"É inaceitável colocar elementos da PSP no 112 contra vontade"

| País
É inaceitável colocar elementos da PSP no 112 contra vontade

Foto: RTP

O Sindicato dos Profissionais de Polícia considera inaceitável a transferência de 11 elementos da PSP, de forma urgente e contra a sua vontade, para colmatarem falhas no serviço de emergência 112.

O presidente do sindicato, Mário Andrade, alerta que desta forma ficam a descoberto serviços nas divisões de Cascais, Oeiras e Sintra, onde trabalhavam estes agentes.

Mário Andrade fala em "caos" na generalidade dos serviços da PSP e por isso exige ao Governo que defina o que quer para a polícia.

O sindicalista defende a abertura urgente de um concurso para a admissão de 800 agentes da PSP, no mínimo.

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.