MAI expressa solidariedade aos familiares das vítimas

| País

O ministro da Administração Interna (MAI) Eduardo Cabrita expressou hoje a solidariedade do Governo aos familiares das vítimas do incêndio que na noite de sábado matou oito pessoas numa associação recreativa do concelho de Tondela.

Numa intervenção, na manhã de hoje, durante a visita do Presidente da República Marcelo Rebelo de Sousa à localidade de Vila Nova da Rainha, onde se localiza a associação afetada pelas chamas, Eduardo Cabrita expressou solidariedade em nome do primeiro-ministro e do Governo "a toda a população tão duramente atingida pela tragédia".

O ministro lembrou que o incêndio que fez oito mortos e várias dezenas de feridos" sucedeu a acontecimentos também ainda não totalmente superados no concelho de Tondela e região" adjacente, numa referência aos incêndios florestais de 15 de outubro.

O governante disse ainda que na sequência do alerta para o incêndio na associação recreativa, foram "de imediato" acionados meios distritais e locais de bombeiros, proteção civil e serviços de saúde e outros da GNR e meios aéreos da Força Aérea e Instituto Nacional de Emergência Médica "essenciais para a evacuação dos feridos que estão ainda a ser assistidos em hospitais centrais".

"Foi feito aquilo que era possível fazer e que era devido fazer", frisou Eduardo Cabrita.

O MAI deixou ainda um compromisso de empenho no tratamento dos feridos, "sobretudo para aqueles que ainda estão a lutar pela vida em hospitais de Coimbra, do Porto, de Lisboa, aqueles que estão em pior situação".

"Esse empenho é pleno, sobretudo dos profissionais de saúde", disse Eduardo Cabrita, expressando ainda solidariedade para com os moradores de Vila Nova da Rainha - onde residiam quatro das oito vítimas mortais - e de localidades em redor "que terão de encontrar a força e a esperança para reerguer, com a capacidade de união e solidariedade que sempre tiveram".

O incêndio de sábado à noite, que deflagrou durante um jantar numa associação recreativa de Vila Nova da Rainha, concelho de Tondela, fez pelo menos oito mortos e 38 feridos, entre graves e ligeiros, de acordo com fonte do Ministério da Saúde.

JLS/AMF // JPF

Tópicos:

Cita,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.