Tudo em aberto na futura governação de Portugal

por Nuno Rodrigues

foto: Miguel A. Lopes - Lusa

Depois dos resultados eleitorais terem dado a vitória, sem maioria absoluta, a PSD e CDS-PP, a Antena 1 recebeu representantes dos partidos políticos para perspetivar o próximo ciclo político, em Portugal.

O que fará o Presidente da República depois de os portugueses terem repartido o número de votos pelas diversas forças políticas representadas na Assembleia da República?

Cecília Meireles, do CDS, Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, Teresa Leal Coelho, do PSD, António Filipe, do PCP, e Correia de Campos, do PS, estiveram na Antena 1 para um debate com moderação do jornalista Nuno Rodrigues. Discutiram diferentes ideias e posições.

A social-democrata Teresa Leal Coelho afirma que quem ganha as eleições deve formar governo. A deputada diz que a vitória foi inequívoca, embora sem maioria.

Cecília Meireles, do CDS, afina pelo mesmo diapasão. Diz que não é a primeira vez que em Portugal acontece tal votação.

Para Marisa Matias, do BE, o Presidente da República deve agir em conformidade com a Constituição.

Para a representante bloquista, Cavaco Silva não deve esquecer que, para haver um governo de minoria, tem de haver quem o viabilize.

António Filipe, do PCP, diz que o Chefe de Estado tem de avaliar todos os cenários e o próximo governo vai ter de nascer de uma correlação de forças. Refere o representante comunista que PSD e CDS estão reféns do PS e vice-versa.

Correia de Campos, do PS, explica que quem ganha deve formar governo, mas também que a bola está do lado do governo minoritário. Para o antigo ministro da Saúde, “são eles que têm de recorrer a muitos talentos de que se esqueceram”: “Os partidos da coligação é que têm de ter a iniciativa de negociação”.