Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Lusa

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações



22h24 - Investigações para identificar a origem do coronavírus vão continuar, garante OMS
22h20 - Brasil com 91.097 casos e 3.769 mortes em 24 horas

O país contabiliza já um total de 13 milhões de pessoas infetadas desde o início da pandemia, com um total de óbitos de 325.284 relaionados com a covid-19.

22h12 - As autoridades sanitárias cabo-verdianas diagnosticaram mais 117 infetados pelo novo coronavírus nas últimas 24 horas, e um morto, elevando para 17.587 o total de casos desde o início da pandemia.

22h10 - A Guiné-Bissau registou 11 novos casos de infeção pelo novo coronavírus, segundo dados do Alto Comissariado para a Covid-19.

22h09 - São Tomé e Príncipe registou nas últimas 48 horas 11 casos positivos de covid-19, seis dos quais na ilha do Príncipe, onde a infeção aumentou de três para 20 em cerca de um mês.

22h08 - Moçambique não registou nas últimas 24 horas qualquer óbito por covid-19, pela primeira vez em meses, num dia em que foram diagnosticados 150 novos casos.

20h54 - OMS critica lentidão da vacinação na Europa
20h52 - Moçambique não registou nas últimas 24 horas qualquer óbito por covid-19, pela primeira vez em meses, num dia em que foram diagnosticados 150 novos casos.

20h50 - Pagamento Moratórias. Marcas e retalho pedem adiamento para setembro
20h25 - A meio de Abril a vacinação será por idades e a começar pelos mais velhos
20h24 - Regras mais apertadas para quem entra em Portugal
20h22 - Diretores escolares preferiam toda a gente testada antes do regresso
20h20 - Comerciantes aguardam reabertura de lojas e esplanadas
20h18 - Circulação entre municípios volta a ser permitida a partir de segunda-feira
20h16 - António Costa confirma nova fase do desconfinamento
19h32 - Pessoas infetadas com covid-19 e que tiveram alta hospitalar parecem ter aumentado as taxas de danos de órgãos (disfunção multiorgânica), comparando com a população em geral, indica um estudo hoje publicado pela revista médica britânica BMJ.

O aumento do risco, de acordo com o estudo, não se limitou a pessoas idosas nem foi uniforme entre grupos étnicos, levando os investigadores a sugerir que vai aumentar, a longo prazo, o peso de doenças relacionadas com a covid-19 nos hospitais e sistemas de saúde.

Ainda que a covid-19, doença provocada por um novo coronavírus, seja mais conhecida por causar problemas respiratórios graves pode também afetar outros sistemas e órgãos do corpo, incluindo o coração, rins e fígado.

Os responsáveis pelo estudo indicam a existência de vários sintomas inexplicáveis que persistem por mais de três meses após a doença, mas dizem também que o padrão, a longo prazo, de lesão de órgãos após a infeção ainda não é claro.

19h30 - A presidência portuguesa da UE alcançou um acordo para a "distribuição solidária" dos 10 milhões de doses da vacina da BioNTech-Pfizer antecipados para o segundo trimestre, que reserva perto de 3 milhões para os Estados-membros mais necessitados.

Contudo, este compromisso em torno da proposta colocada sobre a mesa pela presidência portuguesa do Conselho da União Europeia para apoiar cinco Estados-membros com maior penúria de vacinas, alcançado ao fim de dois dias intensos de negociações entre os embaixadores dos 27 em Bruxelas, não foi subscrito por todos, com Áustria, República Checa e Eslovénia a ficarem de fora deste mecanismo de solidariedade.

Estes três países, que reclamavam mais vacinas para si, ainda que os dados demonstrem que não se encontram entre os mais carenciados, recusaram-se a prescindir das doses que lhes cabem seguindo a chave de repartição que tem vindo a ser utilizada -- em função da população -, e não participam por isso na distribuição solidária acordada por todos os restantes, com vista a ajudar Bulgária, Estónia, Letónia, Eslováquia e Croácia, os cinco Estados-membros efetivamente mais carenciados a nível de vacinas.

19h28 - A Turquia espera ter a sua primeira vacina contra a covid-19 de produção própria pronta para ser administrada em agosto ou setembro, avançou hoje o ministro da Saúde, Fahrettin Koca.

Fahrettin Koca foi hoje um dos intervenientes convidados na videoconferência de imprensa regular da Organização Mundial da Saúde sobre a pandemia da covid-19, transmitida da sede, em Genebra, na Suíça.

O ministro da Saúde turco disse, sem nomear a entidade produtora, que se trata de uma vacina (candidata) baseada na tecnologia de vírus inativado e que entrará na fase final de testes clínicos dentro de um mês.

Atualmente, a Turquia tem 18 projetos de vacinas contra a covid-19 em estudo que se baseiam em vírus inativados ou na tecnologia de ARN mensageiro, adiantou.

Secundando declarações feitas em novembro pelo Presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, o titular da pasta da Saúde referiu que a vacina que for produzida no país ficará disponível para toda a humanidade.

19h26 - A Madeira registou hoje 17 novos casos de covid-19, 33 recuperações e 101 situações suspeitas, indicou a Direção Regional de Saúde, referindo que o total de infeções ativas no arquipélago é de 395, com 17 doentes hospitalizados.

19h25 - Novo modelo da proteína do vírus revela vulnerabilidades úteis para vacinas

Um novo modelo detalhado da proteína da espícula do SARS-CoV-2, a porta de entrada do coronavírus nas células humanas, revela vulnerabilidades que podem ser úteis no desenvolvimento de novas vacinas contra a covid-19, foi hoje divulgado.

Ao combinarem simulações da dinâmica molecular da proteína da superfície do SARS-CoV-2 com análise bioinformática, os autores do trabalho identificaram novos pontos na superfície da proteína da espícula que são menos protegidos pelas cadeias de moléculas de açúcar (glicanos) que a revestem.

Os glicanos da proteína da espícula "atuam como um escudo dinâmico que ajuda o vírus a escapar ao sistema imunológico humano", refere em comunicado a editora da PLOS Computational Biology, revista científica de acesso aberto que publicou o estudo.

Segundo o investigador Mateusz Sikora, do Instituto Max Planck de Biofísica, na Alemanha, o modelo "pode apoiar" projetos de novas vacinas e tratamentos de anticorpos contra a covid-19, doença respiratória causada pelo SARS-CoV-2, numa altura em que surgem variantes "com mutações concentradas" sobretudo na proteína da espícula.

As vacinas em circulação contra a covid-19 têm como alvo principal a proteína da espícula, que permite ao novo coronavírus (tipo de vírus) entrar e replicar-se nas células humanas gerando a infeção.

Vacinas específicas contra as novas variantes do SARS-CoV-2, em particular a que teve origem na África do Sul, estão a ser testadas.

De acordo com os autores do estudo hoje divulgado, o modelo dinâmico criado poderá ser usado para identificar eventuais vulnerabilidades de outras proteínas virais.

19h11 - Mais 308 mortos hoje em França

Morreram já em França, desde o início da pandemia, 95.948 pessoas. As autoridades registaram ainda 50.659 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, em linha com os valores do dia anterior, numa altura de implementação de medidas adicionais para conter a propagação da pandemia. Em números totais, o país já teve mais de 4,6 milhões de infeções.

19h05 - Câmara de Odemira destina 50 mil euros para agentes culturais

Um Fundo de Apoio Extraordinário aos Agentes Culturais do concelho de Odemira foi constituído pela câmara municipal, com um valor total de 50 mil euros, devido à pandemia de covid-19. Em comunicado enviado à Lusa, o Município de Odemira anunciou a constituição do fundo e revelou que a fase de candidaturas está aberta e decorre até ao dia 30 deste mês.

Esta iniciativa tem como objetivo "minimizar o impacto da suspensão da atividade dos artistas e associações do concelho em consequência da pandemia da covid-19", explicou a autarquia.

18h57 - A proibição da circulação entre concelhos no continente português não vai estar em vigor na quinzena após a Páscoa, depois da aplicação atual da medida, que termina na segunda-feira, anunciou o primeiro-ministro.

18h55 - Angola registou 88 novos casos de covid-19, um óbito e 14 recuperações da doença, totalizando 22.399 casos positivos, dos quais 538 mortes.

18h45 - O Brasil encerrou o mês de março com 66.573 mortes provocadas pela pandemia de covid-19, quase o dobro dos óbitos registados em fevereiro (30.438), apesar das medidas para restringir as atividades públicas na tentativa de controlar a doença.

Nas últimas semanas o país acumula vários recordes diários no número de mortes por covid-19 e, na quarta-feira, obteve um novo recorde com 3.869 vítimas mortais registadas num único dia.

Desde a primeira morte em 12 de março de 2020 o país somou 321.515 óbitos, segundo dados do Ministério da Saúde.

O Brasil já confirmou 12,75 milhões casos da doença, segundo o Ministério da Saúde.

18h41 - Apoio às famílias da capital. Câmara de Lisboa abre candidaturas a subsídio ao arrendamento

A Câmara de Lisboa abriu hoje as candidaturas à nova edição do subsídio municipal ao arrendamento (SMA), destinado a proteger as famílias mais afetadas pela pandemia na área da habitação, dispondo de uma dotação inicial de 500 mil euros.

"As pessoas com dificuldade em pagar o seu aluguer no mercado privado podem candidatar-se a partir das 19H00 de hoje, ficando o concurso aberto até ao próximo dia 14 de maio", avançou o município de Lisboa, indicando que o apoio pode ir até um 1/3 da renda por 12 meses, renovável por igual período.

Com o objetivo de aumentar a resposta à situação excecional da pandemia da covid-19 e os seus efeitos na habitação, a proposta do novo SMA foi aprovada em 19 de março pela Câmara Municipal de Lisboa, inclusive os requisitos específicos de acesso a este apoio, estabelecendo que se podem candidatar as pessoas em que a taxa de esforço relativamente à habitação seja "igual ao superior a 30% do seu rendimento mensal ilíquido atual".

"Se até aqui nós tínhamos em consideração o rendimento do IRS (Imposto sobre o Rendimento de Pessoas Singulares) do ano transato, neste momento aquilo que para nós é importante é saber a situação socioeconómica das famílias à data de hoje", destacou a vereadora da Habitação da Câmara de Lisboa, Paula Marques, em declarações à agência Lusa, em 17 de março, antes da aprovação da proposta.

Outro dos requisitos para ter acesso ao apoio é dispor de residência comprovada no concelho de Lisboa "há pelo menos dois anos", informou o município.

19h36 - Os museus, monumentos, palácios, sítios arqueológicos e galerias, que podem reabrir a partir de segunda-feira, podem estar abertos até às 22h30 aos dias de semana e 13h00 aos fins de semana e feriados, anunciou o Governo.

18h35 - A Câmara de Castelo Branco reabre os museus e centros interpretativos do concelho na terça-feira e retoma a atividade, "com visitas em língua gestual", de modo a "tornar os espaços mais inclusivos".

"Durante o tempo de confinamento, o nosso esforço virou-se para a formação dos trabalhadores, obras de recuperação e melhoramentos em diversos equipamentos. Agora, chegou o momento de restabelecer o contacto com o público, através de uma dinâmica que potencia a visita aos nossos espaços culturais, de forma segura", afirma, em comunicado enviado à Lusa, o presidente do município de Castelo Branco, José Augusto Alves.

18h29 - Aprovada devolução de bilhetes de espetáculos de 2020 adiados para 2022

Os detentores de bilhetes para espetáculos e festivais previstos para 2020 que entretanto foram adiados para 2022 podem pedir a devolução do seu valor, aprovou o Governo em Conselho de Ministros.

Segundo o comunicado final da reunião de hoje, "no caso dos espetáculos e festivais inicialmente agendados para o ano de 2020 e que ocorram apenas em 2022, prevê-se que: os consumidores possam pedir a devolução do preço dos bilhetes, no prazo de 14 dias úteis a contar da data prevista para a realização do evento no ano de 2021".

Se o consumidor não pedir a devolução do valor dos bilhetes, "considera-se que aceita o reagendamento do espetáculo para o ano de 2022".

O Governo esclarece que "o mesmo acontece com os vales emitidos com validade até ao final do ano de 2021, que passam a ser válidos até ao final do ano de 2022".

18h02 - Em Lisboa, o pagamento do estacionamento na via pública tarifado pela EMEL (Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa), suspenso no contexto do confinamento, será retomado a 14 de abril, de acordo com uma proposta aprovada agora pelo executivo da câmara da capital.

17h30 – Fronteira terreste com Espanha vai continuar encerrada

O primeiro-ministro anunciou hoje que a fronteira terrestre entre Portugal e Espanha vai continuar encerrada devido à pandemia de covid-19.

"Vão manter-se fechadas as fronteiras terrestres com Espanha com aquelas exceções que são conhecidas e têm vindo a ser praticadas", disse António Costa, na conferência de imprensa realizada após o conselho de ministros.

O primeiro-ministro destacou que, desde o início do confinamento, Portugal e Espanha "têm sido exemplares" na gestão da fronteira terrestre.

"Devemos ser dos poucos países europeus que têm sempre sistematicamente acordado a gestão da fronteira comum sem medidas unilaterais de um ou de outro país e vamos continuar a manter", precisou.

17h28 – PM afirma que país vive situação "absoluta normalidade" institucional

O primeiro-ministro rejeitou hoje qualquer "drama" na decisão do Governo de suscitar a fiscalização sucessiva do Tribunal Constitucional a diplomas antes promulgados pelo Presidente da República, sustentando que o país vive uma situação "de absoluta normalidade" institucional.

Questionado novamente sobre os motivos que levaram o seu executivo a suscitar a fiscalização sucessiva dos diplomas aprovados pelo parlamento que reforçam os apoios sociais, o líder do executivo respondeu que nessa matéria "houve o tempo do Presidente da República decidir, depois houve o tempo do Governo decidir e agora é o tempo de o Tribunal Constitucional decidir".

"Respeitemos esse tempo", declarou, antes de citar Marcelo Rebelo de Sousa sobre este tema.

"Como disse o senhor Presidente da República na mensagem que publicou" quando promulgou os diplomas do parlamento sobre apoios sociais, no passado domingo, "não há aqui nenhum drama".

"Estamos a viver uma situação de absoluta normalidade. É a democracia e o Estado de Direito a funcionarem. Tudo deve decorrer como antes decorria sem qualquer dramaticidade. O Tribunal Constitucional irá julgar aquilo que tiver a julgar nos termos do direito", sustentou o primeiro-ministro.

17h26 - António Costa diz que medidas "serão progressivas" caso Rt supere 1

O primeiro-ministro, António Costa, explicou hoje que serão equacionadas "medidas progressivas" de contenção da pandemia de covid-19 no cenário de um índice de transmissibilidade (Rt) acima de 1 no país, sendo que o valor do continente é de 0,94.

"Se passarmos o 1, como sempre dissemos, as medidas serão progressivas. Uma coisa é chegarmos a 1,01, outra coisa é termos 1,5 ou 1,2. Temos de graduar devidamente as medidas, agora o esforço que temos de fazer é mantermo-nos no quadrante verde, é esse o esforço que é necessário fazer. Desde que nós façamos esse esforço, nós conseguimos resultados", afirmou o chefe de governo na conferência de imprensa após a reunião do Conselho de Ministros.

Na sequência da reunião que aprovou as medidas para a segunda fase do plano de desconfinamento, a partir de 05 de abril, António Costa admitiu que esta variável de transmissibilidade do vírus SARS-CoV-2 "tem vindo a acelerar", contrariamente à incidência acumulada de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, mas lembrou que tal é também uma consequência da redução de casos.

"Há um efeito puramente matemático em que quanto mais o número de casos vai diminuindo, o ritmo de transmissão vai naturalmente ficando maior. Por isso é que os dois critérios têm de ser sempre lidos em conjunto", explicou António Costa, enfatizando ainda que o país tem "vindo a diminuir muito significativamente o número de novos casos por 100 mil habitantes a 14 dias, o número de internados, de internados em cuidados intensivos e, felizmente também, de óbitos".

17h19 - Governo brasileiro anuncia distribuição de mais de nove milhões de doses de vacinas

O Governo do Brasil anunciou que a partir de hoje realizará a maior distribuição de doses vacinas contra a covid-19 para cidades e estados num único lote de 9,13 milhões de doses de imunizantes.

De acordo com uma nota do Ministério da Saúde brasileiro, essas doses serão distribuídas para todo o país, sendo 8.400.000 doses da CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório Sinovac e fabricada pelo Instituto Butantan no país, e 728 mil doses do medicamento desenvolvido pela AstraZeneca, fabricando pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

As doses distribuídas a partir desta quinta-feira são destinadas a profissionais de saúde e pessoas com mais de 65 anos. A idade dos beneficiários varia entre estados e municípios de acordo com a chegada das vacinas nos locais.

Também foi adiantada a vacinação de parte dos profissionais da força de segurança e salvamento e das Forças Armadas que atuam na linha de frente de combate à pandemia.

Segundo informações oficiais, 18,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 já foram aplicadas até ao momento no Brasil.

O Governo brasileiro calcula que o novo lote elevará para mais de 43 milhões de doses de imunizantes distribuídos, com um alcance de aproximadamente 24,4 milhões de brasileiros.

O Brasil é, depois dos Estados Unidos, o segundo país em número de infetados e mortos pela pandemia do novo coronavírus.

16h58 - Teste obrigatório para retoma da formação, outros fortemente recomendados

A Direção-Geral da Saúde determinou hoje a obrigatoriedade da realização de um teste à covid-19 antes do regresso às atividades desportivas dos escalões de formação, recomendando "fortemente" novos despistes durante a competição.

De acordo com a atualização da norma sobre desporto e competições desportivas, mantêm-se todas as medidas de prevenção à doença provocada pelo novo coronavírus, especificando-se, novamente, as modalidades de baixo, médio e alto risco, mas também as indicações sobre a testagem.

"Para a retoma das atividades desportivas é obrigatória a apresentação de um resultado negativo num teste laboratorial para a SARS-CoV-2, realizado nos termos da Norma 019/2020 da DGS [PCR ou antigénio] até 72 horas antes do início das atividades, por parte de todos os praticantes de escalões de formação de modalidades desportivas de médio e alto risco", lê-se no documento.

Além deste teste, obrigatório, a DGS considera "fortemente recomendado que os clubes e as federações promovam a realização de testes laboratoriais para SARS-CoV2 aos praticantes das modalidades desportivas, de acordo com as categorias de risco das diferentes modalidades, disciplinas ou vertentes das modalidades desportivas e da situação epidemiológica a nível regional e local".

16h44 - António Costa apela aos portugueses para que evitem convívios na Páscoa

O primeiro-ministro apelou novamente aos portugueses para que evitem os convívios durante o período da Páscoa, considerando que isso será "absolutamente fundamental" para evitar a propagação de casos de infeção de covid-19.

"Evitar os convívios com outras pessoas é absolutamente fundamental. O tradicional almoço de Páscoa deve ser mesmo evitado", disse António Costa, na conferência de imprensa realizada após o conselho de ministros.

O chefe de Governo salientou que estes momentos de convívio em que as pessoas se juntam à volta da mesa, e naturalmente sem máscara, "são focos de transmissão da doença".

"Renovo o apelo para que todos façamos o esforço de evitar que esta Páscoa possa ser uma Páscoa infeliz", disse.

16h42 - Permitido circular entre concelhos do continente na quinzena após a Páscoa

A proibição da circulação entre concelhos no continente português não vai estar em vigor na quinzena após a Páscoa, depois da aplicação atual da medida, que termina na segunda-feira, anunciou hoje o primeiro-ministro.

"Na próxima quinzena não está prevista a proibição de circulação entre concelhos, seja à semana, seja ao fim de semana, afirmou António Costa, em conferência de imprensa, após uma reunião do Conselho de Ministros.

A proibição de circulação entre os 278 municípios do continente foi já aplicada por várias vezes no âmbito do combate à pandemia de covid-19.

A medida está atualmente em vigor, neste período de Páscoa, desde a sexta-feira passada e até às 05h00 de segunda-feira.

16h40 - Esplanadas reabrem na segunda-feira mas Costa recomenda "cautelas"

Os restaurantes, pastelarias e cafés com esplanada podem reabrir na segunda-feira, com grupos limitados a quatro pessoas, mas o primeiro-ministro recomendou que se mantenham "todas as cautelas".

"As esplanadas poderão abrir, mas gostaria de recordar que não pode haver grupos com mais de quatro pessoas e que, mesmo na esplanada, devemos manter todas as cautelas", afirmou António Costa.

"Obviamente, quando estamos a tomar o café, seguramente não estaremos com máscara. Quando permanecemos no café, mesmo ao ar livre, devemos manter a máscara", acrescentou o governante.

16h37 - Desconfinamento em 19 concelhos com risco mais elevado será reavaliado dentro de duas semanas

O primeiro-ministro afirmou que há 19 concelhos no continente acima do limiar de risco de incidência da covid-19, que podem não avançar no desconfinamento, caso a situação se mantenha na próxima avaliação do Governo.

António Costa explicou que existem 13 concelhos com entre 120 a 240 casos por 100 mil habitantes: Alandroal, Albufeira, Beja, Borba, Cinfães, Figueira da Foz, Figueiró dos Vinhos, Lagoa, Marinha Grande, Penela, Soure, Vila do Bispo e Vimioso.

Com mais de 240 casos por 100 mil habitantes registam-se os concelhos de Carregal do Sal, Moura, Odemira, Portimão, Ribeira de Pena e Rio Maior.

16h25 - Incidência mais baixa permitiu avançar no desconfinamento

A decisão de aplicar a segunda fase do plano de desconfinamento, conhecido a 11 de março, no âmbito da pandemia de covid-19, foi decidida hoje em Conselho de Ministros, depois de analisada a situação epidemiológica em Portugal, em especial a taxa de transmissão (Rt) e a incidência de novos casos.

António Costa explicou que "a aplicação combinada dos dois critérios" - incidência e ritmo de transmissão - mantém Portugal "claramente no quadrante verde" da matriz de risco.

Segundo os dados apresentados pelo chefe de Governo, a taxa de incidência no território continental fixava-se, a 9 de março, em 118,49 casos por 100 mil habitantes. A 31 de março, esse número baixou para 62,4.

“Tivemos uma evolução positiva”, explicou o primeiro-ministro. “Há, contudo, uma outra variável a ter em conta, que é o nível de transmissibilidade da doença”, que tem vindo a acelerar.

Segundo os dados apresentados por António Costa, a 9 de março o Rt no continente era de 0,78, enquanto a 31 de março tinha já subido para 0,94 – valor que se mantém esta quinta-feira.

16h14 – Desconfinamento vai avançar com novas medidas a partir de 5 de abril

“A partir de segunda-feira, poderemos passar à segunda fase do desconfinamento”, anunciou o primeiro-ministro, no final da reunião de Conselho de Ministros desta quinta-feira.

As medidas em vigor já a partir do dia 5 de abril em todo o território nacional serão as seguintes:

- Vai ser retomado o ensino presencial para os 2.º e 3.º ciclos e para ATLs para as mesmas idades;

- As lojas com até 200 m2 e porta para a rua poderão voltar a abrir;

- Serão reabertos os centros de dia e os equipamentos sociais na área da deficiência;

- As esplanadas poderão ser usadas novamente, com um máximo de quatro pessoas por grupo;

- As feiras e mercados não alimentares poderão voltar a funcionar, dependendo essa decisão dos próprios municípios;

- Volta a ser permitida a prática de modalidades desportivas de baixo risco sem contacto físico, assim como de atividade física ao ar livre até quatro pessoas e em ginásios sem aulas de grupo;

- Os museus, monumentos, palácios, galerias de arte e semelhantes vão voltar a funcionar também a partir de dia 5 de abril.

15h55 – África com mais 349 mortos e 19.173 infetados nas últimas 24 horas

África registou mais 349 mortes associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, para um total de 112.820 desde o início da pandemia, e 19.173 novos casos de infeção, segundo os dados oficiais mais recentes no continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), o número total de infetados nos 55 Estados-membros da organização é de 4.222.260 e o de recuperados da doença nas últimas 24 horas é de 8.898, para um total de 3.771.866 desde o início da pandemia.

A África Austral continua a ser região mais afetada, registando hoje 1.908.921 infetados e 60.079 mortos associados ao contágio com a doença. Nesta região, a África do Sul, o país mais atingido pela covid-19 no continente, regista 1.548.157 casos e 52.846 mortes.

15h43 – Carris repõe oferta normal a partir de segunda-feira

A Carris vai repor a sua oferta normal a partir da próxima segunda-feira, quando começa a segunda a fase do desconfinamento a "conta-gotas" definido pelo Governo, anunciou hoje a empresa de transportes públicos de Lisboa.

Numa nota enviada à agência Lusa, a Carris refere que, aos fins de semana e feriados, será reposto o serviço das carreiras de bairro 26B, 29B, 31B, 32B, 34B, 37B, 41B, 43B, 44B, 58B, 70B, 73B, 76B e 79B, bem como o das carreiras 716, 720, 732, 797 e 24E.

A empresa revela ainda que o funcionamento dos elevadores da Bica, Glória e Lavra vai ser retomado, ressalvando que o Elevador de Sta. Justa manter-se-á suspenso todos os dias.

"É também reposto o percurso habitual da carreira 730, via Avenida General Roçadas e Rua Mestre António Martins", é acrescentado.

A Carris reforça que vai continuar a fazer "uma monitorização diária e os ajustes necessários para garantir um serviço com segurança para todos os clientes".

14h57 – Presidente da Câmara de Viseu mantém-se internado em estado crítico

O presidente da Câmara de Viseu, Almeida Henriques, mantém-se em estado crítico no serviço de medicina intensiva do Hospital de São Teotónio, devido à covid-19, informou hoje a vice-presidente da autarquia, Conceição Azevedo.

"Nos últimos dias, houve uma evolução desfavorável, com agravamento do seu estado clínico. As informações mais recentes, de hoje, dizem que este quadro se mantém", disse Conceição Azevedo aos jornalistas, no final da reunião de Câmara.

A vice-presidente da autarquia agradeceu a "onda de solidariedade" que se gerou, com muitas mensagens a chegarem diariamente de pessoas e de instituições, mas lamentou a forma como "uma situação tão delicada como esta tem sido tratada por alguns órgãos de comunicação social e nas redes sociais".

14h17 – Franceses retornam ao confinamento geral

A França regressa ao confinamento total em todo o país durante o próximo mês. É o resultado do acelerar da terceira vaga da pandemia, que está a deixar os cuidados intensivos no limite.

14h13 – Internamentos em Portugal continuam a baixar, mas subiram os casos em UCI

Os internamentos no país continuam a diminuir. Segundo o mais recente relatório da DGS, há agora 538 pessoas hospitalizadas, menos 20 do que na véspera.

Em Unidades de Cuidados Intensivos, no entanto, o número subiu ligeiramente. Há agora 129 pacientes em UCI, mais dois do que ontem.

Portugal mantém-se esta quinta-feira na zona verde do quadro da matriz de risco, com a taxa de incidência nacional fixada em 62,4 casos de infeção por 100 mil habitantes, à semelhança do dia anterior.

O R(t), indicador de transmissibilidade do vírus, continua nos 0,94 a nível nacional.

14h05 - Portugal com 592 novos casos e 11 óbitos em 24 horas

Foram registados mais 592 casos de infeção pelo novo coronavírus em Portugal nas últimas 24 horas, elevando para 822314 o total acumulado desde que a pandemia chegou ao país.

Contam-se também mais 11 vítimas mortais da Covid-19, para um total de 16859.

O número de recuperados no último dia foi 702, pelo que existem já 778912 pessoas dadas como recuperadas da doença.

Do total de novos contágios no último dia, 150 ocorreram na região Norte, 41 no Centro, 267 em Lisboa e Vale do Tejo, 35 no Alentejo, 64 no Algarve, nove nos Açores e 26 na Madeira.

14h04 – Novas regras nas fronteiras nacionais aplicam-se a aeroportos e fronteiras terrestres

Muitos dos viajantes foram surpreendidos ao longo da manhã desta quinta-feira, uma vez que ficam a saber das regras apenas no momento da chegada a Portugal.

13h54 – SNS e centros de vacinação garantem cumprimento do plano

A task force que coordena a vacinação contra a covid-19 afirmou hoje que a capacidade instalada no Serviço Nacional de Saúde, reforçada com os centros de vacinação em massa, garante o cumprimento do plano.

“Existe uma capacidade instalada na rede de cuidados de saúde do SNS, à qual acresce a dos centros de vacinação covid, a serem implementados em articulação entre administrações regionais de saúde, os agrupamentos de centros de saúde e autarquias, que se perspetiva garantir o essencial do plano de vacinação”, adiantou a estrutura liderada pelo vice-almirante Henrique Gouveia e Melo.

Esta posição da task force surge na sequência da “disponibilidade imediata” manifestada na quarta-feira pela Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa (FMUL) para os seus docentes clínicos e estudantes dos últimos anos vacinarem a população, evitando a paragem do processo durante a Páscoa.

13h52 – Fronteiras nacionais com novas normas de segurança e fiscalização

De ora em diante as regras para a entrada em Portugal de cidadãos de outros países são mais apertadas. Quem vier de Estados com mais de 500 casos de Covid-19 por 100 mil habitantes tem de cumprir isolamento profilático de 14 dias. A medida abrange 14 países.

13h45 - Infarmed recebeu 32 pedidos para venda de autotestes

Até 30 de março, o Infarmed recebeu 32 pedidos para autorização de autotestes de 21 fabricantes, mas até à data apenas um foi autorizado por ter preenchido todos os critérios.

Em comunicado, o Infarmed adianta que, até agora, apenas está autorizado o teste SARS-CoV-2 "Rapid Antigen Test Nasal do fabricante SD Biosensor, Inc, uma vez que deu cumprimento aos critérios definidos, quer na apresentação de 25 testes quer na apresentação de 25 testes destinada a ser fracionada em farmácias e LVMNS [Locais de venda de medicamentos não sujeitos a receita médica] autorizados".

Com vista à autorização de autotestes covid-19 pelo Infarmed, ao abrigo da portaria que estabelece um regime excecional e temporário para a realização em autoteste de testes rápidos de antigénio (TRAg), foram definidos os critérios de inclusão neste regime para sua a utilização de TRAg "de uso profissional por leigos".

Neste âmbito, o Infarmed tem recebido desde 22 de março diversos pedidos que totalizaram 32 até terça-feira relativos a 31 referências de testes (algumas variam na apresentação - número de testes) de 21 fabricantes distintos.

"De todos os requerimentos recebidos, apenas 10 foram devidamente submetidos pelo fabricante, tal como exigido, uma vez que este é o responsável por toda a informação e documentação técnica relativa aos testes", salienta o Infarmed.

13h17 - Campanha com celebridades promove a vacinação nos EUA

O Governo dos Estados Unidos lançou uma campanha de comunicação, com recurso a celebridades e figuras proeminentes. O objetivo é promover a vacinação contra a Covid-19.

A campanha "We Can Do This" ("Vamos conseguir fazer isto"), do Departamento de Saúde e dos Recursos Humanos inclui anúncios televisivos e nas redes sociais, mas também conta com a ajuda de grupos comunitários, atletas, figuras religiosas e celebridades para divulgar a mensagem de confianças na eficácia das vacinas aprovadas.

13h13 - Mais 8.304 casos e 33 óbitos na Suécia

A Suécia registou um total de 8.304 novos casos de Covid-19 e 33 mortos. No total, houve 13.498 óbitos no país por Covid-19.

13h01 – Mais de 2,81 milhões de pessoas morreram desde o início da pandemia

A pandemia de SARS-CoV-2 fez pelo menos 2.816.908 mortos em todo o mundo, desde que a OMS detetou a doença na República Popular da China no final de dezembro de 2019, de acordo com o balanço diário efetuado pela France-Presse.

Mais de 128.851.200 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados desde o início da pandemia.

Os números têm como base os balanços comunicados diariamente pelas autoridades sanitárias de cada país, excluindo as revisões realizadas posteriormente pelos organismos responsáveis pelas estatísticas da Rússia, Espanha e Reino Unido.

Na quarta-feira foram notificadas mais 11.979 mortes e registaram-se 637.012 novos casos, em todo o mundo.

Os países em que ocorreram mais óbitos nos últimos balanços são o Brasil com 3.869 mortes, Estados Unidos (1.076) e a Polónia (620).

No total, os Estados Unidos são o país mais afetado tanto em número de mortos (552.073) como em número de contágios (30.460.836) de acordo com a contagem feita pela Universidade Johns Hopkins.

A seguir aos Estados Unidos os países mais tocados pela crise sanitária são o Brasil com 321.515 mortos e 12.748.747 casos; o México com 203.210 mortos (2.238.887 casos); a Índia com 162.927 mortos (12.221.665 casos) e o Reino Unido com 126.713 óbitos (4.345.788 casos).

12h03 – Mortes atribuídas à Covid-19 em Portugal continuaram a decrescer durante março

A mortalidade em Portugal entre 8 e 21 de março continuou abaixo da média para o mesmo período nos últimos cinco anos, com os óbitos atribuídos à covid-19 a decrescerem.

Segundo dados do Instituto Nacional de Estatística publicados hoje, entre 8 e 14 de março morreram 2.128 pessoas e entre 15 e 21 de março morreram 2.091 pessoas, menos 9,2 por cento e menos 8,5%, respetivamente, do que a média das mesmas semanas entre 2015 e 2019.

Na primeira semana, 6,1% das mortes foram atribuídas à covid-19, número que desceu para 4,3% na semana seguinte.

Das 4.219 pessoas que morreram neste período, 70,4% tinham 75 anos ou mais, registando-se uma diminuição de 14,3% nas mortes de pessoas entre os 85 e os 89 anos face à média das mesmas semanas entre 2015 e 2019.

Mais de 80% das mortes ocorreram nas regiões Norte, Centro e Área Metropolitana de Lisboa, com Alentejo, Centro e Algarve a apresentarem números de mortes por cem mil habitantes superiores ao valor nacional desse indicador, que foi de 41.

Nestas duas semanas, 62,9% das mortes aconteceram em estabelecimentos hospitalares.

11h57 – Novo estudo da Pfizer com pessoas inoculadas há seis meses prova 91% de eficácia da vacina

A Pfizer avançou esta quinta-feira que a sua vacina contra a Covid-19 revelou 91 por cento de eficácia na prevenção da doença. A conclusão resulta de estudos clínicos que incluíram participantes inoculados desde há seis meses.

Em novembro, estudos da farmacêutica tinham apontado para uma eficácia de 95 por cento num ensaio com 44 mil participantes, mas desde então diversas variantes surgiram pelo mundo, desafiando a capacidade das vacinas contra o SARS-CoV-2.

No mais recente estudo, a vacina da Pfizer mostrou ser 100 por cento eficaz a prevenir a Covid-19 nos 800 participantes oriundos da África do Sul, onde é dominante a variante B1351 do novo coronavírus.

Os dados “fornecem os primeiros resultados clínicos de que a vacina consegue eficazmente proteger contra as estirpes em circulação, um fator crítico para alcançarmos a imunidade de grupo e acabarmos com esta pandemia entre a população global”, declarou Ugur Sahin, chefe executivo da BioNTech, que desenvolveu a vacina em conjunto com a Pfizer.

11h01 – Holanda admite realizar Festival Eurovisão com 3.500 espetadores

O Governo da Holanda afirma que o festival Eurovisão 2021, que se realiza em Roterdão, pode contar com a presença máxima de 3.500 espetadores que devem apresentar um teste de PCR negativo antes de entrar na sala do evento.

A intenção do executivo holandês é organizar o espetáculo da Eurovisão no âmbito das investigações "Fieldlab Events" que já estão a ser desenvolvidas em jogos de futebol e concertos.

As investigações científicas consistem em experiências práticas que pretendem investigar a forma de organização de eventos de grande audiência de forma segura perante a pandemia de SARS-CoV-2, noticiou a estação de televisão holandesa NOS.

10h21 – China vai produzir 100 milhões de doses da vacina russa Sputnik V

A China concordou produzir mais de 100 milhões de doses da Sputnik V, a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pela Rússia.

A informação foi avançada esta quinta-feira pelo Russian Direct Investment Fund (RDIF), fundo que comercializa a Sputnik V a nível global. Segundo a entidade, Rússia e China planeiam cooperar na realização de ensaios clínicos na China para promover o uso da vacina nesse território.

Na China, será a farmacêutica TopRidge Pharma a produzir a Sputnik V e a distribuí-la pelo país, assim como por Hong Kong, Macau e Taiwan, de acordo com o RDIF.

10h11 - OMS diz que são necessárias novas restrições para combater pandemia

A Organização Mundial da Saúde descreveu hoje como "necessárias" novas restrições na Europa devido ao crescente número de casos do SARS-CoV-2, ao avanço da variante britânica e ao aumento da mobilidade pela semana da Páscoa.

"A situação na região é agora mais preocupante do que vimos em vários meses", disse a diretora regional da OMS para Emergências na Europa, Dorit Nitzan.

"Muitos países estão a introduzir novas medidas (de combate à pandemia) que são necessárias e todos devem segui-las tanto quanto possível", acrescentou Nitzan.

Na sua opinião, também existem “riscos associados” ao “aumento da mobilidade” e às reuniões nestes feriados da Páscoa.

Numa nota do seu escritório europeu, a OMS também chamou de “inaceitavelmente” lento o ritmo da campanha de vacinação no continente.

De acordo com dados da OMS, na semana passada foram registados 1,6 milhão de novos casos e quase 24 mil mortes no continente, em comparação com menos de um milhão de há cinco semanas.

9h57 - União Europeia falha metas de vacinação

A União Europeia encerrou o primeiro trimestre da campanha de vacinação sem cumprir as metas que tinha estabelecido. Bruxelas tinha previsto que até ao fim de mês de março fossem vacinados 80 por cento da população com mais de 80 anos e 80 por cento dos profissionais de saúde. No entanto, apenas 27 por cento da população mais idosa e menos de metade dos profissionais de saúde foram inoculados.

A União Europeia também não conseguiu cumprir o cronograma de distribuição de doses planeado, neste caso devido às falhas de fornecimento por parte da farmacêutica AstraZeneca, que entregou menos 70 milhões de doses do que o prometido.

Bruxelas espera relançar as campanhas de vacinação nos Estados-membros em abril e atingir a meta de 70 por cento da população adulta vacinada até ao final do verão. Em junho chegam mais de 350 milhões de doses.

9h44 - "Não vai haver dificuldades para contratar enfermeiros"

A bastonária da Ordem dos Enfermeiros afiança que "não vai haver dificuldades para contratar enfermeiros para a vacinação" contra a Covid-19.

Pelo menos 9366 profissionais manifestaram-se disponíveis para o processo de vacinação em massa.

"Encerrámos o inquérito às 11h00 e há enfermeiros que continuam a enviar emails a dizer que já não conseguem responder ao inquérito. Foram só cinco dias e decidimos que vamos criar um outro link para continuarem a dar as suas disponibilidades. Vamos ficar com eles em carteira, mas tínhamos de ter um deadline para enviar [a lista], até porque tinha combinado com o secretário de Estado [da Saúde António Lacerda Sales] e o vice-almirante [Henrique Gouveia e Melo] enviarmos agora no início de abril", afirmou Ana Rita Cavaco, citada pela agência Lusa.

9h41 - Hong Kong retoma utilização da vacina da BioNTech

As autoridades sanitárias de Hong Kong anunciam a intenção de retomar o uso da vacina contra da BioNTech contra a Covid-19 na próxima segunda-feira. As inoculações estão interrompidas há nove dias, decisão tomada devido a defeitos nas embalagens.

"Queremos reforçar a confiança do público no programa de vacinação", afirmou o secretário para o Serviço Civil, Patrick Nip.

9h32 - Covid-19 na comitiva da seleção italiana de futebol

Quatro membros da comitiva da seleção italiana testaram positivo ao novo coronavírus, anunciou a Federação Italiana de Futebol, horas depois de vencerem na Lituânia por 2-0.

Segundo a FIGC, um desses quatro já tinha regressado a Itália após o jogo disputado no domingo na Bulgária (2-0), com os outros três em isolamento, segundo a nota enviada já depois da partida com os lituanos, para o apuramento para o Mundial de 2022.

Todos os outros membros do "staff" que tinham tido contacto com o membro que regressou a Itália preventivamente foram isolados em Vílnius e testados novamente, com os resultados a chegarem pouco depois do fim do jogo, com três novos casos.

9h16 - Turismo algarvio volta a viver a Páscoa de portas fechadas

O sector hoteleiro do Algarve encara a chegada da Páscoa com uma sensação de déjà vu. Pelo segundo ano consecutivo, a pandemia obriga a manter as portas fechadas ao turismo, num período que normalmente dá início à chamada época alta.
O repórter da Antena 1 Mário Antunes constatou que a esmagadora maioria dos hotéis algarvios está mesmo de portas fechadas.

9h10 - Ucrânia reporta novos máximos

A Ucrânia regista esta quinta-feira 17.569 novas infeções e mais 421 mortes associadas à Covid-19. São novos máximos desde o início da pandemia.

Com uma população de 41 milhões de habitantes, a Ucrânia acumula até o momento 1.691.737 casos e 33.246 mortes.

9h03 - Fisioterapeutas alertam para incumprimento

A Associação Portuguesa de Fisioterapeutas vem advertir para o incumprimento da norma relativa às prioridades de vacinação contra a Covid-19, considerando urgente vacinar estes profissionais que prestam cuidados de saúde diretos.

Em comunicado, a estrutura assinala que a norma relativa à campanha de vacinação, atualizada em março, estabelece como prioritária a inoculação de profissionais de saúde envolvidos na prestação direta de cuidados.

"Os fisioterapeutas, tal como se encontra plasmado na sua descrição de competências e como pode ser facilmente verificado pela sua prática profissional diária, são profissionais de prestação direta de cuidados, cumprindo assim este critério".

8h58 - Conferência Episcopal exclui lava-pés ou beijo na cruz

Este ano os rituais católicos da Páscoa vão ter de fazer um compasso de espera.
Antena 1

Por causa da Covid-19, muitos dos atos religiosos estão proibidos, tal como aconteceu no ano passado.

8h53 - Previsão para o pico de infeções em França

O ministro francês da Saúde, Olivier Véran, estima que o país atinja o pico da atual vaga pandémica em sete a dez dias.

"Precisaremos então de mais duas semanas para atingir o pico de internamentos em unidades de cuidados intensivos, o que deverá acontecer no final de abril", acrescentou o governante.

O número de novas infeções diárias em França duplicou desde fevereiro, para uma média próxima de 40 mil. O número de doentes em unidades de cuidados intensivos ultrapassou esta semana os cinco mil.

8h38 - Osaka dispensa tocha olímpica

O governador de Osaka afirma que a passagem da tocha olímpica pela cidade, no âmbito dos Jogos Olímpicos no Japão, deveria ser cancelada, tendo em conta os preparativos para novas restrições, por causa do recrudescimento da Covid-19.

Em declarações citadas pelo jornal local Mainichi, Hirofumi Yoshimura aponta o rápido aumento das infeções em Osaka: "Pensamos que [a etapa da tocha olímpica] entra na categoria de saídas não indispensáveis e que deveríamos evitar as multidões na cidade de Osaka".

8h29 - Vacinas chegam ao Vietname

O Vietname recebeu esta quinta-feira 811 mil doses da vacina da AstraZeneca contra a Covid-19, o primeiro carregamento levado a cabo ao abrigo do mecanismo COVAX. A remessa estava atrasada há uma semana, por causa de dificuldades de fornecimento.

O país do sudeste asiático espera receber 30 milhões de doses no quadro da COVAX.

8h07 - Vacinas. Um apelo da OMC

A secretária-geral da Organização Mundial do Comércio apelou, em declarações à BBC, a uma distribuição mais alargada de tecnologia ligada à produção de vacinas contra a Covid-19, de forma a chegar ao países mais pobres.

Ngozi Okonjo-Iwealam considera "inaceitável" que estes países estejam "no fim da fila" para as vacinas.

7h53 - Os números da SNS24

No primeiro trimestre deste ano, a Linha SNS24 atendeu mais de 1,6 milhões de chamadas. É mais do dobro do verificado em igual período de 2020.

No primeiro trimestre de 2020, que inclui o mês de março, quando a pandemia chegou a Portugal, foram atendidas cerca de 700 mil chamadas.

Em declarações à agência Lusa, o presidente dos Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, Luís Goes Pinheiro, adianta que o número de chamadas no primeiro trimestre de 2021 para a Linha SNS24 ultrapassa "largamente todo o ano de 2019", durante o qual foram atendidas 1.485.000 chamadas.

Em janeiro deste ano a SNS24 recebeu quase 1.100.000 chamadas e em março atendeu cerca de 180 mil.

7h45 - Vacinação obrigatória para profissionais de saúde em Itália

As autoridades italianas tornaram obrigatória a vacinação para os trabalhadores do sector da saúde. É uma medida que poderá causar controvérsia em território transalpino, onde o sentimento antivacinas tem vindo a ganhar corpo.

7h43 - Lote estragado

A Johnson & Johnson confirma que um dos lotes da sua vacina contra a Covid-19 falhou nos padrões de segurança e não pode ser utilizado.

A farmacêutica não especifica quantas doses se perderam e deixa por clarificar se este incidente terá impacto no seu calendário de remessas.

7h24 - Alemanha acima dos 24 mil casos diários

O número de casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus na Alemanha aumentou, desde quarta-feira, em 24.300, para um total de 2.833,173 acumulados desde o início da pandemia.

Morreram mais 201 pessoas no mesmo período, para um total acumulado de 76.543 óbitos.

7h12 - Novo máximo de infeções na Venezuela

A Venezuela registou ontem 1348 novos casos de infeção, o número mais elevado desde março de 2020, confirmou a vice-presidente venezuelana, Delcy Rodríguez.

"A Comissão Presidencial para a Prevenção e Controlo da Covid-19 informa que nas últimas 24 horas registaram-se 1348 novos contagiados no país (1337 casos comunitários e 11 importados)", escreveu Rodríguez no Twitter.

De acordo com a vice-presidente, a região "com maior número de novos casos comunitários nas últimas 24 horas" é o Estado venezuelano de Miranda, vizinho da capital, com casos ativos em 16 municípios, seguindo-se a cidade de Caracas e o Estado de La Guaria, também vizinho da capital.

Em 24 horas morreram 13 pessoas.

7h00 - Vacinas a caminho de Timor-Leste

O primeiro lote de 24 mil doses de vacinas contra a Covid-19 chega a Timor-Leste na próxima segunda-feira, através de um voo fretado pela UNICEF.

As vacinas vão ser levadas a Díli num voo charter contratado pela Unicef, que está a apoiar Timor-Leste no transporte, e que será operado pela My Indo Airlines, empresa de transporte de carga com sede em Jacarta.

6h39 - Ponto de situação

O Governo decidiu enviar para o Tribunal Constitucional os diplomas sobre os apoios sociais. O anúncio foi ontem feito pelo primeiro-ministro.

O Executivo de António Costa considera que estas leis violam a Constituição e por isso devem ser analisados.
Os diplomas em questão dizem respeito a um aumento de apoios sociais para trabalhadores independentes, pais em teletrabalho e profissionais de saúde.

O primeiro-ministro afirma que, nos primeiros três meses do ano, os apoios sociais extraordinários pagos pela Segurança Social já representam o total do que foi gasto em 2020.

O PSD acusa o Governo de colocar os portugueses no meio de uma querela entre Belém e São Bento.
Já o PCP acusou o Executivo de abrir um conflito com os portugueses, enquanto o BE disse que António Costa está a dramatizar a situação porque há dinheiro para avançar com os apoios sociais.
Marcelo e a legislatura
Marcelo Rebelo de Sousa afirma que quer saber se o Governo e a oposição querem levar a legislatura até ao fim.O Presidente pretende dedicar mais atenção ao Plano de Recuperação e Resiliência, noticia o Expresso. Na próxima segunda-feira, Marcelo recebe em Belém o governador do Banco de Portugal e António Costa Silva, responsável pelo plano.

Em declarações ao Expresso, o Presidente da República refere que é muito importante que os partidos políticos criem condições conduzir o Plano de Recuperação e Resiliência sem sobressaltos, até 2023. Marcelo considera que isso implica garantir a aprovação dos próximos dois orçamentos do Estado.

Relativamente aos diplomas que o Governo decidiu remeter ao Tribunal Constitucional, o Chefe de Estado considera que é o direito que serve a política e não a política que serve o direito.
Ana Isabel Costa - Antena 1
Moratórias
O Parlamento aprovou o prolongamento das moratórias bancárias por seis meses.

Os social-democratas viabilizaram o diploma do PCP, mas querem que se limite ao período do estado de emergência e sempre com a concordância da Autoridade Bancária Europeia. O PS está contra e acusa o PSD de estar a ser hipócrita nesta matéria.

O diploma segue para discussão na especialidade. Só será enviado ao Presidente da República se passar em votação final.

As moratórias privadas para habitação recuaram 42 por cento entre junho e fevereiro.

Desde outubro, houve um aumento no crédito à habitação de 242 milhões de euros na moratória pública e uma redução de 785 milhões de crédito na privada.

Recorreram às moratórias privadas 294.700 pessoas - 86 mil dizem respeito ao crédito à habitação. O valor médio destes créditos ronda os 38 mil euros.
O que diz Centeno
O governador do Banco de Portugal afirna que uma possível extensão das moratórias "é reduzida", mas que esse trabalho não está fechado.

Em entrevista à TVI, Mário Centeno diz que as consequências de uma moratória que não está enquadrada nas orientações da autoridade europeia para os bancos, tem alguns aspetos gravosos para os bancos e os próprios clientes.
Antena 1

A probabilidade de haver uma extensão é reduzida, mas o governador diz que essa porta não está fechada.
Estimativa para a economia
O Conselho de Finanças Públicas prevê que em 2022 a economia regresse aos níveis pré-pandemia. Aponta para um crescimento económico de 4,9 por cento, valor abaixo do estimado pelo Governo. Este ano deverá ficar nos 3,3 por cento.

Em relação ao défice, a previsão é de 4,1 por cento, também menos do que nas previsões do Executivo.

No desemprego, o Conselho de Finanças Públicas prevê uma subida para os 8,3 por cento este ano, com uma descida para os 7,3 em 2022.
Máscaras na via pública
A Assembleia da República aprovou o projeto-lei do PSD que renova por 60 dias o uso obrigatório de máscara em espaços públicos.

PS, PSD, CDS-PP, PAN e a deputada não inscrita Cristina Rodrigues votaram a favor. BE, PCP, "Os Verdes" e a deputada Joacine Katar Moreira abstiveram-se e Chega e Iniciativa Liberal votaram contra.

A medida, que está em vigor desde 28 de outubro, deveria terminar a 5 de abril, mas deverá agora estender-se até meados de junho.

As coimas para quem não cumprir vão dos 100 aos 500 euros.
Calendário do desconfinamento
O Governo deverá aprovar esta quinta-feira os próximos passos no processo de desconfinamento. O Conselho de Ministros irá definir o que acontecerá a partir de segunda-feira.

À partida poderá haver um alívio das restrições, mas sempre dependente do evoluir da situação no país.
O quadro em Portugal
Morreram mais três pessoas com Covid-19 em Portugal, reportou a Direção-Geral da Saúde no mais recente boletim epidemiológico, divulgado ao início da tarde de quarta-feira. Desde o início da pandemia, foram registadas 16.848 mortes associadas à doença causada pelo SARS-CoV-2.

Havia ontem mais 618 casos de infeção, num total de mais de 821 mil.

Nos hospitais estavam internadas 558 pessoas, menos 26 do que na véspera - 127 permaneciam nos cuidados intensivos.
O quadro internacional
A pandemia da Covid-19 provocou pelo menos 2.805.004 mortes, resultantes de mais de 128,1 milhões de casos de infeção, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.
Enquanto França volta a fechar-se por quatro semanas, nos Estados Unidos um estudo concluiu que a vacina contra a Covid-19 da Pfizer é 100 por cento eficaz em adolescentes entre 12 e 15 anos.