Proteção Civil alerta para burlões na cobrança de multas

| País
Proteção Civil alerta para burlões na cobrança de multas

Pedro Nunes - Lusa

A Protecção Civil alerta para a existência de burlões que podem estar a tentar cobrar multas pela falta de limpeza dos terrenos florestais. Houve um caso em Viana do Castelo, em que o burlão exigia o pagamento de uma coima através da transferência para um NIB, sob pena de o valor da multa duplicar.

Em declarações à Antena 1, o comandante Marco Rodrigues, do Comando Distrital de Viana dos Castelo, diz à Antena 1 o que se deve fazer caso alguém se faça passar por um elemento da Proteção Civil.

A Proteção Civil recomenda aos cidadãos para que estejam atentos à situação e que denunciem estes casos às autoridades.

"A Autoridade Nacional de Proteção Civil adverte os cidadãos para a eventualidade de poderem ser abordados por estranhos, que, agindo de má-fé e fazendo-se passar por elementos da proteção civil, visem burlar os desprevenidos, fazendo-os crer na existência de coimas em seu nome devidas pelo incumprimento das obrigações legais de limpeza dos terrenos florestais de que são proprietários", refere a ANPC num comunicado enviado à agência Lusa.

À Antena 1, Marco Rodrigues esclarece que a GNR é a única entidade a fazer cobrança de coimbas, mas que essa cobrança nunca será feita por telefone, mas antes através pelo envio de um ofício formal.

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma semana após a extinção do incêndio de Monchique, a televisão pública esteve no barlavento algarvio com uma emissão especial sobre o cíclico flagelo dos incêndios e as alterações climáticas.

    Fãs de Aretha Franklin homenagearam a icónica cantora norte-americana em várias cidades dos Estados Unidos. A rainha da Soul morreu na manhã de quinta-feira na sua casa em Detroit.

      Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

        Há uma nova rota turística pela cidade de Lisboa, baseada em memórias de lisboetas mais antigos. São beneficiários da Associação Mais Proximidade Melhor Vida.