Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

| País
Lisboa tem 1.400 toxicodependentes identificados, mas pode haver mais, revela estudo

Foto: Associação Crescer na Maior

Um diagnóstico pedido pela Câmara Municipal de Lisboa identificou 1.400 consumidores de droga na capital "em maior risco", mas alerta para a existência de mais toxicodependentes que não tenham contacto com as equipas que elaboraram o estudo.

A Câmara Municipal de Lisboa apresenta na quinta-feira as conclusões dos "diagnósticos sobre consumos de substâncias psicoativas na cidade de Lisboa e respostas a implementar", feitos pela Associação Crescer, Associação Ares do Pinhal, o Grupo de Ativistas em Tratamentos (GAT) e os Médicos do Mundo.


De acordo com o diagnóstico levado a cabo, esta população é "envelhecida, a larga maioria com idade superior a 40 anos, e que apresenta do ponto de vista social um perfil de pobreza e exclusão social", sendo que são pessoas "em situação de habitação precária (sem-abrigo, em instituição de acolhimento, casa abandonada ou sem condições)".

O jornalista da Antena 1, João Ramalhinho deixa-nos as principais conclusões do estudo. 

c/Lusa

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.