Apagão na Moldova após novos ataques russos na Ucrânia

por Joana Raposo Santos - RTP
Por estar ligada ao sistema energético ucraniano, a Moldova sofreu apagões em grande escala, incluindo na capital. Dumitru Doru - EPA

O sistema elétrico da Moldova está a sofrer perturbações após vários ataques de mísseis russos contra a Ucrânia, avançou esta segunda-feira a empresa de energia Moldelectrica. Já em Kiev, cerca de 40 por cento do território está sem eletricidade.

“A Moldelectrica relata interrupções no sistema elétrico. Existe a possibilidade de desconexões”, escreveu a empresa no Facebook.

Moscovo continua a atingir as infraestruturas de energia da Ucrânia e, agora, as autoridades policiais na vizinha Moldova disseram ter encontrado fragmentos de mísseis no seu território, junto à fronteira.

Na região ucraniana de Zaporizhia, pelo menos duas pessoas morreram e várias habitações ficaram destruídas devido aos ataques, avançou entretanto o gabinete presidencial de Volodymyr Zelensky.

Os mísseis russos atingiram também as regiões de Kiev e Vinnytsia, no centro da Ucrânia, assim como Odessa, no sul, e Sumy, a norte.

A Ukrenergo, operadora do sistema de transmissão de eletricidade da Ucrânia, avisou que o país está a sofrer o oitavo ataque maciço russo às suas infraestruturas energéticas.

Já o governador da capital avançou esta segunda-feira que 40 por cento de Kiev está sem eletricidade. Oleksiy Kuleba louvou ainda o trabalho das forças aéreas de defesa, que terão derrubado mais de seis dezenas dos 70 mísseis disparados por Moscovo num só dia, evitando assim “consequências críticas”.

Segundo Volodymyr Zelensky, os trabalhadores do setor energético já começaram a restaurar o fornecimento.
Moldova intensifica patrulhas na fronteira
A Ucrânia tem sido alvo de grandes ataques às infraestruturas de energia. Por estar ligada ao sistema energético ucraniano, a Moldova sofreu apagões em grande escala, incluindo na capital, Chisinau, sobretudo desde 23 de novembro.

O país já havia registado perturbações no fornecimento elétrico a 15 de novembro, quando a Rússia levou a cabo o maior ataque à rede ucraniana desde o início da ofensiva, em fevereiro.

Também esta segunda-feira, perto da cidade moldava de Briceni, junto à fronteira com a Ucrânia, foi descoberto um míssil não detonado, relatou o Ministério da Administração Interna da Moldova.

O projétil foi descoberto por uma patrulha da polícia de fronteira, que, devido aos bombardeamentos russos desta segunda-feira, intensificou o nível de alerta.

De acordo com os planos de ação do Ministério da Administração Interna de Chisinau, a Polícia de Fronteira intensificou as patrulhas e elevou o nível de alerta na área de Briceni e Ocnita, no norte da Moldova.

A área onde o míssil foi descoberto foi isolada pela polícia e patrulhas de fronteira e os serviços especializados do Ministério do Interior, Bombteh e IGSU, vão inspecionar o local.

Vários moradores do distrito de Briceni também confirmaram à agência Stiri.md que ouviram duas explosões.

c/ agências
pub