Crise sísmica em São Miguel

| País

|

Cerca de 130 sismos de média magnitude, com valores entre 1,9 e 3,2 na escala de Richter foram registados desde a meia noite de hoje na ilha de São Miguel, Açores, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA). O CIVISA revela que o padrão da crise sísmica indicia que os tremores de terra poderão continuar.

O incremento da atividade sísmica verifica-se na região do Congro (Lago do Congro, Vila Franca do Campo.

O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) adiantou em comunicado que desde as 23:47 horas (00:47 em Lisboa) de domingo registou-se um incremento significativo da atividade sísmica além dos valores de referência na parte central da ilha de S. Miguel, numa zona epicentral localizada entre o Vulcão do Fogo e o Sistema Vulcânico Fissural do Congro.

Foram registadas várias centenas de microssismos com epicentro entre as lagoas do Fogo e das Furnas, na sua maioria de magnitude inferior a 3 na escala de Richter. O sismo mais forte foi registado às 6h18, hora local, com intensidade 5, que não provoca danos materiais.


O IPMA adianta ainda que serão espetáveis mais sismos sentidos naquela zona.Crise sísmica deve continuar
O Centro de Informação e Vigilância Sismovulcânica dos Açores (CIVISA) adianta em comunicado que desde as 23:47 horas (00:47 em Lisboa) de domingo registou-se um incremento significativo da atividade sísmica na parte central da ilha de S. Miguel, numa zona epicentral localizada entre o Vulcão do Fogo e o Sistema Vulcânico Fissural do Congro.

Segundo o CIVISA, foram registados centenas de eventos, tendo os mais fortes sido sentidos em Porto Formoso, Furnas, Vila Franca do Campo, Água d'Alto, Maia, Fenais da Ajuda e Rabo de Peixe, com uma intensidade máxima IV/V.

Em entrevista à RTP, João Luís Gaspar, do CIVISA, adianta que foram cerca de duas dezenas de sismos que foram de facto sentidos pela população.

João Luís Gaspar considera que, pelo padrão até agora registado, tudo indica que se vão registar mais eventos sísmicos, sendo impossível prever se serão de maior ou menor intensidade.

O responsável do CIVISA recorda que a última importante crise sísmica ocorreu em 2005 e prolongou-se por vários meses.

Proteção Civil recebeu várias chamadas da população
O Serviço de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recebeu durante a noite alguns pedidos de informação da população de São Miguel, na sequência dos mais de cem sismos que estão a afetar a região do Congro.

Os serviços receberam alguns pedidos de informação sobre os abalos, mas "sem alarmismos, porque esta situação não é nova para os açorianos".


O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores está a acompanhar a situação, encontrando-se de prevenção.

Não há até agora registo de danos materiais decorrentes destes episódios sísmicos.

Conselhos à população
Devido à situação, o Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores recomenda à população que mantenha a calma e conte com a ocorrência de possíveis réplicas.

A população não deve "acender fósforos nem isqueiros, pois pode haver fugas de gás", deve observar se a casa sofreu danos graves e sair imediatamente se suspeitar que não oferece condições de segurança", refere.

O Serviço de Proteção Civil recomenda também que em caso de dúvida sobre a integridade dos circuitos de gás, eletricidade ou água, estes devem ser desligados imediatamente.

"Nunca utilize os elevadores, confirme a validade do seu Kit de emergência e reveja o seu conteúdo com o seu agregado familiar e verifique se existem feridos e, se necessário, preste os primeiros socorros", indica o serviço de proteção civil.

É também recomendado à população cuidados a ter com vidros partidos ou cabos de eletricidade, a limpar imediatamente os produtos inflamáveis que se tenham derramado e a soltar os animais domésticos.

O Serviço Regional de Proteção Civil pede ainda a população que se afaste das praias porque pode ocorrer uma onda gigante (tsunami), a ligar o rádio e ficar atento às recomendações difundidas.

 

c/Lusa

Tópicos:

Congro L Congro, Formoso Rabo, Ribeira,

A informação mais vista

+ Em Foco

"Governar Portugal", sustentou o novo líder social-democrata no discurso de encerramento do 37.º Congresso do PSD, passa por "ter as pessoas como centro e razão da ação".

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Foram sinalizados casos de mutilação genital numa escola da Baixa da Banheira. Uma associação trabalha com turmas. Ainda há rapazes que defendem a "submissão" como "saudável".

      Uma caricatura do mundo em que vivemos.