António Vitorino sublinha papel da Alemanha na luta contra migrações ilegais

| Política

O diretor-geral da Organização Internacional das Migrações (OIM), António Vitorino, sublinhou hoje a importância da cooperação da Alemanha na luta contra a migração ilegal, justificando assim ter escolhido este país para a sua primeira visita oficial.

António Vitorino sublinhou, numa declaração conjunta com a chanceler alemã Angela Merkel, que a escolha da Alemanha como destino da sua primeira visita oficial desde que assumiu o cargo, não foi ao acaso.

"Fiz questão que fosse a Alemanha. Tem um impacto simbólico e serve também para mostrar as boas relações de cooperação que temos com a Alemanha e o papel de liderança que a Alemanha ocupa na União Europeia", realçou o ex-comissário europeu que assumiu a 01 de outubro o cargo de diretor-geral da OIM.

Por sua vez, Angela Merkel fez questão de sublinhar a importância do cargo, enfatizando que a Alemanha apoiou a candidatura de António Vitorino a diretor-geral da OIM. Por isso, Merkel afirmou ter ficado "muito feliz" com a escolha.

"O principal ponto no encontro desta tarde foi perceber como é que a Alemanha pode apoiar esta organização, o que podemos fazer melhor para ultrapassar os problemas, e melhorar a cooperação", expressou a chefe do governo alemão.

António Vitorino enfatizou a importância da Alemanha, acrescentando que "a questão das migrações é tão complexa e diversificada que nenhum país deve lidar com ela sozinho."

O ex-ministro português (1995-1997) e ex-comissário europeu (1999-2004), foi eleito, em 29 de junho, diretor-geral da OIM, cargo ocupado pelos Estados Unidos desde a criação da organização, em 1951, com uma única exceção, em 1960.

"O nosso objetivo é o mesmo: combater a migração ilegal, promover a ordem e a segurança na circulação migratória, abrir canais para promover as migrações laborais. Acredito que o pacto global para uma migração segura, regular e ordenada, que vai ser formalizado em Marraquexe, em dezembro, vai criar a oportunidade certa para que a comunidade internacional assuma responsabilidade sobre este tema que é tão importante", declarou António Vitorino.

Já Angela Merkel explicou que o pacto é "muito importante porque vai reduzir as migrações ilegais e dar fôlego e regular as migrações legais".

António Vitorino assume o cargo de diretor-geral da OIM numa altura em que os líderes dos 28 países da União Europeia alcançaram um acordo sobre a gestão da crise migratória, que prevê, entre outras medidas, a criação de centros de controlo nos Estados-membros, a possibilidade de estabelecer plataformas de desembarque em países terceiros e o reforço dos meios das agências de controlo das fronteiras externas.

Em 2015, no pico da crise dos refugiados, a Alemanha aceitou a entrada a quase um milhão de migrantes, na sua maioria de zonas de guerra como o Iraque, a Síria e o Afeganistão.

Tópicos:

Iraque, Migrações OIM, Vitorino,

A informação mais vista

+ Em Foco

Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.

    Em entrevista exclusiva à RTP, Flávio, um dos filhos de Jair Bolsonaro, afirmou que o candidato do PT Fernando Haddad devia juntar-se a Lula da Silva.

    Na Venezuela, os sequestros estão a aumentar. Em Caracas, só este ano foram raptadas 107 pessoas.

      Faltam seis meses para a saída do Reino Unido da União Europeia. Dia 29 de março de 2019 é a data para o divórcio. A RTP agrega aqui uma série de reportagens sobre o que o Brexit pode significar.