GNR detém dois espanhóis em Elvas por suspeita de vários crimes

| País

A GNR anunciou hoje a detenção de dois homens, de nacionalidade espanhola, em Elvas, Portalegre, por suspeitas de vários crimes, como desmantelamento e viciação de viaturas, tráfico de droga, falsificação de dinheiro e contrabando de tabaco.

Em comunicado enviado à agência Lusa, o Comando Territorial de Portalegre da GNR indica que os dois homens, de 26 e 28 anos, são também suspeitos de furto e posse de arma proibida.

Um dos homens foi detido hoje e o outro na quinta-feira, na cidade raiana de Elvas, distrito de Portalegre, na sequência de uma investigação que decorria há três meses, adiantou à Lusa fonte da guarda.

Após várias diligências, que culminaram com o cumprimento de três mandados de busca domiciliária e sete mandados de busca em armazém e viaturas, a GNR apreendeu sete veículos, uma embarcação de recreio, duas motos de água, diversas peças de viaturas desmanteladas, 153 plantas de canábis, quatro quilos de canábis sativa e 25 doses de cocaína.

As autoridades apreenderam também 4.680 euros em numerário, notas contrafeitas com o somatório do valor facial de 550 euros, 36 telemóveis e material de duas estufas para cultivo de canábis, como lâmpadas, ar condicionado, extratores e desumidificadores.

Durante a operação policial, foram ainda apreendidas duas balanças de precisão, um quilo de tabaco triturado, 260 maços de tabaco sem estampilha, um computador portátil, um telefone por satélite e um bastão.

Os detidos vão ser presentes ao Tribunal de Elvas para primeiro interrogatório judicial e aplicação de eventuais medidas de coação.

Tópicos:

Territorial,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.