Casas dos centros históricos isentas de IMI

| País
Casas dos centros históricos isentas de IMI

As casas dos centros históricos classificados pela Unesco deixam de pagar IMI, o Imposto Municipal sobre Imóveis.

Uma circular enviada às repartições de finanças, a que o Jornal de Notícias teve acesso, acaba com as dúvidas que se arrastam há dez anos, quando as Finanças começaram a tributar estas habitações.

Até agora os moradores eram obrigados a recorrer aos tribunais para não pagarem, como conta a jornalista Rosa Azevedo.

Os centros históricos classificados pela Unesco têm cerca de 20 mil prédios. A receita do IMI cobrada indevidamente nos últimos dez anos representa cinco milhões de euros de receita anual para as câmaras municipais.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Grécia agradeceu a Portugal a solidariedade do país pela disponibilidade de receber mil migrantes e refugiados, atualmente alojados em condições precárias naquele país.

A receita da venda desta madeira ultrapassará os 15 milhões de euros, que devem ser investidos na nova Mata do Rei.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.