Vandalizado desenho paleolítico "Homem de Piscos" no Vale do Côa

| País

|

Uma das figuras mais emblemáticas do Vale do Côa - a representação de uma figura humana, com mais de 10 mil anos conhecida por “Homem de Piscos” - foi encontrada, pela equipa de arqueólogos locais, vandalizada. Foram riscados desenhos e letras sobre a pedra.

O diretor do parque arqueológico do Vale do Côa mostra-se chocado com esta situação. Em conversa com a jornalista da Antena 1 Ana Luisa Alves, António Martinho Batista exige que os atores deste “vandalismo” sejam responsabilizados.


A arte rupestre paleolítica, presente na ribeira de Piscos, é património mundial, motivo pelo qual o diretor do parque considera que deve ser preservada.

António Martinho Batista refere que o parque tem visitas públicas e comporta alguma vigilância, mas afirma que os constrangimentos financeiros impede que haja elementos suficientes para fazer a permanente vigia.

O diretor do parque arqueológico, no página do Museu do Côa no Facebook, descreve a indignação pelo ato e diz não compreender como é que ainda existem pessoas que não respeitam a história e o património presente no nosso país.

"A Fundação Côa Parque irá participar criminalmente junto do Ministério Público contra o inqualificável atentado de lesa-arqueologia e lesa-Património Mundial que a rocha 2 da Ribeira de Piscos acaba de sofrer", escreve a instituição.

"Com efeito, fomos ontem surpreendidos com a descoberta de novíssimas gravações de uma bicicleta, um humano esquemático e a palavra BIK apostas diretamente sobre o conhecidíssimo conjunto de sobreposições incisas do sector esquerdo daquele painel, onde, como é universalmente sabido, está o famoso "homem de Piscos", a mais notável das representações antropomórficas paleolíticas identificadas no Vale do Côa", lê-se ainda na nota.


Clique aqui para ver a imagem em grande

O Museu do Côa assinala ainda que se trata de um "conjunto de gravuras que sobreviveram intactas mais de 10.000 anos e que agora foram miseravelmente mutiladas pela ignorância de alguém que, esperamos, possa ser rapidamente identificado e exemplarmente punido".

"Classificada como Património Mundial desde 1998, este atentado mancha a região e é uma nódoa no certificado de qualidade, de conservação e de apresentação ao público que a Arte do Côa orgulhosamente ostenta e é por (quase) todos reconhecido", conclui a instituição.

A Fundação esclareceu já que vai avançar com uma queixa no Ministério Público.

Tópicos:

Gravura paleolítica, Vale do Coa, vandalismo, Homem de Piscos,

A informação mais vista

+ Em Foco

Pela primeira vez desde que assumiu o mandato, o secretário-Geral da ONU fala abertamente à RTP dos principais conflitos globais.

É até hoje a mais icónica das aventuras da exploração espacial. Há 50 anos, o Homem chegava à Lua à boleia da NASA. Percorrermos aqui todos os detalhes da missão, dia a dia.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.