Programa de rádio para dar voz e promover comunidade cigana de Belmonte

| País

Belmonte vai voltar a acolher um projeto que visa promover e integrar a comunidade cigana local e que terá como principal iniciativa a dinamização de um programa de rádio, foi hoje anunciado.

"O principal objetivo é dar voz à comunidade cigana de Belmonte, valorizar e dar a conhecer a cultura cigana e contribuir para a integração dos ciganos na sociedade. E este não será apenas um programa de rádio a falar sobre ciganos, mas sim um programa que também falará com os ciganos", afirmou em declarações à agência Lusa a coordenadora do projeto, Marisa Marques.

Com a denominação "SIM - Sensibilizar, Incluir e Mobilizar", este projeto tem como entidade promotora a "Beira Serra - Associação de Desenvolvimento Local" e avança com o apoio do Município de Belmonte, do Agrupamento de Escolas de Belmonte e envolverá na equipa técnica um membro da comunidade cigana.

Na apresentação daquela que será a segunda edição do projeto radiofónico, Marisa Marques especificou que a ideia é fazer um programa mensal de uma hora durante 12 meses, sendo que estão decorrer conversações no sentido de que o mesmo possa ser emitido na "Antena 1", de modo a que possa ir para além da emissão local e das redes sociais.

"A primeira edição mostrou-nos que é possível ir mais longe", apontou.

Segundo sintetizou, cada programa deve abordar uma temática específica relacionada com a cultura cigana, havendo também espaço para momentos musicais, entrevistas e convidados, entre os quais personalidades empenhadas no combate à discriminação ou figuras da comunidade cigana que se destaquem por histórias de vida singular.

A par disso, este projeto prevê ainda a realização de três fóruns subordinados ao tema da Saúde, Educação e Associativismo, bem como uma publicação com tiragem de 1.500 exemplares e que reunirá os principais momentos e resultados do programa de rádio.

Presente na cerimónia de apresentação, António Joaquim, que trabalha na autarquia local e que é um exemplo de integração, mostrou-se satisfeito com este projeto, deixando votos para que contribua para que as pessoas que não são ciganas possam deixar de lado os preconceitos.

"Espero que ajude as pessoas a perceberem que por sermos diferentes não temos de ser maus e pode ser que isso ajude a que alguns ciganos daqui também possam arranjar trabalho", apontou.

O presidente da Câmara de Belmonte, António Dias Rocha, destacou a importância do projeto para que os ciganos residentes no concelho sintam que fazem parte da sociedade local.

O autarca deste concelho do distrito de Castelo Branco, onde também reside uma das mais antigas comunidades judaicas do mundo, lembrou ainda que o programa pode contribuir para mostrar que Belmonte é efetivamente uma terra de tolerância e um exemplo da integração de diferentes culturas, religiões e credos.

O projeto "SIM - Sensibilizar, Incluir e Mobilizar" tem um orçamento total de 26.400 euros, 25 mil dos quais financiados pelo Alto Comissariado das Migrações e o restante pelo Município de Belmonte.

Tópicos:

Belmonte, Comissariado, Câa,

A informação mais vista

+ Em Foco

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Nas eleições primárias, alguns dos mais conceituados senadores democratas foram vencidos por candidatos mais jovens, progressistas e, alguns deles, socialistas.

      Em 1995, dois estudantes desenvolveram um motor de pesquisa. Dois anos depois, Andy Bechtolsheim passou um cheque no valor de 100 mil dólares. Nesse dia, fez-se história: a Google nasceu.

        A Austrália enfrenta a maior seca de que há memória, afetando agricultores e criação de gado.