Cardeal patriarca pede aos deputados para votarem "não"

| País

|

O cardeal patriarca de Lisboa, Manuel Clemente, pediu aos deputados para votarem, na terça-feira, contra os quatro projetos de lei que descriminalizam a morte medicamente assistida, em declarações à agência Ecclesia.

"Espero que todos e cada um dos deputados, como legisladores que são, tenham devidamente em conta o que a sociedade tem manifestado", disse Manuel Clemente, em declarações à Ecclesia, no domingo, em Penafirme, Torres Vedras, durante a "Festa da Família" do Patriarcado de Lisboa.

O bispo lembrou as posições públicas do atual e dos antigos bastonários da Ordem dos Médicos, do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida e de antigos chefes de Estado e governantes de Portugal, numa referência a Cavaco Silva e Pedro Passos Coelho, e de organizações da sociedade civil e religiosas.

"Uma vez que todos esses grupos se manifestaram insistentemente no sentido do não, se a Assembleia quer estar em sintonia com a sociedade tem de ter isso em conta", disse.

Quatros projetos de lei para despenalizar e regular a morte medicamente assistida em Portugal apresentados por PS, BE, PEV e PAN vão a debate e votação, na generalidade, na terça-feira, na Assembleia da República.

Nas bancadas do PSD e do PS, que no total somam 175 dos 230 deputados, haverá liberdade de voto, tornando imprevisível o resultado, que dependerá muito dos "sim" na bancada social-democrata e dos desalinhados do "não" no grupo parlamentar socialista.

Outros fatores a ter em conta são os deputados indecisos, as abstenções e os parlamentares que faltarem na terça-feira.

Tópicos:

Penafirme,

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.