total de Angola) é agora o próximo dia 7 de outubro. Em face do novo prazo, o partido do "Galo Negro" fixou ainda o período entre 7 e 28 de outubro para a realização das conferências comunais, municipais e provinciais.

Quatro dirigentes da UNITA manifestaram já a intenção de se candidatarem à liderança do partido, perfilando-se como sucessores de Isaías Samakuva, o atual presidente, que já cumpriu quatro mandatos, indicou fonte próxima do processo.

Adalberto da Costa Júnior, Estêvão José Pedro Kachiungo, Alcides Sakala Simões e Abílio Numa são quatro pré-candidatos à corrida para a presidência da UNITA, que já manifestaram essa intenção.

O atual líder do grupo parlamentar da UNITA e deputado da 6.ª Comissão da Assembleia Nacional (Saúde, Educação, Ensino Superior, Ciências e Tecnologia), Adalberto da Costa Júnior, parte como um dos favoritos, tendo em conta o manifesto de apoio à sua candidatura, noticiado pela imprensa angolana, que inclui 126 militantes destacados do partido.

Caso avance como candidato, José Pedro Kachiungo, primeiro vice-presidente da bancada e deputado da 4.ª Comissão (Administração do Estado e Poder Local), irá tentar ascender ao posto máximo da UNITA pela segunda vez, depois de ter saído derrotado por Samakuva numa contenda semelhante em 2011.

Alcides Sakala Simões, porta-voz, secretário para as relações internacionais da UNITA e deputado da 3.ª Comissão (Relações Exteriores, Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas no Estrangeiro), é outro dos potenciais candidatos a disputar a presidência do partido do "Galo Negro".

Abílio Kamalata Numa, ex-deputado, general na reserva e antigo secretário-geral do partido, atualmente membro do comité permanente da comissão política da UNITA, também concorreu contra Samakuva em 2011.

Numa assumiu já ser candidato, através do Facebook, evocando as ideias do fundador do partido, Jonas Savimbi, e a sua experiência política e militar para se apresentar "com humildade" ao serviço dos angolanos e da UNITA, com o objetivo de "aprofundar os caminhos" que elevem a organização a um "Partido Panafricano moderno".

Quanto ao atual líder da UNITA, Isaías Samakuva, de 73 anos, "não manifestou intenção e não deverá avançar" com uma nova candidatura à presidência do partido, que lidera há 16 anos, segundo a mesma fonte.

O novo presidente da UNITA será escolhido durante o XIII Congresso Ordinário do maior partido da oposição angolana, que se realiza entre 13 e 15 de novembro, em Luanda.

Até lá, terão de ser formalizadas e aprovadas as candidaturas que serão posteriormente submetidas ao crivo da comissão eleitoral, para avaliar o cumprimento dos requisitos necessários, um processo previsto nos regulamentos partidários.

Tópicos