"É inaceitável colocar elementos da PSP no 112 contra vontade"

| País
É inaceitável colocar elementos da PSP no 112 contra vontade

Foto: RTP

O Sindicato dos Profissionais de Polícia considera inaceitável a transferência de 11 elementos da PSP, de forma urgente e contra a sua vontade, para colmatarem falhas no serviço de emergência 112.

O presidente do sindicato, Mário Andrade, alerta que desta forma ficam a descoberto serviços nas divisões de Cascais, Oeiras e Sintra, onde trabalhavam estes agentes.

Mário Andrade fala em "caos" na generalidade dos serviços da PSP e por isso exige ao Governo que defina o que quer para a polícia.

O sindicalista defende a abertura urgente de um concurso para a admissão de 800 agentes da PSP, no mínimo.

A informação mais vista

+ Em Foco

A 15 de outubro de 2017, uma vaga de incêndios fez 50 mortos e dezenas de feridos. Reunimos aqui um conjunto de reportagens elaboradas um ano depois da catástrofe.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

        Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.