Água, fogo, ar e terra. Ciclo de conferências promove sustentabilidade em Portugal

por RTP
Foto: Unsplash

A Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa organiza um ciclo de conferências que pretende apresentar soluções para mitigar o impacto da poluição e das alterações climáticas. Da seca aos microplásticos, estes debates procuram dar a conhecer problemas e viabilidades para uma questão cada vez mais prioritária.

Este é um ciclo de conferências sobre a sustentabilidade que será direcionado para cada elemento em particular: água, terra, ar e fogo.

A primeira conferência, “Água e o futuro”, realiza-se no dia 6 de dezembro, das 14h00 às 17h45, no auditório do UNINOVA.

A primeira conferência do ciclo da NOVA FCT dedicado à sustentabilidade reflete sobre os desafios da sustentabilidade e preservação dos ecossistemas aquáticos, desde o impacto das alterações climáticas às possíveis soluções para a escassez hídrica. 

António Carmona Rodrigues, investigador do MARE, o centro de investigação especializado nos ecossistemas aquáticos, é responsável pela abertura de “Água e o futuro”. O ex-Ministro das Obras Públicas, Transportes e Habitação, especializado em hidráulicas, aborda os desafios na gestão dos recursos hídricos.

O problema da contaminação das águas pelos microplásticos e lixo marinho é o tema apresentado por Paula Sobral, investigadora pioneira neste tópico em Portugal.A investigadora coordena projetos de investigação internacionais sobre a distribuição e abundância dos microplásticos nos oceanos e zonas costeiras e o seu impacto na vida marinha.

O investigador José Carlos Ferreira, que também integra o MARE, fará uma intervenção sobre o papel inovador que as Infraestruturas Azuis podem desempenhar – as Infraestruturas Azuis são um conceito de promoção e gestão sustentável da água. José Carlos Ferreira é especializado na gestão dos ecossistemas e na avaliação e gestão da vulnerabilidade e do risco em territórios complexos.

A segunda parte da conferência contará com a intervenção de Rita Maurício, do CENSE, centro de investigação da NOVA FCT, que promove investigação interdisciplinar em ciências ambientais e engenharia. A investigadora abordará a reutilização no setor da água, com base nas suas investigações na otimização de sistemas avançados de tratamento de águas residuais e nos compostos emergentes.

Por fim, Patrícia Fortes, investigadora do CENSE, reflete sobre a relação entre os recursos hídrico e os sistemas energéticos. A investigadora tem analisado a vulnerabilidade e adaptação dos sistemas energéticos às alterações climáticas e a sua investigação explora a transição para sistemas de energia de baixo carbono, com foco em mudanças tecnológicas, impactos macroeconómicos e análise de políticas energia-clima.

“A direção da FCT NOVA assume a sustentabilidade como um pilar estratégico”, defende José Paulo Santos, subdiretor para a Comunicação da NOVA FCT. “As universidades devem estar próximas da sociedade e apresentar soluções concretas para os principais problemas do nosso tempo. Pretendemos que estas conferências explorem as estratégias inovadoras e sustentáveis que possam contribuir significativamente para mitigar os impactos negativos em curso e promover a gestão responsável dos recursos”.

A conferência “Água e o futuro” integra ainda a apresentação do Prémio Fernando Santana, um tributo ao professor da NOVA FCT que promoveu a causa ambiental e projetou internacionalmente a Academia Portuguesa. Considerado um visionário na dinamização de uma cultura de desenvolvimento e valorização da investigação, Fernando Santana modernizou a escola de ciências e engenharia sem esquecer a formação cívica e cultural dos estudantes.
Tópicos
pub