Confirmadas irregularidades e indícios de infrações penais na Associação João de Deus

por RTP
DR

Perante as irregularidades e indícios de infrações penais nos colégios João de Deus, a Segurança Social propôs ao Ministério Público a destituição dos órgãos de gestão da associação. A situação tinha sido denunciada em março de 2019 pelo programa da RTP Sexta às 9.

O Instituto da Segurança Social propôs ao Ministério Público a destituição de Ponces de Carvalho e da equipa de gestão da Associação João de Deus, responsável por vários colégios que têm acordos com o Estado em todo o país.

As averiguações estiveram a cargo do Instituto da Segurança Social e da Inspeção Geral da Educação e Ciência, em que foram apuradas “irregularidades” no âmbito dos acordos de cooperação da associação de escolas com a segurança social, que levaram a processos de contraordenação.

Foram ainda encontrados indícios criminais, entretanto encaminhados para o Ministério Público, em concreto para o Departamento de Investigação e Ação Penal de Lisboa.

O Instituto da Segurança Social propôs ainda ao Ministério Público a “destituição dos órgãos de gestão da associação”.  

Em março de 2019, o programa Sexta às 9 tinha denunciado as irregularidades existentes na gestão da associação, que é uma das IPSS que mais dinheiro recebe do Estado.

A investigação do programa da RTP encontrou despesas em viagens e compras em marcas de luxo em nome da associação e negócios imobiliários considerados suspeitos.

A RTP tentou contactar o presidente da associação, António Ponces de Carvalho, mas ainda não obteve uma resposta.
Tópicos
pub