Afinal Riade diz que não sabe o que aconteceu no consulado saudita

| Mundo

O secretário de Estado norte-americano Mike Pompeo esteve esta terça-feira na Arábia Saudita e viaja na quarta-feira para a Turquia para discutir o caso Khashoggi
|

O príncipe Mohammed bin Salman garantiu esta terça-feira ao Presidente norte-americano que não sabe o que se passou no consulado saudita em Istambul. Em conversa telefónica com Donald Trump, o príncipe saudita revelou ainda que já foi iniciada uma investigação para apurar o que aconteceu ao jornalista Jamal Khashoggi, desaparecido há duas semanas.

“Acabei de falar com o príncipe saudita, que disse não ter qualquer conhecimento do que aconteceu no seu consulado na Turquia”, escreveu Donald Trump no Twitter.


“O príncipe estava com o secretário de Estado Mike Pompeo durante o telefonema, e disse-me que já começou e vai ampliar rapidamente uma investigação completa e aprofundada sobre esta matéria. Haverá respostas em breve”, acrescentou o Presidente norte-americano.



Mike Pompeo viajou esta terça-feira até Riade para estar reunido com o rei Salman bin Abdelaziz da Arábia Saudita e com o príncipe herdeiro, Mohammed bin Salman, na sequência da crise aberta nas últimas semanas com o desaparecimento de Jamal Khashoggi. Já esta quarta-feira, o secretário de Estado continua o périplo e viaja até à Turquia para estar reunido com as autoridades daquele país. 

A informação hoje veiculada pelo Presidente norte-americano não corresponde com o que tinha sido avançado na segunda-feira pela CNN, que confirmava que o Governo de Riade estaria já a preparar um comunicado, explicando que a morte do jornalista teria resultado de um interrogatório que "correu mal".

Khashoggi era um crítico acérrimo do príncipe herdeiro Mohammed bin Salman e do regime, tendo escrito vários artigos de opinião desfavoráveis à coroa saudita para o jornal norte-americano The Washington Post ao longo dos últimos anos.

O jornalista desapareceu a 2 de outubro e foi visto pela última vez a dar entrada no consulado saudita em Istambul, onde se dirigiu para tratar de documentação.

De acordo com um responsável turco em declarações esta terça-feira à estação televisiva CNN, o corpo do jornalista terá sido desmembrado após o assassinato no consulado saudita. Já na semana passada, os investigadores turcos confirmam que estão na posse de registos áudio que comprovam que o jornalista foi morto no próprio consulado por agentes sauditas.

Ainda esta terça-feira, o Presidente turco Recep Tayyip Erdogan denunciou uma alegada adulteração de provas no consulado saudita, depois de uma inspeção ao consulado por parte das autoridades turcas, que decorreu ao longo de nove horas.

Numa altura em que os desenvolvimentos do caso surgem a uma velocidade vertiginosa, sabe-se igualmente que decorriam buscas na casa do cônsul saudita em Istambul, Mohammad al-Otaibi, esta terça-feira ao início da noite. Isto no mesmo dia em que o cônsul decidiu deixar a Turquia e viajar até à Arábia Saudita, segundo fontes diplomáticas citadas pela agência Andalou. 

Tópicos:

Arábia Saudita, Estados Unidos, Turquia, Jamal Khashoggi,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A menos de 100 quilómetros da fronteira com a Síria, a cidade turca de Gaziantep é uma terra de tradições e sabores.

      Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.