Telescola arrancou para 850 mil alunos até ao 9.º ano

por RTP
Pedro A.Pina - RTP

Mais de 850 mil alunos do 1.º ao 9.º ano contam a partir desta segunda-feira e durante o terceiro período com aulas através da televisão, e vão aprender com professores à distância. É o projeto #EstudoemCasa que vai ser transmitido na RTP Memoria.

As aulas, de meia hora, são transmitidas entre as 9h e as 18h, e podem ser vistas na televisão, através da TDT, na RTP Memória ou online na RTP Play.

O projeto envolve 112 docentes de escolas públicas, duas privadas e da ciberescola.

Esta manhã, o ministro da Educação esteve no estúdio da RTP onde são gravadas as aulas e afirmou que as famílias estão a aceitar bem a Telescola.

O feedback é muito positivo. Temos recebido muito bom retorno. Muitas famílias em casa com os seus mais pequenos a acompanhar o #EstudoemCasa”, realçou Tiago Brandão Rodrigues.

Para o governante a resposta do sistema educativo a esta pandemia tem sido “robusta e com uma intervenção muito positiva por parte dos professores e das comunidades educativas. E com uma interação positiva por parte das famílias”.

“Famílias que têm muitas vezes que compaginar aquilo que é teletrabalho, tão complexo com o trabalho dos mais pequenos”.

“Ninguém estava preparado. Não havia aviso para este surto epidemiológico. E estamos a tentar dar a melhor resposta”, sublinhou.

Segundo o governante “o #EstudoemCasa, através da RTP Memória vem dar uma resposta aos alunos que não têm a possibilidade de ter meios telemáticos, acaba por complementar”.

A grelha horária está disponível em https://www.rtp.pt/play/estudoemcasa/

“Se tivéssemos desistido dos nossos alunos. Todo o sistema de ensino e aprendizagem estivesse parado, teríamos três meses até ao fim do ano letivo sem ensino e depois mais três meses de verão, sem essa realidade.

O ministro da Educação reconheceu que “os dias de confinamento começam a ser muito longos”.

Temos por um lado de continuar a cumprir esse confinamento. Mas também cuidar dos mais jovens. O seu bem-estar (…) Temos de criar rotinas, para que os dias possam ser passados sem tantas complicações”, salientou.

Sobre a falta de interação entre professores e alunos, Tiago Brandão Rodrigues salientou que “as escolas estão a fazer um trabalho notável”.

“Os nossos professores têm estado a interagir com os seus alunos. E sabemos que a cada dia que passa tudo vai correndo melhor”, enalteceu.

Tiago Brandão Rodrigues elogiou o trabalho das escolas, da sociedade civil e das autarquias que estão a fazer chegar a alguns alunos o material (computadores e tablets).

Cada vez são menos os alunos, principalmente no básico, que não tenham meios telemáticos”.

Com base em dados do INE de 2019 sobre famílias com filhos com menos de 15 anos que vivem em habitações sem acesso à Internet, os economistas Hugo Reis e Pedro Freitas concluíram que, só no ensino básico, haverá cerca de 50 mil alunos nesta situação.

O ministro da Educação anunciou que em setembro, no início do novo ano letivo, todos os alunos do ensino obrigatório vão ter acesso a computadores.

Desde 16 de março que todos os estabelecimentos de ensino estão encerrados, por decisão do Governo para tentar controlar a disseminação do novo coronavírus.
Tópicos
pub