MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

| País
MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

A ver: MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

Nenhuma das contas sob investigação tem o nome de José Sócrates, mas o Ministério Público acredita que, para se proteger, o antigo primeiro-ministro Carlos Santos Silva como testa-de-ferro.

O amigo era administrador do Grupo Lena, grupo envolvido em muitos negócios com o Estado, e era Carlos Santos Silva que, a partir de várias contas, incluindo em off-shores, pagava as despesas de Sócrates.

O Ministério Público aponta um elemento que solidifica a convicção de que o dinheiro não era na verdade de Silva, mas de Sócrates: o facto de Carlos Santos Silva ter pago as despesas de José Sócrates entre 2006 e 2015, num total de 12 milhões de euros.

Ou seja, Sócrates usaria o dinheiro como se fosse seu e o amigo comportava-se como se assim fosse de facto.

A informação mais vista

+ Em Foco

Esta é uma das regiões mais geladas do mundo. E continua a aquecer a uma taxa mais rápida do que qualquer outro lugar da Terra.

    A descoberta acidental veio demonstrar que o animal poderá estar em perigo de extinção.

      Um grupo de astrónomos dos Estados Unidos descobriu que Júpiter tem mais 12 luas. O gigante gasoso tem agora 79 satélites naturais.

        No dia em que se assinala o centenário do nascimento de Nelson Mandela, o jornalista António Mateus recorda o legado do histórico líder sul-africano.