Mais cocaína detetada no Porto, mais ecstasy em Lisboa

por Antena 1

Foto: Reuters

São resultados observados em análises efetuadas aos esgotos.

São os dados essenciais do estudo realizado a partir de amostras das águas residuais. O estudo foi elaborado pelo Observatório Europeu da Droga e da Toxicodependência (OEDT), tendo avaliado as amostras de águas residuais em 60 cidades europeias de 19 países, de forma a avaliar os consumos de droga dos seus habitantes.

Lisboa, Porto e Almada foram as cidades portuguesas analisadas, para o que contribuíram profissionais da Faculdade de Farmácia de Lisboa e o Instituto Nacional de Medicina Legal e Ciências Forenses.

As descargas nas águas residuais indicam que a cocaína terá um uso mais elevado em cidades do oeste e sul da Europa, em particular em cidades belgas, holandesas, espanholas e do Reino Unido.

A jornalista Rita Soares conversou com o professor da faculdade de Farmácia, Àlvaro Lopes, que começa por dar conta das principais conclusões.