Programa de rádio para dar voz e promover comunidade cigana de Belmonte

| País

Belmonte vai voltar a acolher um projeto que visa promover e integrar a comunidade cigana local e que terá como principal iniciativa a dinamização de um programa de rádio, foi hoje anunciado.

"O principal objetivo é dar voz à comunidade cigana de Belmonte, valorizar e dar a conhecer a cultura cigana e contribuir para a integração dos ciganos na sociedade. E este não será apenas um programa de rádio a falar sobre ciganos, mas sim um programa que também falará com os ciganos", afirmou em declarações à agência Lusa a coordenadora do projeto, Marisa Marques.

Com a denominação "SIM - Sensibilizar, Incluir e Mobilizar", este projeto tem como entidade promotora a "Beira Serra - Associação de Desenvolvimento Local" e avança com o apoio do Município de Belmonte, do Agrupamento de Escolas de Belmonte e envolverá na equipa técnica um membro da comunidade cigana.

Na apresentação daquela que será a segunda edição do projeto radiofónico, Marisa Marques especificou que a ideia é fazer um programa mensal de uma hora durante 12 meses, sendo que estão decorrer conversações no sentido de que o mesmo possa ser emitido na "Antena 1", de modo a que possa ir para além da emissão local e das redes sociais.

"A primeira edição mostrou-nos que é possível ir mais longe", apontou.

Segundo sintetizou, cada programa deve abordar uma temática específica relacionada com a cultura cigana, havendo também espaço para momentos musicais, entrevistas e convidados, entre os quais personalidades empenhadas no combate à discriminação ou figuras da comunidade cigana que se destaquem por histórias de vida singular.

A par disso, este projeto prevê ainda a realização de três fóruns subordinados ao tema da Saúde, Educação e Associativismo, bem como uma publicação com tiragem de 1.500 exemplares e que reunirá os principais momentos e resultados do programa de rádio.

Presente na cerimónia de apresentação, António Joaquim, que trabalha na autarquia local e que é um exemplo de integração, mostrou-se satisfeito com este projeto, deixando votos para que contribua para que as pessoas que não são ciganas possam deixar de lado os preconceitos.

"Espero que ajude as pessoas a perceberem que por sermos diferentes não temos de ser maus e pode ser que isso ajude a que alguns ciganos daqui também possam arranjar trabalho", apontou.

O presidente da Câmara de Belmonte, António Dias Rocha, destacou a importância do projeto para que os ciganos residentes no concelho sintam que fazem parte da sociedade local.

O autarca deste concelho do distrito de Castelo Branco, onde também reside uma das mais antigas comunidades judaicas do mundo, lembrou ainda que o programa pode contribuir para mostrar que Belmonte é efetivamente uma terra de tolerância e um exemplo da integração de diferentes culturas, religiões e credos.

O projeto "SIM - Sensibilizar, Incluir e Mobilizar" tem um orçamento total de 26.400 euros, 25 mil dos quais financiados pelo Alto Comissariado das Migrações e o restante pelo Município de Belmonte.

Tópicos:

Belmonte, Comissariado, Câa,

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Entrevista exclusiva à RTP do candidato à Presidência do Brasil.

    Numa entrevista exclusiva à RTP, Rodrigo Maia também diz que Portugal é uma inspiração para o que pretende fazer no Brasil.

    A RTP falou com os principais responsáveis e tentou perceber como é que os vários Estados se apoiam mutuamente, bem como a importância deste novo espaço em Portugal.