Autárquicas 2021. Évora

por RTP
Foto: RTP | Grafismo: RTP

Conheça os candidatos, os números do concelho e os resultados das últimas eleições autárquicas de 2017.

Na contagem decrescente para as Eleições Autárquicas, que terão lugar no final do mês de setembro, a RTP realiza um ciclo de 22 debates. Reveja aqui o debate de Évora na íntegra.
Candidatos à Presidência da Câmara
Carlos Magalhães – Chega

Carlos Magno Magalhães, 50 anos, Oficial de Justiça em Évora é o cabeça de lista do CHEGA pelo círculo eleitoral de Évora. É líder da distrital do Chega e é ex-militante do CDS-PP.

O candidato, presidente da Comissão Política Distrital de Évora do Chega desde fevereiro de 2020, é natural de Huambo, em Angola, e reside em Évora há mais de 40. É conselheiro nacional e foi cabeça-de-lista do Chega pelo círculo eleitoral de Évora nas eleições legislativas de 2019.

Carlos Magno Magalhães sucedeu a Humberto Baião como candidato à presidência da Câmara Municipal, já que Baião saiu da corrida autárquica alegando divergências com o partido.

Carlos Pinto de Sá – CDU

Carlos Pinto de Sá tem 59 anos. Está na autarquia de Évora há oito anos, com dois mandatos em que conquistou maioria absoluta. Tinha estado em Montemor-o-Novo em cinco mandatos consecutivos, ou seja, 19 anos, sempre com maioria. É membro do PCP desde 1974.

Foi fundador da Associação de Estudantes da Universidade de Évora, é professor de Economia na Universidade de Évora.

Foi presidente da GESAMB e do Conselho Fiscal da Associação Nacional de Municípios, foi membro do Conselho Nacional da Reserva Ecológica Nacional. É membro do Comité das Regiões da União Europeia e é presidente da Câmara Municipal de Évora.

Florbela Fernandes – Movimento Cuidar de Évora (Nós, Cidadãos e RIR)

Florbela Fernandes tem 49 anos e foi militante do PS. Natural de Évora assistente social, com pós-graduação em Gestão da Qualidade dos Serviços Municipais e Freguesias e em Administração Social, técnica da Câmara de Évora, é chefe de divisão da Cultura na Câmara de Beja.

Foi chefe de divisão nas câmaras de Évora e de Viana do Alentejo, adjunta do gabinete de apoio da Governadora Civil de Évora e técnica especialista do gabinete da secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade.

É a única mulher a liderar uma lista à Presidência da autarquia de Évora.

José Gabriel Calixto – PS

José Calixto tem 57 anos e é economista. Era até agora presidente da Câmara Municipal de Reguengos de Monsaraz, autarquia que liderou durante 12 anos e à qual não se podia voltar a candidatar. Já antes tinha sido vice-presidente dessa autarquia durante um mandato.

Morou em Évora durante uma década e meia.

A partir de 1988, trabalhou 17 em empresas, enquanto economista, em Lisboa (Banco de Fomento Nacional e Grupo Entreposto) e em Évora, entre 2004 e 2005, altura na qual foi o responsável pela criação da empresa municipal Habévora.

Licenciado em Economia, tem pós-graduações em Estudos Europeus e Gestão.

Em 1989, assumiu o cargo de (primeiro) Presidente do CEDRA – Centro de Estudos e Desenvolvimento da Região Alentejo, esteve ligado à criação da EPRAL – Escola Profissional da Região Alentejo, e é, atualmente, Presidente do Conselho Fiscal da Fundação Alentejo, Instituição proprietária da EPRAL.

Entre 2009 e 2021, por inerência da sua eleição autárquica teve várias missões de âmbito regional, entre elas Presidente do Conselho Regional do Alentejo (CCDR-A) e presidente e Vice-Presidente do Conselho Intermunicipal da CIMAC - Comunidade Intermunicipal do Alentejo Central e presidente do Conselho de Administração da ADRAL - Agência de Desenvolvimento Regional do Alentejo.

José Henrique Sim-Sim – Évora Mudar com Confiança (PSD, CDS-PP, MPT, PPM)

Henrique Sim-Sim tem 48 anos, eborense. É presidente da concelhia do PSD desde 2020 e é militante desde 2009.

É Licenciado em Engenharia Zootécnica pela Universidade de Évora, concluiu o Curso de Mestrado componente curricular em Relações Internacionais e Estudos Europeus e o curso INSEAD - Social Entrepreneurship Programme.

É atualmente quadro da Fundação Eugénio de Almeida e trabalhou anteriormente na Associação de Desenvolvimento Local “Terras Dentro”. É Presidente da Alentejo de Excelência (2015-2021). Entre Novembro de 2015 e Outubro de 2016, integrou a Estrutura de Missão Portugal Inovação Social, iniciativa pública no âmbito do Portugal 2020, representando a mesma no Alentejo.

Nas autárquicas de 2017 é cabeça de lista à União de Freguesias de Évora (Centro Histórico), tendo sido eleito para a sua Assembleia de Freguesia. Em 18 de Setembro de 2020, é eleito Presidente da Comissão Política da Secção de Évora e em integra a Comissão Política Distrital de Évora liderada por Sónia Ramos, ocupando o cargo de vogal efetivo.

Raul Rasga – Bloco de Esquerda

Raul Rasga é natural de Évora, tem 50 anos, e é licenciado em História, com uma pós-graduação em Bibliotecas, Arquivos e Ciência da Informação.

O candidato bloquista é professor do ensino secundário, com carreira no ensino profissional.
Entra nas listas do Bloco como independente. Foi militante do PS, partido pelo qual foi eleito para a Junta de Freguesia de Santo Antão em anteriores eleições autárquicas.

Raul Rasga foi jornalista e participou em vários projetos europeus nas áreas da educação e formação profissional e num projeto em Angola e na Associação de Pais e Encarregados de Educação da Escola Básica de São Mamede, em Évora.
Évora em números:
População: 53 568 (- 5,4% em relação a 2011)
Número de eleitores: 46 839
Desemprego: 5,7%
Setor com mais trabalhadores: Indústria (20,3%)
Rendimento médio mensal: 1 122€
Notas metodológicas:
A RTP reuniu os dados de cada concelho capital de distrito no que diz respeito à população residente, rendimento médio mensal, setores dominantes na economia e taxa de desemprego. Para além destes concelhos, damos destaque a outros quatro concelhos por decisão editorial. São eles: Almada, Amadora, Figueira da Foz e Odemira.
Nos casos de Odemira, Faro e Lisboa, por terem um número elevado de estrangeiros residentes, incluímos também a percentagem de cidadãos estrangeiros no total da população.
A nível da população, conta o número absoluto de pessoas apurado no Censos 2021 e a variação percentual em relação ao Censos anterior (2011). Já o número de eleitores diz respeito a junho de 2021, conforme consta em Diário da República n.º116/2021, Série de 2021-06-17.
Quanto ao rendimento médio mensal, contabiliza-se o valor em euros do rendimento dos trabalhadores por conta de outrem em 2019. Para efeitos de comparação, a média nacional era de 1.206€, mas apenas seis concelhos analisados igualam ou estão acima desse valor.
Em relação ao setor com mais trabalhadores, é apresentado nesta infografia o que obteve a percentagem mais elevada de respostas por concelho, ou seja, aquele que em cada concelho emprega mais pessoas. Os dados são relativos a 2019, mas refletem a tendência dos últimos anos.
Contamos ainda com os dados do desemprego, com a percentagem de desempregados inscritos no IEFP em 2020. Para comparação, a percentagem nacional foi de 5,8 por cento.
Por fim, lembramos também os resultados de há quatro anos, nas Eleições Autárquicas de 1 de outubro de 2017.
Fontes: INE, PORDATA, IEFP, Secretaria-Geral da Administração Interna

Tópicos
pub