Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Manuel de Almeida - Lusa

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações


23h36 - Brasil tem 1.252 mortos e 48.105 intetados nas últimas 24 horas

O Brasil registou 1.252 mortos e 48.105 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, totalizando 61.884 óbitos e 1.496.858 casos confirmados desde o início da pandemia, informou o executivo.

A taxa de letalidade da doença no país continua a descer, encontrando-se hoje nos 4,1%.

De acordo com o Ministério da Saúde, 576 das 1.252 mortes ocorreram nos últimos três dias, mas foram incluídas nos dados de hoje, estando ainda a ser investigada uma eventual relação de 3.931 vítimas mortais com a covid-19.

No Brasil, 852.816 pacientes já recuperaram da doença causada pelo novo coronavírus e 582.158 infetados continuam sob acompanhamento, sendo o segundo país do mundo com mais pessoas recuperadas da covid-19, apenas atrás dos Estados Unidos da América.

O país sul-americano tem hoje uma incidência de 29,4 mortes e 712,3 casos da doença por cada 100 mil habitantes, num país com uma população estimada de 210 milhões de pessoas.

São Paulo, foco da pandemia no país, totaliza 302.179 pessoas diagnosticadas com o novo coronavírus e 15.351 vítimas mortais.

22h33 - Fábrica de conservas de Vila do Conde diz ter foco de "sob controlo"

Os responsáveis da fábrica de conservas de Vila do Conde onde surgiu um foco de covid-19, que já infetou sete funcionários, garantiram hoje ter "a situação sob controlo".

Através de um comunicado, assinado pela administradora delegada Manuela Gilman, a Gencoal SA, que continua a laborar, disse estar a fazer "uma monitorização ativa e quotidiana dos colaboradores, com continua atualização técnica relativamente à evolução da situação".

"Comprometemo-nos a assegurar uma informação em tempo real às autoridades de saúde públicas e às organizações sindicais, a fim de compartilhar a evolução de uma situação, que estamos conscientes estar a ser devidamente monitorizada e sob controlo no sentido de proteger os nossos colaboradores, a comunidade local e todos os postos de trabalho", pode ler-se no mesmo texto.

A empresa situada na localidade Caxinas, Vila do Conde, distrito do Porto, que emprega cerca de 450 trabalhadores, confirmou que sete funcionários estão infetados com covid-19 e que cinco deles trabalhavam na mesma secção, garantindo que foram tomadas "medidas imediatas" para evitar a propagação de contágios.

"Quando tomámos conhecimento de um primeiro caso na empresa, procedemos de imediato a um incremento das medidas de segurança em todas as secções da fábrica e nas áreas sociais, nomeadamente refeitório, vestiários e casas de banho. Simultaneamente, desenvolvemos e aplicámos novas medidas de proteção e de prevenção", garantiram os responsáveis da Gencoal.

A empresa assegurou, ainda, que assumiu a realização de testes "aos contactos próximos dos infetados e a todos os trabalhadores que desempenham as suas funções nas áreas onde foram detetados casos positivos" e que continua "a formação do pessoal aos novos procedimentos de higiene e prevenção" que estavam implementados desde o início de março.

Além dos sete funcionários da Gencoal infetados, a presidente da Câmara Municipal de Vila do Conde, Elisa Ferraz, divulgou hoje que, segundo informação da Delegação de Saúde local, há mais oito pessoas, externas à empresa, mas com ligação aos trabalhadores, que também testaram positivo à covid-19.

A autarca confirmou que, desses oito casos de infeção externos, quatro foram detetados em crianças de um infantário da cidade vizinha da Póvoa de Varzim, frequentado por um filho de uma funcionária da empresa, que também testou positivo.

22h16 - PSP com 194 infetados, 25 em recuperação

Cento e noventa e quatro polícias foram infetados com covid-19, 169 dos quais já regressaram ao serviço e 25 estão em recuperação, revelou hoje o diretor nacional da Polícia de Segurança Pública.

"A estratégia definida pela PSP permitiu conter o número de casos de profissionais infetados e em isolamento profilático, garantindo-se assim a sustentabilidade da resposta operacional. Tal como os nossos concidadãos, sofremos os efeitos da infeção entre as nossas fileiras. Sofremos por estarmos nas cidades onde estão concentrados os grandes aglomerados populacionais. Tivemos um total de 194 infetados, dos quais 169, felizmente, já recuperaram, mantendo-se hoje 25 infetados em recuperação", disse o superintendente Manuel Magina da Silva, no discurso que assinalou o 153.º aniversário da PSP.

O diretor nacional sublinhou que a PSP definiu, no inicio da pandemia de covid-19, "uma estratégia para responder" a esta ameaça, que passou pela criação de medidas de prevenção do contágio entre os polícias, pela aquisição de equipamento de proteção individual, nomeadamente a distribuição individual de uma viseira facial, e a definição de um plano de continuidade da capacidade operacional para preparar a polícia para uma crise de longa duração.

Magina da Silva deu também conta que a estratégia para combater a pandemia passa "pela prontidão máxima de todo o efetivo", definição de procedimentos operacionais que permitir "saber como agir e reagir no terreno" e sensibilização dos cidadãos para o cumprimento das regras definidas em cada momento e adoção de medidas tendentes a agilizar a testagem dos polícias suspeitos de estarem infetados.

O diretor nacional da PSP manifestou ainda "apreço e admiração" pela "dedicação e disponibilidade permanentes" de todo o efetivo desta polícia.

Presente na cerimónia, o ministro da Administração Interna prestou uma homenagem aos polícias que estiveram "na primeira linha na defesa da segurança e da saúde" dos portugueses durante o estado de emergência e a situação de calamidade para fazer face à covid-19.

"A PSP nunca confinou, nem esteve em teletrabalho. Esteve sempre na rua", vincou Eduardo Cabrita, destacando a atuação pedagógica que foi mantida por esta força de segurança.

22h02 - Fase final dos testes para vacinas devem começar até ao final de julho

As potenciais vacinas contra a convid-19 devem entrar na fase final de ensaios clínicos até ao final do mês, com outras a começar a ser testadas em agosto, setembro e outubro, disse hoje o principal especialista em doenças infecciosas norte-americano, Anthony Fauci.

As notícias aparecem quando a Moderna Inc, que está na vanguarda dos esforços de desenvolvimento de vacinas do país, reiterou no início do dia que um teste em estágio avançado com 30.000 voluntários começaria este mês.

"Podemos pelo menos saber se estamos a lidar com uma vacina segura e eficaz no início do inverno, no final do inverno ou no início de 2021", afirmou o Anthony Fauci, chefe do Instituto Nacional de Alergia e Doenças Infecciosas.

21h43 - Vírus já matou 517 mil pessoas e infetou mais de 1,7 milhões no mundo

A pandemia do novo coronavírus já matou 517.416 pessoas e infetou 1,7 milhões em todo o mundo desde dezembro, segundo um balanço da agência AFP, baseado em dados oficiais.

De acordo com os dados recolhidos pela agência noticiosa francesa, 10.769.890 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 196 países e territórios desde o início da epidemia, em finais de dezembro passado, na cidade chinesa de Wuhan, dos quais pelo menos 5.454.100 são agora considerados curados.

Contudo, a AFP avisa que o número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do número real de infeções, pois alguns países testam apenas casos graves, outros usam o teste como uma prioridade para rastreamento e muitos países pobres têm apenas capacidade limitada de rastreamento.

21h40 - Estados Unidos registaram 50 mil casos de covid-19 num dia apenas

Os Estados Unidos registaram um novo recorde diário de infeções. Foram mais de 50 mil, o que levou 18 Estados a travar a reabertura da economia.


21h35 - Vila do Conde está a sofrer surtos de covid-19

O vírus apareceu numa empresa da indústria conserveira das Caxinas, e num jardim de infância. A origem do foco estará num familiar de uma funcionária da empresa que chegou do Brasil a semana passada com sintomas ligeiros.


21h30 - "É preciso fazer mais e melhor" contra a covid-19, diz Medina

O presidente da Câmara de Lisboa diz que existe a capacidade para conter a propagação da pandemia na região da capital.

"Testar, isolar, rastrear, vigiar e assegurar às pessoas condições para fazerem o seu confinamento" é a receita de Fernando Medina para combater o novo coronavírus em Lisboa.

Sobre a possibilidade de fazer uma cerca na capital, Medina sublinha que estamos a falar de uma área que abrange um milhão de pessoas, não sendo essa a melhor estratégia para conter o coronavírus.

A rapidez na detecção e isolamento de novos casos é, para o presidente da câmara, um factor crucial neste combate.

Sobre a referência a "más chefias", Fernando Medina diz que foi um alerta dirigido à DGS e ao Ministério da Saúde.

21h27 - Pandemia deixa deficientes em desigualdade na educação, terapias e apoios

A pandemia de covid-19 deixou as pessoas com deficiência em condições de desigualdade no acesso à educação, sem terapias e apoios sociais, e também aos seus cuidadores, revela um inquérito do Observatório da Deficiência e Direitos Humanos (ODDH).

"Modalidades de ensino à distância desadequadas às necessidades dos alunos com deficiência, suspensão ou redução de apoios e serviços essenciais como terapias e assistência pessoal, sendo as famílias a assumir a prestação de cuidados, e ausência de informações específicas sobre covid-19 direcionadas às pessoas com deficiência, foram algumas das principais repercussões negativas da pandemia nas vidas das pessoas com deficiência", refere o ODDH, num comunicado hoje divulgado.

As conclusões resultam do estudo "Deficiência e covid-19", promovido pelo ODDH, integrado no Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas (ISCSP) da Universidade de Lisboa, e "no qual participaram 725 inquiridos, dos quais 53,8% eram pessoas com deficiência e 46,2% familiares ou cuidadores de pessoas com deficiência".

21h24 - Número de mortos de Covid-19 pode ser superior ao das estatísticas

Entre março e junho, morreram mais 3 mil pessoas relativamente ao ano passado. Os especialistas admitem que muitos possam ser doentes a quem não foi diagnosticada a Covid 19.


21h19 - Lar no concelho de Cascais com 50 casos de Covid-19

Testes num lar do concelho de Cascais revelaram que 45 utentes e cinco funcionários têm covid-19. Algumas das pessoas que testaram positivo tiveram de ser internadas.


21h16 - Freguesia de Santa Clara é a única em Lisboa em situação de calamidade

Trata-se de uma freguesia com vários bairros sociais onde os próprios moradores reconhecem que não são respeitadas as medidas de distanciamento social.


21h10 - Presidentes de Angola e África do Sul conversaram sobre covid-19 e problemas em África

Os chefes de Estado de Angola e da África do Sul conversaram hoje, numa chamada telefónica, sobre vários temas da atualidade, incluindo a pandemia de covid-19, anunciou a Presidência angolana.

De acordo com uma nota enviada pelo gabinete do Presidente angolano, João Lourenço e o homónimo sul-africano, Cyril Ramaphosa -- que também é presidente em exercício da União Africana --, conversaram sobre "a pandemia da covid-19, provocada pelo novo coronavírus, o conflito na Líbia, a produção de petróleo de acordo com os planos da OPEP [Organização dos Países Exportadores de Petróleo] e as tensões à volta do aproveitamento hidroelétrico em construção pela Etiópia no rio Nilo".

Segundo os dados mais recentes da União Africana, a África do Sul é um dos países mais afetados pela pandemia no continente, com mais de 150.000 casos desde o início de março, incluindo 2.657 mortos recuperados. Por sua vez, Angola regista 315 infetados e 17 mortos.

21h05 - Reguengos de Monsaraz ativa plano municipal de emergência

O concelho regista 155 pessoas infetadas e oito mortes. A secção sul da Ordem dos Médicos alertou para a falta de condições em que estão a ser tratados os doentes do lar. Amanhã todos os idosos com covid-19 positivo vão ser transferidos da instituição para um pavilhão municipal.


20h41 - Ministra da Saúde admitiu falhas no combate à pandemia

Marta Temido reconheceu que há preocupação quanto a uma eventual segunda vaga, mas garantiu, na Grande Entrevista da RTP, que a pandemia não está fora de controlo em Portugal.


20h36 - Guterres alerta que paz e segurança estão ameaçadas pelo novo coronavírus

António Guterres alertou hoje, num debate no Conselho de Segurança, para o facto de a pandemia da Covid-19 estar a ameaçar a paz e a segurança no mundo.

Perante vários ministros dos Negócios Estrangeiros, e através de uma videoconferência, o secretário-geral das Nações Unidas defendeu que as consequências da covid-19 neste contexto podem valorizar-se "mesmo em alguns países tradicionalmente vistos como estáveis", mas notam-se ainda mais nos que estão envoltos em conflitos ou a sair deles.

"Em alguns países, os processos de paz frágeis podem descarrilar por causa da crise, sobretudo se a comunidade internacional estiver distraída", frisou o secretário-geral da ONU, destacando os casos na região sudanesa de Darfur ou da Somália, onde teme que o grupo ‘jihadista’ Al-Shabab possa aumentar o número de ataques enquanto as autoridades se preocupam com pandemia.

Guterres alertou também que as restrições à circulação impostas para travar a propagação da pandemia "complicam a diplomacia", dado que as tarefas de mediação costumam ser "muito pessoais" e à distância é "mais difícil gerar confiança".

O antigo primeiro-ministro português destacou também que a pandemia ilustra o risco de possíveis "ataques bioterroristas", uma vez que deixou a nu a falta de preparação do mundo face ao hipotético caso de que uma doença possa ser "manipulada deliberadamente para a tornar mais virulenta ou se se a liberta intencionalmente em vários locais ao mesmo tempo".

"Ao mesmo tempo que devemos saber como melhorar a nossa resposta a futuras doenças, também devemos dedicar muita atenção a prevenir o uso deliberado de doenças como armas", acrescentou.

Nesse sentido, Guterres urgiu aos 14 países que não assinaram a Convenção sobre Armas Biológicas para que o aprovem quanto antes, apelando ainda ao reforço deste instrumento de fiscalização, a que faltam mecanismos de verificação.

"A melhor resposta às armas biológicas é uma ação efetiva contra as doenças que ocorrem de forma normal. Uns sistemas de saúde pública e de veterinária fortes não só são uma ferramenta essencial contra a covid-19, coimo também uma dissuasão efetiva contra o desenvolvimento de armas biológicas", defendeu Guterres

O secretário-geral da ONU referiu-se também ao aumento do ódio e dos ataques aos direitos das pessoas, advertindo que a pandemia está a revelar uma "mostra crescente do autoritarismo" e do uso excessivo da força por parte das autoridades, bem como a dar novos pretextos a "populistas, nacionalistas e outros que estavam à procura de limitar os direitos humanos".

"O estigma e os discursos de ódio estão a aumentar. E a epidemia de desinformação na Internet corre desenfreada", lamentou Guterres, lembrando as consequências para a estabilidade que a crise económica pode desencadear por causa da covid-19.

20h25 - Israel anuncia novas restrições devido ao aumento dos contágios

O primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, anunciou hoje uma nova série de medidas para conter uma segunda vaga de casos da covid-19, em que se inclui um limite de 20 pessoas na maioria das reuniões.

O rápido aumento dos casos de coronavírus em Israel, quase duas mil novas infeções nos últimos três dias, levou o Governo a implementar novas restrições, e na sequência de um rápido desconfinamento que se prolongou por mais de dois meses.

Perante a nova situação e os insistentes alertas de peritos e responsáveis dos serviços de saúde, Netanyahu anunciou hoje que passam a ser proibidos ajuntamentos com mais de 20 pessoas em espaços fechados, incluindo residências e sinagogas, com a exceção de diversos eventos, casamentos, e nos bares e restaurantes, onde não se poderão concentrar mais de 50 pessoas.

"Não temos alternativa, temos de regressar à política de restrições para baixar a curva", disse o primeiro-ministro em conferência de imprensa.

Considerou ainda que, caso estas medidas não fossem aplicadas, "Israel perderá o controlo" da pandemia, com um eventual registo de dezenas de milhares de contágios diários.

Estas restrições, aprovadas na noite de quarta-feira pelo organismo governamental responsável pela gestão do combate à covid-19, juntam-se às anunciadas segunda-feira, que limitam as reuniões públicas a 50 pessoas, à exceção de diversos eventos que incluem atividades culturais.

Atualmente, o número de casos registados em Israel, com nove milhões de habitantes, ultrapassa os 26 mil desde o início da pandemia, com dez mil pessoas recuperadas.

O número de mortos situa-se nos 324, e 58 infetados permanecem em estado grave, 24 com o auxílio a ventiladores.

O impacto do coronavírus no Estado hebreu tem sido mais leve que em outros locais e já ultrapassou a fase crítica, mas o súbito desconfinamento fez aumentar o número de contágios e forçou as autoridades a travar a reabertura.

20h03 - Bragança mantém plano distrital de emergência e monitorização da pandemia

A Comissão Distrital de Proteção Civil de Bragança decidiu hoje manter ativo o plano de emergência e a estrutura de monitorização da pandemia de covid-19, enquanto vigorar a situação de Alerta na região do Nordeste Transmontano.

O distrito de Bragança encontra-se no nível menos grave da Lei de Bases da Proteção Civil, com 302 casos de infeção pelo novo coronavírus confirmados e 24 mortes, sem registos de óbitos há várias semanas.

Apesar disso, a Comissão Distrital de Proteção Civil entende que devem ser mantidas as medidas adotadas de resposta à pandemia, tendo em conta a época de maior empenho nos incêndios florestais e o maior fluxo de pessoas na região, nomeadamente depois da abertura das fronteiras.

Em comunicado, este órgão, em que estão representados diversos agentes regionais, informa que deliberou hoje por unanimidade propor ao secretário de Estado de Estado da Administração Interna a manutenção da ativação do Plano Distrital de Emergência de Proteção Civil, enquanto a situação de Alerta se mantiver em vigor para o distrito de Bragança.

Deliberou também “manter as medidas implementadas e ações de coordenação em matéria de prevenção preparação e resposta”, nomeadamente as infraestruturas de apoio a eventuais surtos e o posto de comando, em Bragança, que concentra toda a informação sobre o ponto de situação e meios disponíveis a nível distrital.

Em funções permanecerá também a subcomissão de Proteção Civil para “permanente monitorização e reação à situação epidemiológica distrital”.

19h58 - EUA ultrapassam pela primeira vez a barreira dos 50 mil casos num só dia

Os Estados Unidos registam novo recorde diário de infeções, mais de 50 mil. Por causa dos novos picos da Covid-19, dezoito Estados travam a reabertura da economia e os hospitais adotam procedimentos de emergência.


19h53 - França regista 14 mortos nas últimas 24 horas

A França contabilizou nas últimas 24 horas 14 mortes associadas à covid-19, elevando o total de óbitos desde o início da pandemia para 29.875, indicaram hoje as autoridades sanitárias francesas em comunicado.

Do total de mortes, 19.378 foram registadas nos hospitais e as restantes em lares de idosos, número que o Governo francês só atualiza uma vez por semana e que, comparado com a última contabilização, significa uma queda no número de óbitos nos centros geriátricos nas últimas semanas.

Segundo as autoridades sanitárias francesas, nas últimas 24 horas, 573 infetados encontram-se nas unidades de cuidados intensivos dos diferentes hospitais do país, menos nove do que na véspera.

O total de casos confirmados é de 166.378.

19h48 - Merkel e Von der Leyen em sintonia sobre urgência na resposta da UE à crise

Nos próximos seis meses os destinos da União Europeia vão estar nos mãos de duas alemãs, a chanceler Angela Merkel e a sua compatriota Ursula von der Leyen.

A chanceler alemã e a presidente da Comissão Europeia coincidiram hoje nos apelos a um acordo rápido sobre o pacote de recuperação que permita à União Europeia ultrapassar "a maior crise" da sua história.

19h43 - Número de infetados por foco em conserveira de Vila do Conde sobe para 15

O número de infetados com covid-19, na sequência do foco numa fábrica de conservas em Vila do Conde, distrito do Porto, subiu de 12 para 15 pessoas, informou hoje a presidente da câmara municipal local.

Elisa Ferraz divulgou o número num balanço da situação feito esta tarde, acrescentando mais três casos aos 12 que esta manhã foram reportados por fonte da Administração Regional de Saúde-Norte (ARS-Norte).

"As informações reveladas, esta tarde, pelas autoridades de saúde, dão conta de sete trabalhadores da empresa infetados e mais oito casos exteriores, mas relacionados com esses funcionários. Foram, entretanto, realizados mais 80 testes a outros operários da fábrica", divulgou a autarca vila-condenses.

Elisa Ferraz divulgou que desses oito casos de infeção externos, mas relacionados com a empresa, quatro foram detetados em crianças de um infantário da cidade vizinha da Póvoa de Varzim, frequentado por um filho de uma funcionária da empresa, que também testou positivo.

19h30 - Número de casos na Florida volta a bater recordes

O Estado da Florida bateu novo recorde esta quinta-feira, ao registar mais de 10 mil novos casos de infeção pelo novo coronavírus, em apenas 24 horas - o maior aumento de um dia neste Estado norte-americano desde o início da pandemia, segundo um relatório da Reuters.

Em junho, as infeções na Florida aumentaram 168 por cento ou mais de 95 mil novos casos.

A Flórida, com 21 milhões de habitantes, relatou mais novos casos diários de coronavírus do que qualquer país europeu teve no auge dos seus surtos.

19h06 - IATA alerta que quarentenas em África e Médio Oriente ameaçam transporte aéreo

A Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA) alertou hoje que as quarentenas nos países africanos e do Médio Oriente ameaçam o transporte aéreo, com eventuais prejuízos e falências de companhias aéreas.

No contexto da pandemia de covid-19, os países da região suspenderam os voos comerciais para conter a propagação do novo coronavírus. Algumas companhias aéreas retomaram parcialmente as operações, mas com restrições, tais como a necessidade de os viajantes serem rastreados ou colocados em quarentena à chegada.

Mas, "as medidas de quarentena impostas pelos governos de 36 países de África e do Médio Oriente representam, só por si, 40% de todas as medidas de quarentena tomadas em todo o mundo", disse o vice-presidente de IATA para África e Médio Oriente, Mohammed al-Bakri, numa conferência de imprensa virtual.

O responsável exortou os governos a considerarem alternativas à quarentena.

De acordo com a última estimativa da IATA, divulgada hoje, as companhias aéreas do Médio Oriente deverão perder cerca de 56 por cento das suas receitas e 55 por cento dos passageiros este ano, em comparação com 2019.

"As perdas continuam a acumular-se, as companhias aéreas continuam a sangrar (...) Esta é uma situação anormal, não pode ser tolerada", advertiu Mohammed al-Bakri.

Por isso, o responsável instou os governos da região a prestarem assistência financeira urgente às empresas, considerando que muitas delas estão em risco de colapso.

18h55 - Vírus está a mudar mas não perdeu potência, alerta OMS

O novo coronavírus está a mudar, mas não perdeu potência, não se transmite menos nem a doença que provoca está menos grave, afirmou hoje a principal responsável técnica da Organização Mundial de Saúde no combate à pandemia da covid-19.

"São mudanças naturais que se esperam de um vírus RNA, mudanças que esperamos. Não vimos nenhuma indicação de que estas mudanças signifiquem alguma mudança na transmissibilidade e na gravidade" da covid-19, afirmou Maria Van Kerkhove em conferência de imprensa a partir da sede da organização, em Genebra.

A epidemiologista norte-americana afirmou que "há um grande grupo de cientistas que está a olhar muito cuidadosamente para este vírus e para o que estas mudanças significam realmente, se é que significam alguma coisa".

18h46 - Há "pouco risco" de os animais de estimação transmitirem Covid-19 aos donos

A Organização Mundial de Saúde garantiu esta quinta-feira que há "muito pouco risco" de que os animais de estimação possam infetar os donos com o novo coronavírus.

Soumya Swaminathan, cientista chefe da OMS, disse na conferência de impresa diária, em Genebra, que felinos, furões e "até tigres" foram infetados com a Covid-19, mas que dificilmente são um veículo de transmissão.

"Há muito pouco risco de animais domésticos, porque havia alguma preocupação sobre os animais domésticos, se tornarem uma fonte de infeção", disse.

18h28 - Mais nove jogadores de NBA infetados

A menos de uma semana de as equipas de NBA viajarem para a Florida para retomar a temporada, foram confirmados mais nove jogadores infetados pelo novo coronavírus.

Um total de 25 jogadores e dez membros da equipa testou positivo para o novo coronavírus desde o início das testagens, a 23 de junho, informou a Associação Nacional de Basquete dos Estados Unidos, num comunicado esta quinta-feira.

"Qualquer jogador, treinador ou membro da equipa que tenha resultado positivo permanecerá em isolamento até cumprir os protocolos de saúde pública para interromper o isolamento e ter alta médica", afirmou a liga.

As equipas da NBA devem viajar no dia 7 de julho para Orlando, Florida, onde a liga pretender retomar os jogos, a 30 de julho, após a interrupação da temporada em março, devido à Covid-19.

Os jogadores, os treinadores e outros membros da equipa vão treinar, competir e ficar alojados no Walt Disney World, com a realização diária de testes para a covid-19, não sendo permitido público em qualquer um dos eventos do NBA.

18h10 - Equipas multidisciplinares contactaram 600 pessoas na Área Metropolitana de Lisboa num dia

Mais de 600 pessoas de Lisboa, Odivelas, Amadora, Loures e Sintra foram contactadas na terça-feira pelas equipas multidisciplinares criadas no âmbito do combate à pandemia de covid-19, que procuram identificar casos que necessitam de ajuda para cumprir o isolamento.

"Profissionais de saúde, Segurança Social, Proteção Civil/municípios e forças de segurança” têm ido ao terreno sensibilizar a população para as medidas de proteção da doença, bem como verificar e encontrar soluções para quem necessita de apoio alimentar e realojamento, por exemplo", é referido num comunicado da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, hoje divulgado.

Segundo a nota, na terça-feira as 15 equipas multidisciplinares constituídas contactaram 602 pessoas, 450 das quais no concelho de Loures, 69 em Sintra, 57 na zona norte de Lisboa, 16 na Amadora e 10 no município de Odivelas.

Na nota, a Administração Regional de Saúde adianta que as equipas foram constituídas nos agrupamentos de Centros de Saúde da Amadora, Lisboa Norte, Lisboa Central, Lisboa Ocidental e Oeiras, Loures-Odivelas e Sintra.

"Além de contactar pessoas identificadas que possam necessitar de ajuda complementar para cumprir o confinamento/isolamento profilático - e assim ajudar a quebrar as cadeias de transmissão da covid - estas também têm visitado estabelecimentos comerciais", lê-se na nota.

18h01 - Espanha regista cinco mortes e 134 novos casos nas últimas 24 horas

Espanha registou cinco mortes nas últimas 24 horas com a covid-19 e 134 novos casos de pessoas infetadas, segundo o relatório diário com a atualização da situação epidemiológica no país.

O Ministério da Saúde espanhol atualizou para 28.368 o número total de óbitos com a pandemia, mais cinco do que na quarta-feira, havendo 24 óbitos notificados na última semana, dos quais nove na comunidade autónoma de Madrid, a mais atingida pela pandemia.

Por outro lado, o total de pessoas infetadas desde o início da doença é de 250.103, dos quais 134 diagnosticados nas últimas 24 horas.

17h57 - Rio de Janeiro reabre bares e restaurantes enquanto casos aumentam no Brasil

Bares, restaurantes e cafés da cidade brasileira do Rio de Janeiro reabriram hoje após três meses fechados devido à pandemia de covid-19, embora os casos de infeção pelo novo coronavírus continuem a aumentar no Brasil.

A reabertura faz parte de um plano governamental de retorno gradual das atividades económicas, cuja aplicação tem sido considerada prematura por especialistas.

Para esta nova etapa de retoma das atividades, esses estabelecimentos - que só estavam autorizados a fazer entregas - agora podem receber até 50 por cento do máximo de clientes que comportam. Será necessário separar as mesas em espaços com dois metros de distância.

Ginásios desportivos, salões de beleza e estúdios de tatuagens também foram autorizados a reabrir no Rio Janeiro, cidade habitada por 6,7 milhões pessoas, com precauções estritas.

Essa reabertura responde às preocupações económicas do Governo brasileiro já que muitos desses estabelecimentos, fechados desde o final de março, estão com grandes dificuldades financeiras e correm o risco de fechar.

A cidade do Rio de Janeiro registou 68 novas mortes nas últimas 24 horas. O governo local informou que a capital 'carioca' atingiu o pico da covid-19, registando 227 óbitos, em 03 de junho.

Embora o Rio de Janeiro observe um movimento menor de pacientes nos hospitais, a pandemia provocada pelo novo coronavírus tem afetado mais as áreas do interior do Brasil, onde os especialistas alertam que a taxa de contaminação permanece alta, facto que poderá pressionar as redes de atendimento de saúde.

17h48 - Movimento de voluntariado lança 'app' para combater isolamento juvenil

O Movimento Transformers, um movimento nacional de voluntariado, lançou uma aplicação móvel que, através de desafios diários, pretende estimular a interação, “humanizar o ‘online’” e ajudar a combater o isolamento juvenil provocado pela covid-19, revelou hoje a responsável.

“Lançamos o desafio às nossas turmas de aprendizes para identificarem o problema social que mais estava a mexer com eles nesta pandemia e foi assim que surgiu a questão do isolamento social”, contou, em declarações à Lusa, Inês Alexandre.

Por forma a “combater” o isolamento juvenil provocado pela covid-19, os cerca de 50 mentores voluntários e 600 aprendizes do movimento nacional decidiram “fazer algo em grande” e criar a aplicação Payback Challenge.

Assente em desafios diários, tais como, convidar um amigo para fazer uma caminhada ou ver uma série com um amigo por videochamada, a aplicação, que é gratuita, está disponível desde quarta-feira para os sistemas operacionais da Android e no 'site' do movimento.

“A ideia é termos um desafio por dia durante os 31 dias de julho. Portanto, a ideia é que crianças e jovens, entre os 12 e 17 anos, partilhem um momento com um amigo ou familiar, sem que se envolvam em ajuntamentos”, esclareceu Inês Alexandre.

A responsável pelo Movimento Transformers, que tem sede no Porto, mas está presente em 22 municípios portugueses, acredita que esta aplicação poderá ajudar a “humanizar ao máximo o contacto em fase de isolamento, algo que não acontece nas redes sociais ou outras aplicações”.

“Esta aplicação traz essa conexão, em que em todos os desafios os jovens tem de desafiar pelo menos uma pessoa. Nas redes sociais não existe essa interação, portanto, a ideia é também começarmos a consciencializar para as plataformas ‘online’, mas com o máximo de interação possível”, referiu.

17h36 - Câmara de Lisboa tem 33 casos "ativos" de infeção entre trabalhadores

A Câmara de Lisboa regista atualmente 33 casos de infeção por covid-19 "ativos", num total de 53 casos positivos, 20 dos quais recuperados, anunciou o vice-presidente da autarquia.

João Paulo Saraiva avançou que o aumento dos números se deve a um foco no posto de limpeza de Telheiras, adiantando que grande parte dos casos de infeção surgiram em meio familiar e não em contexto de trabalho.

17h30 - Subiu para oito mortos no lar de Reguengos de Monsaraz. Infetados transferidos para pavilhão

O número de mortos do surto de covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz (Évora) subiu para oito, com os óbitos de mais duas utentes, uma de 94 e outra de 92 anos.

Todos os doentes infetados do lar de Reguengos, e são cerca de 60, vão ser entretanto transferidos para um pavilhão, como adiantou à Antena 1 o presidente da autarquia, José Calixto.

17h26 - Bolívia regista novo recorde diário de mortes

A Bolívia registou hoje um novo recorde diário de mortes devido à covid-19, com 78 óbitos, e já ultrapassou as mil infeções por dia no país, de acordo com as autoridades bolivianas.

O total de mortes por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, chegou a 1.201 desde que os primeiros casos foram detetados no país em março passado, de acordo com o Ministério da Saúde boliviano.

O número total de pessoas infetadas pelo novo coronavírus no país é de 34.227, entre os cerca de onze milhões de habitantes, e neste momento estão a ser registados mais de mil casos de infeções pelo vírus por dia.

Até agora, a maior taxa de mortalidade diária havia sido registada na segunda-feira passada (57), de acordo com os dados oficiais.

17h17 - Medina diz que "há convergência total" com Governo no combate à pandemia

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, disse esta tarde que "há convergência total" com o Governo no combate à pandemia de covid-19, recusando que as críticas que fez à atuação das autoridades de saúde correspondam a uma "ferida".

"Nada disto corresponde a uma ferida e a uma fissura, há uma convergência total entre Governo, Câmara de Lisboa, todos os municípios da Área Metropolitana de Lisboa, a fazer o maior esforço possível para enfrentar esta pandemia", afirmou Fernando Medina, durante a reunião pública da Câmara de Lisboa, que decorreu por videoconferência.

Contudo, salientou, essa convergência não inibe a utilização da palavra.

17h13 - Governo britânico determina regresso total e obrigatório às aulas em setembro

O Governo britânico anunciou hoje planos para um regresso total e obrigatório das escolas em setembro, mas os alunos vão ser mantidos em grupos separados para reduzir o risco de infeção com covid-19 e receber apoio pedagógico adicional.

A maioria das escolas primárias e secundárias no Reino Unido estão com o funcionamento limitado desde o início do confinamento, em meados de março, recebendo apenas os filhos de trabalhadores de serviços críticos e algumas classes de determinados anos.

"O regresso a rotinas de ensino normais o mais depressa possível é crucial para a nossa recuperação nacional. É por isso que temos estado a trabalhar para que todos os alunos possam voltar às escolas a tempo inteiro em setembro", anunciou o ministro da Educação, Gavin Williamson, no parlamento.

O Governo estabeleceu medidas de proteção contra a transmissão do vírus, como a separação de turmas ou anos escolares em grupos através de horários desfasados e a obrigação de limpeza e lavagem de mãos regular ao longo do dia.

Para garantir que os alunos recuperam a aprendizagem perdida durante estes seis meses de confinamento, haverá alguma flexibilidade para corrigir "lacunas no conhecimento", mas o currículo pedagógico vai ser mantido na totalidade.

17h05 - Roland Garros vai ter público, mas será limitado a 60 por cento da sua capacidade

A edição de 2020 de Roland Garros, reprogramada para 27 de setembro a 11 de outubro devido à pandemia covid-19, vai receber de 50 a 60 por cento da sua lotação habitual, anunciou hoje a Federação Francesa de Ténis (FFT).

"O número de espetadores admitidos no estádio será de entre os 50 e os 60 por cento da capacidade habitual", indicou a FFT, assinalando que essa redução vai possibilitar que se respeitem as medidas de segurança sanitárias para evitar a propagação do novo coronavírus.



16h52 - Renovação de documentos continua a ser feita online

Com a pandemia vieram as novas regras de acesso presencial aos serviços. Vai bater com o nariz na porta se não tiver um agendamento prévio feito preferencialmente por email, mas que também pode ser por telefone.

E assim vai continuar a ser adiantou à Antena 1 a secretária de Estado da Modernização Administrativa. Até porque os cidadãos estão cada vez mais adeptos dos serviços online.

16h40 - Cascais vai fazer testes e distribuir comida em 42 bairros sociais

A Câmara Municipal de Cascais inicia hoje um projeto de prestação de auxílio porta a porta em 42 bairros sociais, no âmbito das medidas da autarquia de combate à pandemia da covid-19, fazendo testagem e distribuição de comida.

16h17 - Moçambique regista mais 15 casos e eleva total para 918 infeções

Moçambique registou, nas últimas 24 horas, mais 15 casos de infeção pelo novo coronavírus, que elevam o total para 918 casos positivos, mantendo-se com seis mortos, anunciou o Ministério da Saúde.

15h21 - Malária. Mortes podem duplicar em 2020

A pandemia de Covid-19 é "uma ameaça real" à luta contra a malária e poderá duplicar as mortes por esta doença em 2020. A estimativa é da secretária executiva da Aliança de Líderes Africanos Contra a Malária.

"Foram feitos progressos significativos, com 93 milhões de casos de malária e 500 mil mortes evitadas todos os anos, mas o progresso estagnou. A pandemia de covid-19 é uma ameaça real à luta contra a malária e tem o potencial de frustrar e fazer regredir os progressos alcançados", afirmou Joy Phumaphi.

14h42 - Portugal com mais oito mortos, 328 casos e 299 recuperados

No total, Portugal registou 1.587 óbitos desde o início da pandemia e 42.782 casos confirmados, dos quais 28.097 já foram dados como recuperados.

Dos 328 novos casos, 273 são da região de Lisboa e Vale do Tejo (ou seja, cerca de 83 por cento). Dos oito óbitos, cinco ocorreram na região LVT, dois no Alentejo e um na região Centro.

O relatório de situação desta quinta-feira revela ainda que há 510 pessoas internadas nos hospitais (mais sete do que ontem). Desses internamentos, 77 estão em cuidados intensivos (menos dois casos do que na quinta-feira).

14h35 - Itália admite segunda vaga

Em entrevista à televisão RAI, o ministro italiano da Saúde, Roberto Speranza, assumiu que não se pode afastar a possibilidade de uma segunda vaga da pandemia.

"Esperamos que não aconteça, mas, perante o risco, devemos manter as regras de precaução, ou seja, usar máscara, evitar ajuntamentos e lavar as mãos", acrescentou o governante.

O ministro defendeu a decisão de manter restrições aos viajantes provenientes de países que não integram a União Europeia, apesar da recomendação de abertura de fronteiras a 14 países, aprovada na passada terça-feira pelo Conselho Europeu.

Itália abriu na terça-feira fronteiras aos viajantes de países que não integram o espaço europeu de livre circulação Schengen, mas com restrições.

As viagens estão limitadas a motivos de trabalho, estudo, saúde ou absoluta urgência, e os viajantes serão sujeitos a uma quarentena de duas semanas.

"Esperamos poder chegar mais longe dentro de algumas semanas, mas por agora temos de ter cautela", disse, frisando que em Itália e na Europa "a curva mudou consideravelmente, mais isso não aconteceu no resto do mundo".

14h29 - Mais de 516 mil mortos e 10,7 milhões de infetados no mundo

A pandemia do novo coronavírus já causou a morte a pelo menos 516.369 pessoas e infetou mais de 10,7 milhões em todo o mundo.

De acordo com os dados recolhidos pela agência France Presse até às 11h00, morreram 516.369 pessoas e há mais de 10.716.650 infetados.

Pelo menos 5.430.100 casos foram considerados curados pelas autoridades de saúde.

14h04 - Foco de contágio em Vila do Conde com 12 casos

Na fábrica de conservas Gencoal, em Vila do Conde, há 12 operários infetados.Os funcionários da conserveira de Caxinas estão a ser submetidos a testes, depois dos positivos detetados no início da semana.
Hoje, já são 12 positivos, incluindo uma criança familiar de um dos trabalhadores, refere a presidente da Câmara de Vila do Conde, Elisa Ferraz.

13h32 - Reguengos de Monsaraz decreta Plano Municipal de Emergência

O Plano Municipal de Emergência foi ativado ao início da tarde para ter os meios adequados para responder ao aumento de casos. O surto começou num lar de idosos.


13h23 - Oito mortos em lar de Reguengos de Monsaraz

O número de mortos provocados pelo surto de Covid-19 no lar de Reguengos de Monsaraz subiu para oito. Registaram-se mais dois óbitos, duas utentes de 94 e 92 anos. A primeira encontrava-se no lar da Fundação Maria Inácia Perdigão Silva e morreu ao final da tarde de quarta-feira.

A idosa de 92 anos morreu na madrugada desta quinta-feira e estava internada no Hospital do Espírito Santo de Évora.

13h10 - Câmara de Lisboa com 33 casos ativos

A Câmara de Lisboa regista atualmente 33 casos de infeção por covid-19 "ativos", num total de 53 casos positivos, 20 dos quais recuperados.

De acordo com a agência Lusa, o vice-presidente da autarquia, João Paulo Saraiva avançou, em reunião pública do executivo municipal, que o aumento dos números se deve a um foco no posto de limpeza de Telheiras.

Segundo o vereador, está em causa "um grupo de pessoas" que não terá seguido as regras estabelecidas, situação que não foi "devidamente gerida pelos dirigentes" e que "está a ser avaliada e acompanhada".

A autarquia da capital lembra que, entre funcionários da Câmara e empresas municipais, Lisboa tem ao serviço 12 mil trabalhadores.

12h25 - 45 utentes e cinco funcionários em lar de Alcabideche estão infetados

Dos 71 utentes do lar de São Vicente, pertencente ao Centro Social e Paroquial de Alcabideche, 45 testaram positivo, 25 negativo e um caso foi inconclusivo. Há ainda cinco funcionários infetados.

Este é o segundo caso em poucos dias de doentes Covid-19 em lares no concelho de Cascais. Na segunda-feira, a DGS deu conta de um surto num lar em São Domingos de Rana.

11h33 - UE "irrelevante" em tempos de pandemia

A maioria dos europeus considera que a União Europeia não esteve bem na resposta à pandemia do novo coronavírus. Um estudo feito para o Conselho Europeu para as Relações Internacionais revela que a maior parte dos cidadãos considera que a União Europeia foi "irrelevante" no combate ao vírus.

11h27 - Hospital de Loures sob pressão da Covid-19

O Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, é um dos mais pressionados na região de Lisboa e Vale do Tejo. Tem tido uma taxa de ocupação entre os 80 e 90 por cento.


10h30 - Vários casos positivos em fábrica de conservas de Vila do Conde

As autoridades de saúde estão a acompanhar o surto e a testar todos os que estiveram em contacto com as pessoas infetadas. A informação foi confirmada pela Administração Regional de Saúde do Norte. A empresa situa-se nas Caxinas e tem 170 trabalhadores.


9h09 - Pelo menos 186 jornalistas morreram devido à Covid-19

Pelo menos 186 jornalistas morreram em 35 países nos últimos quatro meses devido à Covid-19, muitos depois de cobrirem notícias relacionadas com a pandemia.

De acordo com a organização não-governamental Emblem Press Campaign, estas mortes ocorreram entre 1 de março e 30 de junho, frisando que "o número de mortes reais é provavelmente muito superior", já que "os jornalistas mortos durante este período não foram testados ou a sua morte não foi anunciada publicamente", pode ler-se no comunicado da PEC.

A América Latina contabiliza metade das mortes de jornalistas no exercício da profissão (93), seguida da Ásia (34 mortes), Europa (26), África (19) e América do Norte (14).

O Peru é o país com o maior número de mortes confirmadas (37). Segue-se o Brasil, com 16 jornalistas mortos, México, com 14, Estados Unidos, com 13, e o Equador, com 12, de acordo com os dados da ONG.

Na Europa, o Reino Unido é o país com mais vítimas (sete jornalistas), seguido pela Rússia (cinco) e França (quatro). Espanha e Itália contabilizaram três jornalistas falecidos devido à Covid-19.

8h22 - Índia ultrapassou os 600 mil casos

O número de casos de Covid-19 na Índia já ultrapassou os 600 mil desde o início da pandemia. O país registou 19.148 infeções nas últimas 24 horas.

A nova contagem oficial é de 604.641 casos, dos quais 100 mil registados só nos últimos quatro dias.

O ministro da Saúde indiano indicou ainda que o novo coronavírus já matou 17.834 pessoas no país desde o início da pandemia.

Bombaim e Nova Deli continuam a ser os estados mais atingidos.

8h15 - Ministro da Saúde da Nova Zelândia demite-se após violar confinamento

O ministro da Saúde da Nova Zelândia, David Clark, demitiu-se após estar no centro das críticas por ter violado o confinamento da Covid-19.

Jacinda Ardern anunciou esta quinta-feira que a situação "era uma distração" na resposta à pandemia, pelo que "não era sustentável".

Clark admitiu ter violado o confinamento duas vezes e já tinha colocado o lugar à disposição há três meses, depois de reconhecer publicamente um passeio numa praia, em família, a 20 quilómetros de sua casa, a 7 de abril.

Na altura, o país estava no mais alto nível de alerta e sob confinamento.

7h37 - China com três novos casos

A China identificou três novos casos de Covid-19 nas últimas 24 horas, um em Pequim e dois oriundos do exterior, anunciaram as autoridades.

Pequim detetou um surto do vírus no início do mês passado, num mercado abastecedor da cidade, somando até à data 329 infetados, segundo dados oficiais.

Os dois casos importados foram diagnosticados em Xangai, a capital financeira da China.

O número de casos ativos no país asiático fixou-se em 416, entre os quais sete em estado grave. A Comissão de Saúde da China não relatou novas mortes em todo o país.
  
7h23 - EUA com 706 mortos e mais de 48 mil infetados em 24 horas

Os Estados Unidos registaram 706 mortos e 48.830 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, de acordo com um balanço da Universidade Johns Hopkins. O país soma 128.028 óbitos e 2.678.202 casos desde o início da pandemia, segundo o balanço realizado até à 1h00 desta quinta-feira em Lisboa.

A média de novos casos diários nos Estados Unidos está desde a semana passada acima dos 40 mil, muito por causa da propagação do novo coronavírus nos estados do sul e oeste, como Florida, Texas, Califórnia e Arizona.

Nova Iorque continua a ser o estado mais fortemente afetado pelo coronavírus nos Estados Unidos, com 394.079 casos confirmados e 32.043 mortes, um número apenas inferior ao do Brasil, Reino Unido e Itália.

Só na cidade de Nova Iorque, morreram 23.104 pessoas.

Nova Iorque é seguida pela vizinha Nova Jérsia, com 15.078 mortos, Massachusetts, com 8053, e Illinois, com 6951.

Outros Estados com um grande número de mortes são a Pensilvânia (6684), Michigan (6198), Califórnia (6152) e Connecticut (4324).

Em termos de infeções, a Califórnia está atrás apenas de Nova Iorque, com 233.692 casos.

Os Estados Unidos são o país no mundo com mais mortos e mais casos de infeção confirmados.

6h46 - Ponto de situação

A ministra da Saúde nega que a pandemia da Covid-19 em Portugal esteja fora de controlo. Na Grande Entrevista da RTP3, transmitida na última noite, Marta Temido admitiu que, neste momento, a maior dificuldade é quebrar as cadeias de transmissão.O presidente da Câmara de Lisboa veio agora dizer que as críticas que teceu sobre o combate à Covid-19 são apenas para as chefias regionais.


A governante assumiu, ainda assim, que houve falhas no combate à propagação do novo coronavírus.

Em resposta a críticas enunciadas no início da semana pelo presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, em entrevista à TVI24, Temido recusou a ideia de que as chefias de saúde pública na região da capital sejam incompetentes.
Mas admitiu que o autarca possa ter razão em algumas das afirmações que faz.

Veja ou reveja aqui na íntegra a Grande Entrevista com Marta Temido.

Por sua vez, o primeiro-ministro veio considerar compreensível a frustração dos autarcas da Área Metropolitana de Lisboa.

Foco em Vila do Conde

Há um foco de infeção numa fábrica de conservas de Vila do Conde. A informação foi confirmada pela Administração Regional de Saúde do Norte.

O Jornal de Notícias avança que pelo menos dez pessoas estão infetadas e que os dois primeiros casos foram detetados na segunda-feira. As pessoas que contactaram com as duas trabalhadoras infetadas estão a ser testadas.

A empresa situa-se nas Caxinas e tem 170 trabalhadores.
Hospital Egas Moniz
No Hospital Egas Moniz, aumentou o número de infetados. São agora 31: onze médicos, oito enfermeiros e 12 doentes.
O primeiro caso foi identificado no Serviço de Medicina Interna.

Os doentes com o novo coronavírus foram transferidos para uma enfermaria do Hospital São Francisco Xavier.

Dos 19 médicos e enfermeiros contaminados, apenas um está internado. Todos os outros não apresentam, por agora, sintomas e estão em casa para isolamento profilático.
Reguengos de Monsaraz
No lar de Reguengos de Monsaraz morreu mais uma pessoa. A sexta vítima ligada a este foco é uma funcionária e morreu quarta-feira nos cuidados intensivos do Hospital de Évora, onde estava internada.
Dos 1579 óbitos ocorridos até agora no país, quase 600 deram-se em lares.  

A vítima tinha 40 anos.

Em Reguengos de Monsaraz há 96 casos ativos no lar, a origem do foco, e 44 na comunidade.
No Hospital de Évora estão internados 11 utentes do lar, dos quais três nos cuidados intensivos.
Bragança
Na Guarda Nacional Republicana de Bragança, há 29 militares em isolamento. Estiveram em contacto com um outro, que testou positivo, e vão ser todos testados na próxima semana.

Nas unidades de Vimioso e Miranda do Douro foram detetados outros dois casos positivos, que obrigaram ao confinamento de todos os restantes militares.

Os cinco postos territoriais do distrito de Bragança foram entretanto descontaminados.
O quadro em Portugal
De acordo com o último boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, conhecido na tarde de quarta-feira, morreram mais três pessoas em Portugal, para um total de 1569 desde o início da pandemia.

Há mais 313 novos casos num total de 42.454

Estão atualmente internadas 503 pessoas. Já recuperaram 27.798.
O quadro internacional
A pandemia da Covid-19 já provocou mais de 512 mil mortos e infetou mais de 10,56 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.

Os Estados Unidos, que tiveram a primeira morte associada ao novo coronavírus no início de fevereiro, são o país mais atingido, com 127.681 mortes e 2.658.324 casos.
Pelo menos 720.631 pessoas foram declaradas curadas até hoje pelas autoridades norte-americanas.

Depois dos Estados Unidos, os países mais afetados são o Brasil, com 59.594 mortes e 1.402.041 casos, o Reino Unido, com 43.906 mortes e 313.483 casos, a Itália, com 34.788 mortes e 240.760 casos) e a França, com 29.861 mortos e 202.126 casos.