Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

| País
Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

Foto: Associação Crescer na Maior

Um diagnóstico pedido pela Câmara Municipal de Lisboa identificou 1.400 consumidores de droga na capital "em maior risco", mas alerta para a existência de mais toxicodependentes que não tenham contacto com as equipas que elaboraram o estudo.

A Câmara Municipal de Lisboa apresenta na quinta-feira as conclusões dos "diagnósticos sobre consumos de substâncias psicoativas na cidade de Lisboa e respostas a implementar", feitos pela Associação Crescer, Associação Ares do Pinhal, o Grupo de Ativistas em Tratamentos (GAT) e os Médicos do Mundo.


De acordo com o diagnóstico levado a cabo, esta população é "envelhecida, a larga maioria com idade superior a 40 anos, e que apresenta do ponto de vista social um perfil de pobreza e exclusão social", sendo que são pessoas "em situação de habitação precária (sem-abrigo, em instituição de acolhimento, casa abandonada ou sem condições)".

O jornalista da Antena 1, João Ramalhinho deixa-nos as principais conclusões do estudo. 

c/Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

Neste Manual do Brexit, explicamos em 12 pontos o que está em causa e os cenários que se colocam. A votação do acordo em Londres acontece esta terça-feira.

    Rosa Luxemburgo, "uma das melhores cabeças do socialismo internacional", foi assassinada há 100 anos.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

        Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.