Coronavírus no USS Theodore Roosevelt derruba membro da Administração Trump

por Paulo Alexandre Amaral - RTP
O capitão Brett Crozier, afastado da liderança do USS Theodore Roosevelt Reuters

O secretário da Defesa dos Estados Unidos acaba de aceitar a demissão de Thomas Morly, o secretário para a Marinha, na sequência da crise desencadeada com a exoneração do comandante do porta-aviões USS Theodore Roosevelt. O comandante, capitão Brett Crozier, foi dispensado do posto após ter vindo a público uma carta que dirigiu aos seus superiores alertando para um surto de covid-19 a bordo do navio.

Mark Esper, secretário da Defesa, acaba de aceitar a demissão do secretário Thomas Morly, responsável pela demissão de Crozier.

Morly foi alvo de um coro de críticas pela forma alegadamente desrespeitosa como levou a cabo a exoneração do comandante e depois de ter procurado uma contenção de danos visitando o USS Theodore Roosevelt.

O discurso à tripulação acabaria por ser desastroso, entre vitupérios contra o capitão Crozier e reprimendas aos militares por terem vitoriado o seu comandante quando, no final da semana passada, abandonava o navio.

Apesar de ter novamente procurado corrigir a mão com uma declaração em que, horas depois, tentou desvalorizar as suas próprias palavras, Morly não escapou a fortes críticas e pedidos de demissão que partiram tanto da esfera política como de elementos das próprias forças armadas americanas.

Não resistindo à forte barragem de fogo a que esteve sujeito nas últimas 24 horas, o secretário para a Marinha cederia para apresentar o próprio pedido de demissão. Horas após o que foi entendido como uma hesitação do secretário da Defesa, Esper aceitou ao final do dia a saída de Thomas Morly.
Tópicos
pub