Seis sindicatos de professores avançam com greve para dia 14

| País

Seis sindicatos de professores entregam hoje no Ministério da Educação um pré-aviso de greve para o dia 14, exigindo nomeadamente o descongelamento de carreiras e um regime especial de aposentação.

Os "seis sindicatos independentes" que assinam o pré-aviso (ASPL, PRÓ-ORDEM, SEPLEU, SIPE, SIPPEB e SPLIU) divulgaram a decisão em comunicado, no qual a justificam com a "ausência de respostas" a questões como condições e horários de trabalho bem definidos, combate à precariedade docente, e "maior eficácia, eficiência e humanismo no funcionamento dos agrupamentos de escolas e escolas não agrupadas".

Os dois maiores sindicatos de professores, FNE e Fenprof, anunciam também na tarde de hoje se vão ou não convocar uma greve, mas para o dia 21.

Hoje o secretário-geral da Federação Nacional da Educação (FNE) disse, após uma reunião com a tutela, que as respostas do Ministério da Educação são "claramente insuficientes" para evitar que a greve seja feita.

Também a Federação Nacional dos Professores (Fenprof) remeteu para hoje à tarde a decisão sobre a greve.

FNE e Fenprof anunciaram na quinta-feira a intenção de convocar uma greve para o dia 21, que ficou condicionada às conversações de hoje com o Governo.

Tópicos:

FNE,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.