Sociedade Portuguesa de Oncologia diz que exames não devem ser todos feitos no IPO

| País
Sociedade Portuguesa de Oncologia diz que exames não devem ser todos feitos no IPO

O Presidente da Sociedade Portuguesa de Oncologia, Paulo Cortes, defende que alguns exames que são realizados no IPO podem também ser feitos noutros locais.

Paulo Cortes refere como exemplo os serviços de cuidados primários de Saúde.

Quem também refere algumas dificuldades é o presidente da Sociedade Portuguesa de Senologia.

Luís Sá admite que a situação que se vive no IPO de Lisboa acontece também em Coimbra e no Porto e até nos grandes hospitais centrais.


A sobrevida destas doentes está a aumentar e isso faz com que sejam muitas mais as mulheres que precisam de vigilância.

Luís Sá diz que é preciso falar com os doentes para que estes percebam que não correm riscos ao serem acompanhados nos centros de Saúde.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

A presidente do CNAPN diz que a chave está nos líderes das mesquitas e pede mais apoio do Alto Comissariado para as Migrações.

    Marco Aurélio de Mello considera que a prisão de Lula da Silva, após condenação em segunda instância, viola a Constituição brasileira.

      Sintra podia ser uma "mini Davos". A sugestão foi feita informalmente por um dos académicos que participou na reunião do BCE concluída em 20 de junho.

        Dados revelados no Digital News Report de 2018 do Reuters Institute.