Posição Corrente: minutos e segundos
Ir para o Minuto:
Play - Bem-vindos a Beirais

Bem-vindos a Beirais (II)

Três casamentos e um funeral | 24 Fev, 2014 | Episódio 80

A carrinha funerária encontra-se junto à igreja e são muitas as pessoas que saem da igreja. Manel diz a Fernando que foi uma cerimónia bonita e dá-lhe os seus sentimentos. Manel sabe que Fernando está a fazer uma postura de "duro", mas sabe que ele está magoado. Fernando refere que é óbvio que está magoado pois foi a sua mulher Cristina que morreu. Fernando não faz questão de acompanhar o cortejo e nem sequer entrou na missa porque acha que não merece. Manel tenta confortá-lo e diz que Cristina deixou o seu filho Domingos com Fernando e que isso talvez signifique alguma coisa. Fernando está muito angustiado porque cresceu sem pai e ficou revoltado e agora é o seu filho que vai crescer sem mãe e tem receio que ele também fique revoltado. Manel deixa um conselho a Fernando e diz-lhe que todas as crianças precisam de amor e que está na hora de ele libertar toda a raiva que sente. Na agência funerária, Moisés olha para a fotografia de Cristina. Moisés está de rastos com a morte de Cristina e Joaquim diz-lhe que se ele quiser pode ficar a descansar e pede ajuda a outra pessoa para fazer o enterro. Moisés refere que Cristina ia gostar que ele estivesse presente no seu último momento. Moisés sente que podia ter ajudado mais Cristina quando ela estava viva e Joaquim diz-lhe que foi graças a ele que ela saiu de casa e encontrou uma nova vida. Moisés continua desolado pois apesar de ela ter encontrado uma nova vida, a doença roubou-lhe a vida. Joaquim reconforta-o dizendo que essa nova vida a fez libertar do medo e que Moisés também foi o responsável por essa felicidade de Cristina. No minimercado, Sandro, Xana e Alzira comentam a morte de Cristina. Todos se sentem tristes pelo sucedido e Xana diz que até se sente mal por se casarem já na próxima semana. Sandro refere que não é só o casamento deles, mas sim logo três casamentos. Alzira refere que Cristina iria ficar feliz com os casamentos e que eles não têm que se sentir mal por isso. Na Junta de freguesia, Diogo está a falar ao telefone entusiasmado. Ele desliga o telefone e partilha com São que Beirais já é uma zona protegida. São dá-lhe os parabéns pois a aldeia está finalmente livre de uma possível barragem. Diogo vai anunciar a novidade depois do casamento dos noivos pois não quer roubar a "ribalta" das noivas. Marina insiste com Pedro que tem que ser ele o rapaz das alianças. Pedro nem quer ouvir Marina pois não lhe agrada a ideia. Luís tenta convencer Pedro a levar as alianças pois eles precisam da sua bênção. Quando Pedro percebe que isso é um acto importante, ele fica feliz e Marina emociona-se. Susana está nervosa com o casamento que já está muito perto. Susana vai olhando para vários papéis com esquemas de mesas. Ela começa a desesperar porque acha que está a fazer tudo errado e Olga pede-lhe para ela ter calma. Susana diz-lhe que não consegue ter calma pois vai ter que refazer tudo e os casamentos são já amanhã. Olga pergunta-lhe se com três casais, não há ninguém que a ajude. Entretanto, Nuno entra e refere que Susana quis tratar de tudo sozinha. Eles acabam por discutir pois Nuno ficou de tratar das flores e Nuno refere que não se lembra de ela lhe ter pedido para tratar das flores. Olga diz a Susana que está ela a tratar das flores e que está tudo a ser tratado. Na casa de turismo, Clara diz a Rita que ela tem que ver o vestido de Xana pois está muito bonito. Xana refere que foi Sandro quem fez o vestido. Xana vai passar a noite na casa de turismo e começa a contar alguns pormenores do casamento às sócias. De repente, entra João com uma mala de viagem e um grande sorriso. Rita fica admirada por o ver ali e pergunta-lhe o que é que ele está ali a fazer. João refere que isso não são maneiras de receber o pai da filha dela. Ela pergunta-lhe se Inês sabe que ele vinha a Beirais e João diz-lhe que não pois é uma surpresa. João refere que veio a Beirais para os casamentos e Rita pergunta-lhe se ele foi convidado e João diz que não, mas que o convite deve ter ficado perdido. Diogo Almada, um bem sucedido gestor de contas numa empresa de telecomunicações confronta-se com problemas graves de stress e ansiedade, originados pela constante pressão em que vive. A situação piora quando sofre um ataque cardíaco. No hospital, é alertado para o risco que corre: se não abrandar o ritmo, poderá vir a ter graves consequências. Numa tentativa de reaver a sua qualidade de vida, Diogo muda-se para a pequena aldeia de Beirais, em Vila Real arriscando uma nova vida como agricultor. No entanto, a sua namorada Teresa recusa deixar Lisboa e a sua carreira e, mesmo assim, Diogo prossegue com os seus planos.