Rapaz mordido por víbora em Penela está estável e a evoluir favoravelmente

| País

O rapaz de 11 anos que foi mordido por uma víbora, na terça-feira, em Penela, está "estável e a evoluir favoravelmente", informou hoje o Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC).

Filho de pais estrangeiros, residentes em Portugal há vários anos, o rapaz foi internado na Unidade de Cuidados Intensivos Pediátricos (UCIP) depois de ter sido mordido por uma víbora, na terça-feira, na zona da Pedra da Ferida, na Serra do Espinhal, em Penela.

Segundo o CHUC, o rapaz, de origem inglesa, deu entrada no serviço de urgência do Hospital Pediátrico "em choque, situação que exigiu intervenção de caráter intensivo a nível hemodinâmico do paciente, com tratamento adequado, prevenindo-se, assim, possíveis complicações graves".

O rapaz foi mordido na mão por uma víbora-cornuda (Vipera latastei) durante um passeio com o pai na Serra do Espinhal.

O CHUC informa que as víboras, como aquela que mordeu o menino, "são perigosas, podem representar risco de vida, havendo por isso a necessidade de recorrer com a máxima brevidade a uma unidade hospitalar".

Tópicos:

Hospitalar, Pedra Ferida Serra Espinhal, Penela,

A informação mais vista

+ Em Foco

Mação, que ardeu no mês passado, era apontado como o concelho modelo na prevenção de incêndios. Nada impediu que o fogo voltasse.

Dois anos depois do grande incêndio de Pedrógão, a floresta continua por ordenar e o Governo conta com pelo menos uma década para introduzir as mudanças necessárias.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.