MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

| País
MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

A ver: MP aponta a Sócrates gastos de 12 milhões de euros em apartamentos, viagens e obras de arte

Nenhuma das contas sob investigação tem o nome de José Sócrates, mas o Ministério Público acredita que, para se proteger, o antigo primeiro-ministro Carlos Santos Silva como testa-de-ferro.

O amigo era administrador do Grupo Lena, grupo envolvido em muitos negócios com o Estado, e era Carlos Santos Silva que, a partir de várias contas, incluindo em off-shores, pagava as despesas de Sócrates.

O Ministério Público aponta um elemento que solidifica a convicção de que o dinheiro não era na verdade de Silva, mas de Sócrates: o facto de Carlos Santos Silva ter pago as despesas de José Sócrates entre 2006 e 2015, num total de 12 milhões de euros.

Ou seja, Sócrates usaria o dinheiro como se fosse seu e o amigo comportava-se como se assim fosse de facto.

A informação mais vista

+ Em Foco

Os dados do sistema de Informação de Fogos Florestais da União Europeia (EFFIS) indicam que só entre os dias 14 e 15 de outubro arderam em Portugal continental cerca de 200 mil hectares.

    Acionar o artigo 155 da Constituição espanhola representa um momento único na História de Espanha. O Governo de Madrid já definiu os setores que quer controlar de imediato.

    Impostos, orçamentos, metas para o próximo ano. A RTP descodifica a proposta de Orçamento do Estado apresentada pelo ministro das Finanças esta sexta-feira.

      Mário Centeno também deixou no ar a ideia de que, na discussão da especialidade do OE2018, seja posto um ponto final nos cortes do subsídio de desemprego.