Municípios portugueses estão "atrasados" no combate às alterações climáticas

por Antena 1

Foto: RTP

Uma investigação internacional revelou que apenas metade das cidades em todo o mundo estão a tomar medidas para combater e minimizar os efeitos das alterações climáticas. A Associação Ambientalista Zero diz que, em Portugal, "estamos atrasados" e que mais vale agir o quanto antes.

Francisco Ferreira da Zero alerta para o facto de haver muitas cidades que ainda estão atrasadas e não tomaram medidas para combater os fenómenos provocados pelas alterações climáticas.

"Estamos atrasados e quanto mais tempo demorarmos, mais caro nos irá sair", adverte.

Mais vale agir no imediato, contra as alterações climáticas, do que andar a correr atrás do prejuízo, segundo o ambientalista.

Um estudo internacional, revelado esta terça-feira por uma organização não governamental britânica, dá conta de que apenas metade das 600 cidades de todo o mundo que foram consultadas têm em curso um plano contra as alterações climáticas.

Os custos são inevitáveis, mas é possível minimizá-los. Por isso, a Zero pede mais rapidez na implementação de medidas para combater as alterações climáticas.

Este estudo internacional revela que centros urbanos como Lisboa, Porto, Braga, Cascais e Guimarães, já estão a sentir os efeitos deste fenómeno, que aumenta os riscos como inundações, calor extremo e secas severas.