Ano letivo arranca com protestos devido a más condições das escolas

| País

|

Termina esta quarta-feira o prazo dado para o arranque do ano letivo 2017/2018. O início das aulas foi marcado por protestos de pais na escola EB2/3 da Vialonga, concelho de Vila Franca de Xira. Os encarregados de educação falam de más condições na escola. A Associação Nacional de Diretores Escolares alerta para dezenas de escolas a precisar de obras por todo o país e que continuam à espera de intervenção.

Na escola EB2/3 de Vialonga, as faixas negras expressam o protesto contra a falta de condições nas salas de aula. “Onde está a nova escola?”, “mais um ano na mesma”, são algumas das palavras que expressam o descontentamento neste arranque de ano letivo.

A associação de pais sublinha o estado de degradação das infraestruturas, uma situação que se arrasta há cerca de dez anos. As salas de aula com amianto ou as atividades letivas que continuam a decorrer em contentores fazem parte das principais preocupações.


O período dado pelo Ministério da Educação para as escolas darem início às aulas começou no dia 8 de setembro e termina esta quarta-feira. O ano letivo acaba no dia 22 de junho de 2018.

Período em que os alunos de Vialonga terão de enfrentar frio nas salas de aula no Inverno ou muito calor no Verão, infiltrações de água ou falta de espaço. São queixas de pais sobre o que chama de estado de degradação na escola.

Diretores escolares alertam para necessidade de obras
A Associação Nacional de Diretores Escolares alerta para dezenas de escolas a precisar de obras. Manuel António Pereira refere que há inúmeras escolas a necessitar de obras urgentes e para as quais não há resposta. As EB2/3 são o que a associação chama de “parente pobre” a quem foi descurada atenção.

O Ministério da Educação adianta à Antena 1 que há nesta altura cerca de 270 estabelecimentos de ensino com obras em curso ou quase a começar.

Os diretores escolares admitem que a situação melhorou nos últimos anos, mas ainda há muitas escolas a precisar de obras urgentes.
Amares: Aulas em contentores
A Escola Básica 2/3 de Amares será alvo de obras de requalificação no presente ano letivo. Quase 300 alunos vão ter aulas em 13 salas de aula improvisadas em contentores durante o presente ano letivo.

A comunidade escolar mostra satisfação com as obras em curso, uma vez que poderão permitir uma melhoria de condições na infraestrutura para os próximos anos.

A informação mais vista

+ Em Foco

Entrevista exclusiva de Rui Rio à editora de política da RTP Luísa Bastos.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.