Presenças-fantasma. Duas deputadas do PSD constituídas arguidas

por RTP
O Parlamento aprovou o levantamento da imunidade parlamentar das duas deputadas, suspeitas no processo das falsas presenças António Cotrim - Lusa

As deputadas do PSD Maria das Mercês Borges e Emília Cerqueira foram constituídas arguidas no caso das denominadas presenças-fantasma no Parlamento, apurou esta sexta-feira a RTP.

A Assembleia da República aprovou o levantamento da imunidade parlamentar das duas deputadas, suspeitas no processo das falsas presenças.

Mercês Borges e Emília Cerqueira validaram as presenças dos colegas de bancada José Silvano e Feliciano Barreiras Duarte, atual e antigo secretário-geral do PSD.

Barreiras Duarte e Silvano foram arrolados como testemunhas no processo e foi-lhes também levantada a imunidade parlamentar.

Feliciano Barreiras Duarte é ainda arguido num outro caso referente à adulteração do currículo académico.

A RTP contactou José Silvano, que confirmou a sua condição de testemunha.

Em comunicado, o deputado social-democrata sublinha que "a inquirição como testemunha apenas é possível por não existirem indícios da prática de qualquer crime".

"Aguardo, por isso, com toda a normalidade e confiança na Justiça, o decurso do inquérito, onde prestarei as declarações que são públicas com vista ao apuramento da verdade", prossegue José Silvano, que se diz ainda "convicto de que ficará provado" que não registou ou mandou que registassem a sua presença na Assembleia da República, nem recebeu "qualquer benefício económico resultante deste ato".
Tópicos