Lusa e Social Data Lab lançam segunda-feira `site` dedicado às legislativas

por Lusa

A agência Lusa e a Social Data Lab lançam na segunda-feira um `site` dedicado às legislativas de 06 de outubro que permitirá acompanhar resultados, consultar o histórico de votações ou fazer análises tendo em conta fatores económicos ou demográficos.

O EyeData Legislativas 2019, disponível no endereço https://legislativas2019-lusa.socialdatalab.pt/, estará dividido em quatro partes: "Caracterização dos Círculos Eleitorais", "Atualização permanente e extrapolação dos resultados das Legislativas de 2019", "Relacionamento dos resultados com indicadores socioeconómicos e demográficos" e "Resultados de eleições anteriores e `Curiosidades`".

Em relação aos 20 círculos eleitorais (18 distritos e duas regiões autónomas), são apresentados textos realizados por jornalistas da Lusa que sintetizam dossiês e problemas marcantes em cada um dos círculos, além de uma caracterização com dados estatísticos.

O `site` permitirá acompanhar em tempo real o resultado das eleições, disponibilizando dados sobre número de eleitores, votos brancos e nulos, concelhos, freguesias e consulados apurados, abstenção, bem como resultados por partido aos níveis nacional, distrital e concelhio, com indicação de percentagens de votos e do número de deputados eleitos.

Além de uma comparação com os resultados de 2015, é disponibilizada uma `projeção` dos resultados de 2019 calculada da seguinte forma: à medida que as freguesias forem sendo apuradas, e comparando os resultados dessas freguesias em 2019 com o que elas obtiveram em 2015, existirá uma extrapolação para o resultado final da eleição, assumindo que as freguesias não apuradas apresentam a mesma evolução das apuradas.

Quanto a indicadores e resultados, esta parceria entre a Lusa e a Social Data Lab apresenta dezenas de variáveis (nos temas Ambiente e Sustentabilidade; Demografia; Economia e Trabalho; Educação, Ciência e Tecnologia; Política e Sociedade), e permite relacionar esses indicadores com os resultados eleitorais de determinado partido, também aos níveis nacional, distrital ou concelhio.

Por último, o EyeData Legislativas 2019 apresenta um conjunto de curiosidades relacionadas com a noite eleitoral, como a freguesia ou o concelho com maior/menor taxa de abstenção, a primeira derrota/primeira vitória de um partido em determinado concelho ou distrito, ou concelhos onde um partido ficou à frente de outro pela primeira vez.

Para a diretora de Informação da Lusa, Luísa Meireles, estas ferramentas podem e devem ser exploradas por qualquer um que visita o `site` da Lusa (www.lusa.pt), "seja ou não profissional da informação ou um cidadão meramente curioso".

"Só este aspeto é parte do serviço público que a Lusa se orgulha de prestar e, de preferência, cada vez melhor. O EyeData existe para ser explorado por todos nós. Este ano, as eleições legislativas também podem ter um enfoque diferente, como a Lusa já pôde comprovar. Os nossos textos, feitos distrito a distrito e agora disponíveis neste `site`, foram úteis e pedagógicos para nós, jornalistas, como também o serão para eleitores e futuros eleitos", afirmou.

Luís Valente Rosa, da Social Data Lab, sublinha que se vive numa época caracterizada "pela enorme quantidade de dados estatísticos disponíveis e pela também enorme quantidade de dados, ou `factos`, falsos".

"Torna-se assim imperioso procurar e conhecer a informação mais relevante e mais fiável. O EyeData Eleições Legislativas 2019 visa utilizar a informação e as ferramentas do EyeData na análise dos resultados, num formato que nunca existiu em Portugal, e que irão ser disponibilizados ao longo da noite eleitoral de 06 de outubro", disse o responsável.

A Social Data Lab dedica-se à produção, recolha, análise, apresentação e projeção estatística da informação, sendo autora do EyeData, que apresenta informação detalhada sobre Portugal e os seus concelhos, Portugal na União Europeia e Portugal no mundo, com mais de 60 variáveis que permitem ilustrar realidades económicas, sociais ou culturais.

O EyeData permite ainda relacionar todos esses indicadores entre si, de modo a perceber a intensidade da sua interligação.

Mais de 10,8 milhões de eleitores residentes em território nacional e no estrangeiro serão chamados a votar nestas eleições legislativas, elegendo os 230 lugares de deputados da Assembleia da República para a próxima legislatura.

O número de eleitores é de 10.811.436, mais cerca de 1,1 milhões do que nas anteriores legislativas, em 2015, devido ao recenseamento automático no estrangeiro. São 21 as forças políticas a ir a votos.

Tópicos