Sociedade Portuguesa de Oncologia diz que exames não devem ser todos feitos no IPO

| País
Sociedade Portuguesa de Oncologia diz que exames não devem ser todos feitos no IPO

O Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia, Paulo Cortes, defende que alguns exames que são realizados no IPO podem também ser feitos noutros locais.

Paulo Cortes refere como exemplo os serviços de cuidados primários de Saúde.

Quem também refere algumas dificuldades é o presidente da Sociedade Portuguesa de Senologia.

Luís Sá admite que a situação que se vive no IPO de Lisboa acontece também em Coimbra e no Porto e até nos grandes hospitais centrais.


A sobrevida destas doentes está a aumentar e isso faz com que sejam muitas mais as mulheres que precisam de vigilância.

Luís Sá diz que é preciso falar com os doentes para que estes percebam que não correm riscos ao serem acompanhados nos centros de Saúde.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.

    Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

      Os novos desenvolvimentos no diferendo comercial entre os Estados Unidos e a China vieram lançar ainda mais dúvidas sobre os próximos passos que os dois lados poderão adotar.