Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

| País
Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

Foto: Associação Crescer na Maior

Um diagnóstico pedido pela Câmara Municipal de Lisboa identificou 1.400 consumidores de droga na capital "em maior risco", mas alerta para a existência de mais toxicodependentes que não tenham contacto com as equipas que elaboraram o estudo.

A Câmara Municipal de Lisboa apresenta na quinta-feira as conclusões dos "diagnósticos sobre consumos de substâncias psicoativas na cidade de Lisboa e respostas a implementar", feitos pela Associação Crescer, Associação Ares do Pinhal, o Grupo de Ativistas em Tratamentos (GAT) e os Médicos do Mundo.


De acordo com o diagnóstico levado a cabo, esta população é "envelhecida, a larga maioria com idade superior a 40 anos, e que apresenta do ponto de vista social um perfil de pobreza e exclusão social", sendo que são pessoas "em situação de habitação precária (sem-abrigo, em instituição de acolhimento, casa abandonada ou sem condições)".

O jornalista da Antena 1, João Ramalhinho deixa-nos as principais conclusões do estudo. 

c/Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

    Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

      O desaparecimento do jornalista saudita fragiliza a relação dos EUA com uma ditadura que lhe tem sido útil a combater o Irão e a manter os preços do petróleo.

        Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.