Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, ao minuto, o encontro do Grupo B entre Itália e Albânia

Mais de metade das empresas não estabeleceu metas climáticas em 2021

por Lusa
Está difícil atingir as metas climáticas desejadas Alexey Malgavko - Reuters

Mais de metade das empresas (56%) não estabeleceu metas climáticas em 2021, segundo um relatório do CDP - Carbon Disclosure Project, divulgado esta quinta-feira, que concluiu ainda ser preciso pelo menos mais uma década para garantir que todas o fazem.

O relatório analisou mais de 11.400 empresas fornecedoras de produtos ou serviços, que reportam dados ambientais aos seus clientes através do CDP, e concluiu que, em 2021, “apenas 2,5% dos fornecedores estabeleceram metas científicas para as suas emissões, enquanto 56% não tinham qualquer meta climática”.

Adicionalmente, menos de 30% tinham um plano de transição energética, com o objetivo de contribuir para uma futura economia neutra em carbono.

É necessária pelo menos mais uma década para garantir que todos os fornecedores que relatam dados ambientais aos seus clientes através do CDP definam metas climáticas”, apontou a entidade.

De acordo com as conclusões apresentadas, apenas uma em 40 metas definidas para 2021 pelas empresas foram aprovadas com base científica.

No entanto, houve também avanços no ano passado, com 71% das empresas fornecedoras a relatarem reduções nas suas emissões carbónicas operacionais.

É preciso fazer mais

Em 2021, mais de 200 membros da CDP Supply Chain (cadeia de abastecimento) em todo o mundo, que incluem grandes compradores que representam quase cinco biliões de euros em gastos com compras solicitaram que mais de 23.000 fornecedores divulgassem dados ambientais em 2021.

O pedido feito por empresas como a L’Oréal, Philips, Telefónica, Deutsche Telekom, Pirelli, entre outras, resultou num "recorde" de 11.400 respostas, um aumento de 50% na divulgação daqueles dados ao CDP, em relação a 2020.

Isto mostra o progresso no reporte e na adoção de medidas sobre os impactos ambientais diretos: um total de 71% dos fornecedores divulgaram as suas emissões diretas e relataram reduções significativas de 1,8 mil milhões de tCO2e (toneladas equivalentes de dióxido de carbono)”, apontou o CDP.

Precisamos urgentemente que mais empresas se envolvam com os seus fornecedores para gerir os impactos ambientais em todas as suas cadeias de abastecimento”, defendeu o diretor executivo do CDP Europa, Maxfield Weiss.

Para o responsável, “isso é essencial, não só para compensar um atraso de 10 anos no estabelecimento de metas climáticas, como também para garantir um futuro de neutralidade carbónica”.

pub