MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

| País
MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

A ver: MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

Nenhuma das contas sob investigação tem o nome de José Sócrates, mas o Ministério Público acredita que, para se proteger, o antigo primeiro-ministro Carlos Santos Silva como testa-de-ferro.

O amigo era administrador do Grupo Lena, grupo envolvido em muitos negócios com o Estado, e era Carlos Santos Silva que, a partir de várias contas, incluindo em off-shores, pagava as despesas de Sócrates.

O Ministério Público aponta um elemento que solidifica a convicção de que o dinheiro não era na verdade de Silva, mas de Sócrates: o facto de Carlos Santos Silva ter pago as despesas de José Sócrates entre 2006 e 2015, num total de 12 milhões de euros.

Ou seja, Sócrates usaria o dinheiro como se fosse seu e o amigo comportava-se como se assim fosse de facto.

A informação mais vista

+ Em Foco

A Redação da RTP votou sobre as figuras e acontecimentos mais destacados, a nível nacional e internacional. Veja aqui as escolhas.

    O embaixador russo em Lisboa afirma, em entrevista à RTP, que as declarações e decisões de Donald Trump sobre Jerusalém podem incendiar todo o Médio Oriente.

    Rui Rosinha, bombeiro de Castanheira de Pêra, sofreu queimaduras de terceiro grau e esteve dez horas à espera de ser internado. Foi operado 14 vezes e regressou a casa ao fim de seis meses.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.