Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, ao minuto, o encontro do Grupo B entre Itália e Albânia

Sondagem. Portugueses dão a pior avaliação a Marcelo em oito anos

por Mariana Ribeiro Soares - RTP
Pedro Nunes - Reuters

Pela primeira vez, os portugueses dão nota negativa ao presidente da República. Na sondagem da Universidade Católica para a RTP, Antena 1 e Público, divulgada esta quinta-feira, os inquiridos avaliam o mandato de Marcelo Rebelo de Sousa abaixo dos dez valores. Luís Montenegro, por sua vez, foi avaliado de forma positiva por 75% dos portugueses, com uma avaliação média de 11,3.

Questionados sobre como avaliam este segundo mandato de Marcelo, 60% dos inquiridos deu uma nota positiva (igual ou superior a 10) ao chefe de Estado. No entanto, pela primeira vez desde que chegou ao Palácio de Belém, a avaliação média do presidente da República ficou abaixo de 10 (9,4), numa escala de 0 a 20.

Esta é a pior avaliação de Marcelo Rebelo de Sousa em oito anos. Numa sondagem realizada em novembro de 2016, ainda no primeiro ano do seu primeiro mandato, o presidente da República foi avaliado positivamente por 97% dos inquiridos, tendo recebido uma avaliação média de 16,3 – a mais elevada das sondagens da Católica desde que há registos.

Em maio de 2021, no seu primeiro ano do segundo mandato, o presidente mantinha os elevadíssimos níveis de popularidade. Seguiu-se um período de descida, mas mantendo sempre avaliações médias positivas, e nova subida há pouco menos de um ano.

Apesar da descida, a avaliação de Marcelo é, ainda assim, significativamente superior à de Cavaco Silva em idêntico período do segundo mandato. Em outubro de 2014, o antigo presidente recebeu dos portugueses uma avaliação média de 7,6, com apenas 46% de avaliação positivas.
Montenegro avaliado positivamente por 75% dos inquiridos
Os inquiridos para a sondagem da CESOP – Universidade Católica Portuguesa também foram questionados sobre a avaliação que dão ao primeiro-ministro e aos líderes dos partidos com representação parlamentar relativamente à forma como têm atuado nos últimos tempos.

Luís Montenegro foi o que recebeu melhor nota por parte dos portugueses, com 75% de avaliações positivas. Numa escala de 0 a 20, o primeiro-ministro recebeu uma avaliação média de 11,3.Em julho de 2023, a popularidade de Luís Montenegro era menor, com 65% de avaliações positivas. Por sua vez, no mesmo período, o então primeiro-ministro, António Costa, tinha recebido uma avaliação média de 10,2, com 62% de avaliações positivas.

Pedro Nuno Santos e Rui Tavares também receberam uma boa avaliação, com 61% e 60% de avaliações positivas, respetivamente.

Em lado oposto está André Ventura, que foi avaliado negativamente por 62% dos entrevistados. O líder do Chega recebeu uma avaliação média de 7,1.


Inês Sousa Real e Paulo Raimundo também receberam mais notas negativas do que positivas (43% e 44%, respetivamente). Todos os outros tiveram maioria de avaliações iguais ou superiores a 10, mesmo quando o valor médio das notas é inferior a 10.

Ficha Técnica:

Este inquérito foi realizado pelo CESOP – Universidade Católica Portuguesa para a RTP, Antena 1 e Público entre os dias 13 e 18 de maio de 2024. O universo alvo é composto pelos eleitores residentes em Portugal. Os inquiridos foram selecionados aleatoriamente a partir duma lista de números de telemóvel, também ela gerada de forma aleatória. Todas as entrevistas foram efetuadas por telefone (CATI). Os inquiridos foram informados do objetivo do estudo e demonstraram vontade de participar. Foram obtidos 965 inquéritos válidos, sendo 43% dos inquiridos mulheres. Distribuição geográfica: 32% da região Norte, 21% do Centro, 33% da A.M. de Lisboa, 7% do Alentejo, 4% do Algarve, 2% da Madeira e 1% dos Açores. Todos os resultados obtidos foram depois ponderados de acordo com a distribuição da população por sexo, escalões etários, região e comportamento de voto com base nos dados do recenseamento eleitoral e das últimas eleições legislativas. A taxa de resposta foi de 28%*. A margem de erro máximo associado a uma amostra aleatória de 965 inquiridos é de 3,2%, com um nível de confiança de 95%.

*Foram contactadas 3439 pessoas. De entre estas, 965 aceitaram participar na sondagem e responderam até ao fim do questionário.
pub