Dependência dos videojogos vai ter consultas próprias

| Saúde
Dependência dos videojogos vai ter consultas próprias

Os casos graves de dependência de videojogos, em especial de adolescentes e jovens, vão ser acompanhados em consultas especializadas que vão ser criadas nos Centros de Respostas Integradas em Comportamentos Aditivos e Dependências espalhadas pelo país.

É o que avança à Antena 1 Graça Vilar, a Diretora do SICAD - Serviço de Intervenção nos Comportamentos Aditivos e nas Dependências, que aponta para uma tendência crescente destas situações.

Por apurar estão dados sobre a prevalência do vício de videojogos no país. Dados de um inquérito de 2015, apontavam para 20 por cento dos jovens portugueses que utilizavam a internet para jogar de forma regular.

Poucas semanas depois desta dependência ter passado a ser classificada como doença pela Organização Mundial de Saúde, está em marcha uma reorganização das Equipas dos Centros de Respostas do SICAD, para poder avançar esse apoio no Serviço Nacional de Saúde para casos referenciados por médicos de família, pediatras e pedopsiquiatras.

Em causa estão situações mais complexas que não são ultrapassadas numa primeira frente de apoio, a começar pela família.

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

    Entrevista Olhar o Mundo a um dos autores e investigadores militares mais reconhecidos do mundo anglo-saxónico.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.