Reportagem
|

Covid-19. A situação ao minuto do novo coronavírus no país e no mundo

por RTP

Lusa

Acompanhamos aqui todos os desenvolvimentos sobre a propagação do SARS-CoV-2 à escala internacional.

Mais atualizações

VEJA A INFOGRAFIA COM TODOS OS DADOS ATUALIZADOS DA SITUAÇÃO EM PORTUGAL. CLIQUE AQUI



23h35 - EUA. Especialistas admitem ligação "provável" entre vacinas e casos de miocardite

As autoridades sanitárias dos Estados Unidos da América reconheceram a existência de uma ligação "provável" entre as vacinas da Pfizer e da Moderna contra a Covid-19 e casos raros de inflamação a nível cardiaco entre adolescentes e jovens adultos.

Os benefícios da vacinação "ultrapassam" contudo largamente os riscos, acrescentaram, enquanto recomendaram que a vacinação seja suspensa para as pessoas que desenvolvam uma miocardite apos a primeira dose.

"Os factos são claros. Trata-se de um efeito secundário muito raro", referiram em declaração vários responsáveis do organismo federal de Saude norte-americano. "A maior parte dos casos sao ligeiros, com os indivíduos a curarem-se muitas vezes por eles próprios ou com um tratatmento minimo".

A miocardite é um inflamação do miocárdio. Foram apresentados cerca de 300 casos a especialistas independentes esta quarta-feira, durante uma reunião do Comité Consultor para as vacinações dos EUA.

23h10 - Brasil regista mais 115.228 casos de infeção com o SARS-CoV-2, um novo recorde, e mais 2.392 óbitos com Covid-19.

O recorde anterior de casos positivos de Sars-CoV-2 havia sido alcançado em março, quando o país chegou a 100.158 infeções num só dia, 15.070 diagnósticos a menos do que os hoje registados.

Estes números parecem confirmar a tese de vários especialistas em saúde, que afirmam que o Brasil encontra-se a enfrentar uma terceira vaga da pandemia.

Em relação aos óbitos, o país sul-americano somou 2.392 mortes entre terça-feira e hoje, num total de 507.109 vidas perdidas devido à doença causada pelo novo coronavírus.

Mantendo a tendência dos últimos dias, o Brasil voltou hoje a ser a nação com maior número de óbitos e de casos de covid-19 em todo o mundo nas últimas 24 horas, de acordo com o painel Worldometer.

23h00 - Autarcas do Algarve insistem em "revisão urgente" na contabilização de casos

A Comunidade Intermunicipal do Algarve (AMAL) insistiu hoje em que “sejam revistos com urgência” os critérios de contabilização dos casos positivos de covid-19 na região, com o risco de serem penalizados “injustamente” os municípios com grande peso turístico.

“Continuamos a reivindicar uma forma de contabilização diferente dos casos que são atribuídos ao Algarve, porque a fórmula atual não reflete a situação real, ao incluir os não residentes”, disse à Lusa António Miguel Pina, presidente da AMAL, no final de uma reunião com os presidentes dos 16 municípios algarvios.

António Miguel Pina indicou que os autarcas do Algarve “continuam descontentes por não haver uma atenção diferente” para a região, exemplificando com os casos contabilizados no concelho de Albufeira, “onde metade dos infetados são estrangeiros que ali passam férias”.

“Infelizmente, a forma como este rácio é calculado pela Direção-Geral da Saúde prejudica injustamente os municípios com grande peso turístico, como é o caso de Albufeira”, lamentou o também presidente da Câmara de Olhão.

O governante considera que com esta forma de cálculo do número de infetados “há concelhos algarvios que correm o risco de terem de retroceder no desconfinamento, o que é uma situação gravíssima e, acima de tudo, é injusto”, sublinhou.

“O que nós, autarcas, reclamamos é uma forma justa de ponderação, porque esta forma é injusta”, concluiu.

22h51 - FDA vai adicionar alerta sobre inflamação rara no coração aos efeitos das vacinas da Pfizer e da Moderna

A Food and Drug Administration dos Estados Unidos afirmou hoje que vai adicionar um alerta sobre casos raros de inflamação do coração em adolescentes e adultos jovens às fichas técnicas das vacinas da Pfizer/BioNTech e Moderna contra a covid-19.

22h43 - EUA testam vacinas em grávidas

O Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos (NIH) anunciou esta quarta-feira que iniciou um estudo para avaliar as respostas imunológicas geradas pelas vacinas contra a COVID-19 em mulheres grávidas ou em pós-parto.

22h29 - França com mais 33 mortes e 2.320 novos casos nas últimas 24 horas

A França notificou hoje 33 mortes nos hospitais associadas à covid-19 nas últimas 24 horas, bem como 2.320 novos casos positivos, anunciaram hoje as autoridades sanitárias francesas.

Com os novos dados, e desde o início da pandemia, em fevereiro de 2020, França acumulou 110.891 mortes e 5,76 milhões de contágios.

22h13 - Cabo Verde com mais 81 infetados em 24 horas

Cabo Verde registou mais 81 infetados com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, elevando para 32.192 o acumulado de casos desde março de 2020, segundo dados divulgados hoje pelo Ministério da Saúde.

Em comunicado, aquele ministério referiu que os laboratórios de virologia do arquipélago processaram 944 amostras desde terça-feira, com uma taxa de positividade global de 8,6 por cento.

22h08 - Madeira com 11 novos casos e mais seis recuperados

A Madeira registou hoje 11 novos casos de covid-19 e seis doentes recuperaram da doença anunciou a Direção Regional da Saúde (DRS), referindo que o arquipélago contabiliza agora 72 casos de infeção ativos.

"No dia 23 de junho de 2021, há a reportar 11 novos casos de infeção por SARS-CoV-2 na Região Autónoma da Madeira, pelo que a região passa a contabilizar 9.600 casos confirmados de covid-19 [desde o início da pandemia]", é referido no documento divulgado pela DRS.

Entre os novos positivos, há a registar quatro casos importados, três da região de Lisboa e um da Eslováquia.

21h50 - Israel adia entrada de turistas para agosto devido ao aumento de casos

O Governo de Israel decidiu hoje adiar para agosto a entrada de turistas no país, prevista inicialmente para julho, devido ao aumento verificado nos últimos dias de novos casos da doença covid-19 naquele território. A decisão foi anunciada pelo gabinete do primeiro-ministro israelita, Naftali Bennet, e enquadra-se num conjunto de novas medidas que pretendem travar o avanço de uma possível nova vaga de infeções pelo novo coronavírus SARS-Cov-2 no país.

As novas medidas incluem, por exemplo, o aumento das coimas por violação do período de quarentena, um reforço da capacidade de monitorização das cadeias de contágio e novas campanhas informativas. Estas medidas surgem num contexto de preocupação em relação à variante Delta, inicialmente detetada na Índia e caracterizada como mais resistente e mais transmissível.

"Neste momento, o nosso objetivo, em primeiro lugar, é proteger os cidadãos de Israel da desenfreada variante Delta", afirmou Naftali Bennet, durante uma reunião com membros do executivo israelita e especialistas.

Na mesma reunião, o primeiro-ministro israelita, que tomou posse este mês, frisou, no entanto, que a estratégia que vai ser adotada pretende não alterar em muito a vida da população.

Israel contabilizou hoje, pelo segundo dia consecutivo, mais de 100 novos contágios, um número que não era registado há vários meses e que está a ser associado à entrada no país da nova variante do SARS-Cov-2 através do estrangeiro. Segundo os dados mais recentes do Ministério da Saúde israelita, o país tem atualmente 554 casos ativos da doença covid-19, dos quais 26 são doentes em estado grave.

21h32 - Estudo: alívio de restrições na Índia pode piorar a pandemia no país

Um alívio das medidas restritivas na Índia pode piorar a situação pandémica no país, concluiu um estudo realizado pela Oxford Economics sobre o contágio do vírus no segundo país mais populoso no mundo. Este estudo defende que o levantamento das restrições "não é prudente e pode resultar num novo aumento das infeções", o que levaria a um "reaperto das restrições no futuro".

Segundo a empresa de consultoria Oxford Economics, as taxas de vacinação na Índia estão "muito abaixo dos níveis considerados seguros" para levantar as restrições, apesar do "rápido declínio dos casos de covid-19" no país.

A situação da campanha de vacinação da Índia varia dentro do país, onde a maioria dos estados mais importantes economicamente, como Maharashtra, Tamil Nadu, Utar Pradexe e Bengala Ocidental, ainda não atingiram "níveis seguros de vacinação", de acordo com o relatório publicado hoje.

O estudo refere também a importância do cuidado a ter com a variante Delta do SARS-CoV-2, uma vez que é mais transmissível, um fator que altera as previsões estatísticas que os Governos usam para determinar o reforço ou alívio de medidas restritivas. A Oxford Economics alerta que, até o dia 22 de junho, apenas 3,9 por cento da população indiana foi administrada com as duas doses da vacina, o que concluiu um “progresso lento” na campanha de vacinação no país.

O relatório conclui por aconselhar um alívio mais lento das restrições, de forma a não comprometer a segurança e a saúde dos cidadãos.

21h19 - Ordem denuncia que médicos reformados foram recusados para apoiar vacinação

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos denunciou hoje que está a ser recusado a médicos aposentados a sua colaboração voluntária na vacinação à covid-19, na área do Pinhal Litoral, no distrito de Leiria.

Numa nota enviada à Lusa, a secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos revelou que “chegaram inúmeras queixas” de médicos, alguns reformados, que pretendem voluntariamente integrar as equipas de vacinação à covid-19, na área de influência do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral, designadamente em Leiria, Batalha, Marinha Grande, Pombal e Porto de Mós.

“No momento em que é preciso vacinar cada vez mais pessoas, no momento em que é importante recuperar as listas de espera nos cuidados de saúde primários, sendo fundamental voltar a ter os médicos de família dedicados no dia-a-dia aos doentes dos seus ficheiros, é absolutamente incompreensível recusar a graciosa ajuda de médicos que revelam um profundo sentido de altruísmo”, condenou o presidente da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos, Carlos Cortes, citado na nota de imprensa.

O médico acrescentou que os clínicos pretendem “ajudar” o Serviço Nacional de Saúde (SNS), “ajudando numa tarefa fundamental para travar a pandemia e salvar vidas, de forma solidária, num momento tão difícil”.

“Alguns são médicos reformados do SNS, mas com vontade de participar ativamente no combate à pandemia. Não é compreensível e chega a ser uma situação revoltante”, sublinhou Carlos Cortes.

O dirigente destacou que “todos” são “indispensáveis”.

21h10 - Agravamento em Moçambique com cinco óbitos e 436 novos casos

Moçambique registou cinco óbitos e 436 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, anunciou hoje o Ministério da Saúde na atualização diária de dados sobre a pandemia, notando um agravamento da situação.

"Com os óbitos hoje notificados, subiu para 23 o número de mortes devido à covid-19 no mês de junho, um aumento de 35,3% em relação a igual período do mês de maio”, quando o país registou 17 óbitos, nota o boletim.

O número já é superior ao total de óbitos (22) registados no mês de maio.

21h04 - Autoagendamento da vacina não vigora na Madeira

O Governo da Madeira esclareceu hoje que, ao contrário do que acontece a nível nacional, o autoagendamento da toma da vacina contra a covid-19 não está implementado na região.

"O autoagendamento não está em vigor na região", lê-se numa nota divulgada pelo gabinete do secretário da Saúde e Proteção Civil do arquipélago.

O Governo Regional fez este esclarecimento depois de terem surgido na região mensagens a promover o agendamento prévio da vacinação. A nível nacional, o autoagendamento da toma da vacina contra a covid-19 está disponível, a partir de hoje, para pessoas a partir dos 35 anos na plataforma da Direção-Geral da Saúde (DGS) destinada a estas marcações.

"Na Região Autónoma da Madeira, o agendamento da vacinação contra a covid-19 é feita pelos serviços de saúde com secretariados dedicados a esta matéria", adianta a informação do executivo madeirense.

No mesmo documento, as autoridades de saúde da Madeira destacam que a campanha de vacinação contra a covid-19 está a decorrer por todos os municípios da região e "os utentes são convocados em função do critério da idade, pelos secretariados correspondente a cada concelho". As autoridades lamentam que “estejam a circular mensagens nas redes sociais a informar da existência de linhas telefónicas a promover o agendamento prévio da vacinação”.

"As mensagens difundidas são falsas e não correspondem à estratégia regional definida pelo plano regional de vacinação contra a covid-19 na Madeira", lê-se na nota.

20h53 - Espanha tem mais de 50% da população com pelo menos uma dose da vacina

Mais de 50 por cento da população de Espanha já tem pelo menos uma dose de uma vacina contra a covid-19 e quase 32 por cento está totalmente imunizada, revelou hoje o Ministério da Saúde espanhol. De acordo com os dados oficiais, 15,1 milhões de pessoas já estão completamente vacinadas contra a covid-19 (31,9 por cento da população total), e 23,8 milhões têm pelo menos uma das doses (50,1 por cento), em cerca de 47,3 milhões de habitantes que tem o país.

A Espanha registou 4.341 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, elevando para 3.773.032 o total de infetados até agora. Os serviços sanitários também notificaram mais 29 mortes atribuídas à pandemia desde segunda-feira, havendo agora um total de 80.748 óbitos.

20h41 - Brasil regista nova estirpe identificada no Rio de Janeiro

O Brasil anunciou a descoberta de uma nova estirpe de coronavírus originária da B.1.1.28, em Porto Real, cidade localizada no estado brasileiro do Rio de Janeiro. Nomeada como P.5, a linhagem foi identificada pela Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro e tem a mesma estrutura da estirpe original do SARS-CoV-2, mas sofre mutações proteína spike, como é conhecida a coroa do vírus que se liga à célula.

A descoberta ocorreu graças à monitorização genómica da Rede Corona-Ômica-RJ.

O estudo faz parte de uma parceria entre a Secretaria de Saúde do Rio de Janeiro, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (Faperj), o Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), o Laboratório de Virologia Molecular da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), o Laboratório Central Noel Nutels, da Fiocruz, a Secretaria Municipal de Saúde do Rio de Janeiro e Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Investigadores do Rio de Janeiro e de São Paulo envolvidos na monitorização genómica do coronavírus já contabilizam 25 casos da estirpe P5 espalhados pelos dois estados.

20h30 - Delta está em 23 países europeus e Portugal é dos que menos sequencia

A variante Delta do SARS-CoV-2 está já presente em 23 países europeus, entre os quais Portugal, que é dos que menos sequencia amostras covid-19, segundo dados hoje divulgados pelo Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC).

"Até 21 de junho de 2021, foram identificados casos da variante de preocupação Delta em 23 países da União Europeia e Espaço Económico Europeu [UE/EEE]", indica o ECDC num relatório hoje divulgado.

No documento sobre "Implicações para a UE/EEE da propagação da variante de preocupação Delta da SARS-CoV-2", a agência europeia assinala que a proporção desta mutação "entre os casos sequenciados durante as semanas 21-22 [de 24 a 30 de maio e de 31 de maio a 06 de junho, respetivamente] de 2021 variou de zero para 66,2 por cento, embora o volume sequenciado varie significativamente por país".

De acordo com dados do ECDC, que têm por base as notificações feitas pelos países, Portugal foi dos países europeus que menos sequenciou amostras nestas semanas de maio e junho, o equivalente a entre 01 a 59, enquanto a maioria dos países sequenciou entre 60 a 499 amostras e até mais de 500 (estes últimos o equivalente a 10% do total). Do total destas amostras monitorizadas por Portugal, mais de 50 por cento diziam respeito à variante Delta.

20h19 - Vacinação em curso nas prisões portuguesas

Mais de 80 por cento dos reclusos já tiveram a primeira dose da vacina contra a covid-19. A percentagem dos reclusos que têm a vacinação completa é de 33 por cento.


20h10 - OMS está preocupada com a variante Delta

A estirpe indiana está disseminada em 92 países e regiões do mundo e prevê-se que no fim de agosto represente 90% dos novos casos na União Europeia. Por sua vez, as autoridades indianas estão agora preocupadas com a nova mutação Delta Plus, a chamada variante nepalesa, mais transmissível ainda e com maior capacidade de infetar as células dos pulmões.


20h04 - Marcelo elogia Merkel mas considera inevitável haver regras diferentes na UE

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, elogiou hoje a chanceler alemã, Angela Merkel, pelo seu papel na União Europeia, mas considerou inevitável haver regras diferentes no espaço europeu sobre entradas e saídas em cada Estado-membro.

"Há uma coisa que temos de reconhecer, independentemente do que ela diga: é a gratidão que devemos à chancelerina Angela Merkel por aquilo que fez pela Europa. Isso nós todos agradecemos e é bom que seja dito agora que está a três meses de sair", declarou Marcelo Rebelo de Sousa aos jornalistas, em Lisboa.

Questionado sobre as críticas que a chanceler alemã fez à falta de regras comuns na União Europeia relativamente às viagens, apontando como exemplo "uma situação em Portugal que talvez pudesse ter sido evitada", o Presidente da República contrapôs que "é uma inevitabilidade" cada Estado-membro adotar as suas regras.

Segundo Marcelo Rebelo de Sousa, "o que disse a chancelerina Angela Merkel corresponde a um problema europeu, isto é, na Europa cada país decidiu unilateralmente quer a entrada quer a saída dos outros europeus, quer as formas de restrição interna de acordo com a evolução da epidemia".

"E como na Europa tem havido ciclos diferentes, tem havido momentos em que os vários Estados se queixam uns dos outros. Nós já nos queixámos da Alemanha, a certa altura, quando um membro do Governo alemão veio falar unilateralmente do que se ia passar em relação a portugueses, aparentemente sem o conhecimento do Governo português", referiu.

"Todos os Estados, de alguma maneira, já se queixaram alguma vez daquilo que se passou noutros Estados", acrescentou.

Marcelo Rebelo de Sousa defendeu que "era difícil" ter havido melhor coordenação de regras na União Europeia.

"Idealmente, eu cheguei a pensar, no início, que fosse possível haver decisões comuns sobre entradas, saídas em todos os Estados da União Europeia. Mas isso era supor que a epidemia tinha o mesmo processo em todos ao mesmo tempo. E aprendeu-se em 2020 e voltou a aprender-se em 2021 que isso não acontecia, porque nuns casos a epidemia vinha de Leste para Ocidente, noutros casos de Ocidente para Leste", argumentou.

O chefe de Estado concluiu que, "portanto, uma coisa é a teoria, outra coisa é a prática".

19h48 - Itália regista 951 novos casos e população imunizada ultrapassa 30%

A Itália registou 951 novas infeções de covid-19 e 30 mortes nas últimas 24 horas, segundo o Ministério da Saúde, enquanto a população com idade superior a 12 anos vacinada com duas doses superou os 30 por cento.

Com estes valores, a Itália totaliza 4.255.434 infetados desde o início da emergência sanitária em fevereiro de 2020, das quais 127.352 morreram.

19h31 - Recuo de Lisboa no desconfinamento é "cenário mais provável", diz Fernando Medina

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, disse hoje que "o cenário mais provável" é o concelho recuar nas medidas de desconfinamento, no âmbito da avaliação do Governo ao mapa de risco de transmissibilidade da covid-19.

"O Governo vai avaliar a situação amanhã [quinta-feira], se aplicar o critério que tem seguido e verificando-se aquilo que tem sido a evolução dos indicadores, vai ser esse o cenário mais provável", com Lisboa a fazer marcha-atrás no plano de desconfinamento, afirmou Fernando Medina (PS).

No âmbito de uma visita ao novo centro de vacinação no pavilhão 3 do Estádio Universitário de Lisboa, acompanhada pelo Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, o autarca de Lisboa afirmou que o aumento do número de casos de covid-19 "é uma situação na qual outros municípios no país estarão também a evoluir no mesmo caminho", uma vez que "a pandemia está a crescer neste momento, não está contida, nem está a decair".

Sobre o possível recuo de Lisboa nas medidas de desconfinamento, aplicadas aos 278 concelhos de Portugal Continental, Fernando Medina adiantou que, se for aplicado o atual quadro da matriz de risco, a decisão na capital "vai ter algumas implicações relativamente a horários de funcionamento, a mais relevante é a restrição do horário da restauração às 15:30 de sábado e o não funcionamento durante o resto do fim de semana".

19h18 - Convívios e turistas em fins de semana alargados aumentam casos no Algarve

Os convívios familiares e os turistas que visitaram o Algarve nos fins de semana prolongados contribuíram para a subida de casos de covid-19 na região, afirmou a delegada de Saúde, admitindo que pode também haver influência da variante Delta.

19h06 - Angola com três mortes e mais 128 novos casos nas últimas 24 horas

Angola contabilizou três mortes associadas à covid-19, 128 novas infeções pelo novo coronavírus e 319 recuperados, nas últimas 24 horas, informou hoje o Ministério da Saúde.

18h56 - Manifestantes pressionam Governo britânico a reabrir viagens internacionais

Representantes do setor de turismo e viagens do Reino Unido exigiram hoje ao Governo britânico medidas urgentes para reabrir de forma "segura" um setor atingido pela pandemia, num "momento crítico" para salvar a época de verão.

Num protesto em Londres junto ao parlamento, centenas de agentes de viagens, pilotos, tripulantes de voo e outros funcionários do setor da aviação reuniram-se para pressionar o executivo a apresentar soluções que protejam os seus postos de trabalho. Entre os pedidos estão que as restrições rigorosas às viagens internacionais sejam aliviadas e o apoio financeiro adaptado às necessidades específicas das indústrias.

18h37 - Senadores brasileiros convocam empresas de tecnologia para explicar conteúdo sobre pandemia

A comissão parlamentar de inquérito (CPI) do Senado brasileiro, que investiga a resposta do Governo na pandemia de covid-19, aprovou hoje a convocação de representantes das empresas de tecnologia Google, Twitter e Facebook para prestar depoimento.

O objetivo da comissão parlamentar é questionar as empresas sobre a manutenção de conteúdo falso ou alegadamente contrário às evidências científicas sobre a pandemia em publicações do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro.

18h21 - UEFA investiga possível infração da Macedónia do Norte nas análises à covid-19

A UEFA abriu uma investigação à seleção de futebol da Macedónia do Norte por possível mau comportamento dos seus jogadores no dia 19, em Amesterdão, durante a recolha de amostras para controlo da covid-19 para o Euro2020.

A Macedónia do Norte, última do Grupo C e já eliminada na fase de grupos do Europeu, enfrenta acusações de mau comportamento e possível incumprimento do protocolo da UEFA relativo às análises da covid-19, e a entidade liderada por Aleksander Ceferin já designou um inspetor de ética e disciplina para conduzir o processo.

18h00 - Grécia anuncia fim do uso obrigatório de máscara no exterior

A Grécia anunciou hoje o fim do uso obrigatório de máscara no exterior a partir de quinta-feira, exceto no caso de grandes aglomerações, seguindo os passos de França, Espanha e Itália.

Com a melhoria da situação epidemiológica, a Grécia vai também suspender o recolher obrigatório a partir de segunda-feira, afirmou o vice-ministro da Proteção Civil, Nikos Hardalias.

“O número de pessoas entubadas e mortes está a diminuir a cada dia. A situação atual é animadora”, garantiu Vana Papaevaggelou, membro do comité científico grego responsável por orientar o governo nas medidas tomadas para conter a pandemia de covid-19.

A entrada na Grécia não está sujeita à apresentação de um teste negativo de PCR há alguns dias e, a partir de agora, a apresentação de um teste antígeno rápido negativo é suficiente.

17h47 - Maiores de 35 anos já podem agendar vacinação

As pessoas com 35 ou mais anos podem, a partir de hoje, agendar a sua vacinação no site da Direção-Geral da Saúde.

17h36 - Reino Unido intensifica vacinação devido à variante Delta

O Reino Unido registou 16.135 novos casos de covid-19 nas últimas 24 horas, um máximo desde 06 de fevereiro, e 19 mortes, de acordo com os dados atualizados do Governo britânico, que intensificou a vacinação devido à variante Delta.

Na terça-feira tinha notificado 27 mortes e 11.625 novos casos.

O aumento significativo de infeções associado à variante Delta levou o Governo a urgir os jovens maiores de 18 anos a agendarem rapidamente a imunização contra a covid-19.

Nos últimos dias, "foram feitas seis marcações por segundo", revelou o ministro responsável pela vacinação, Nadhim Zahawi, numa conferência de imprensa, saudando as imagens de jovens à espera em fila junto a estádios desportivos onde foram instalados grandes centros de vacinação.

Segundo o ministro, quase metade do grupo entre os 25-29 anos e um terço daqueles entre os 18 e 24 anos já receberam a primeira dose.

"Os últimos dados mostram que a vacinação evitou mais de 40.000 mortes e 44.500 hospitalizações" no Reino Unido, vincou. "A nossa missão agora é conseguir proteger o máximo de pessoas possível e o mais rápido possível", afirmou.

Desde dezembro foram inoculadas 43.448.680 pessoas, o que corresponde a 82,5% da população adulta, e 31.740.115 milhões de pessoas, ou 60,3% da população adulta, já receberam também a segunda dose.

17h25 - Médicos alemães desaconselham viagens a destinos com predominância da variante delta

A Associação Médica Alemã (Bundesärtztekammer) desaconselhou hoje viagens até áreas com predominância da variante delta, numa altura em que o país se prepara para reabrir as fronteiras a cidadãos de fora da União Europeia.

Em declarações feitas hoje ao grupo de ‘media’ Funke, o presidente desta associação, Klaus Reinhardt, pediu que “áreas particularmente afetadas pela variante delta” sejam “evitadas”.

Com a diminuição progressiva de novos casos, a Alemanha vai reabrir, na sexta-feira, as fronteiras a todos os provenientes de países de fora da União Europeia.

Mantém-se, ainda assim, a proibição de entrada a quem chegue de “áreas com variantes alvo de preocupação”.

Países como a Índia ou o Reino Unido fazem parte desta lista. Apenas residentes ou cidadãos alemães estão autorizados a entrar, mas com a obrigatoriedade de quarentena de 14 dias, mesmo se apresentado um teste negativo ou comprovativo de vacina tomada.

Klaus Reinhardt concorda que, a médio prazo, a variante delta vai prevalecer, mesmo na Alemanha que contabiliza, nesta altura, 6% a 7% do total de casos.

17h02 - FMI. África enfrenta tragédia humana e calamidade económica

A diretora executiva do Fundo Monetário Internacional (FMI) disse hoje que a covid-19 em África é uma "tragédia humana e uma calamidade económica", defendendo o reforço do apoio para a região com o crescimento mais rápido da pandemia.

"África está agora a enfrentar a mais rápida taxa de crescimento mundial de novos casos de covid-19, com uma trajetória exponencial ainda mais alarmante do que durante a segunda vaga, em janeiro, e segundo a tendência atual, esta vaga vai provavelmente ultrapassar os picos anteriores durante a próxima semana", afirmou Kristalina Georgieva, na sua intervenção nos Encontros Anuais do Banco Africano de Desenvolvimento (BAD).

"É uma tragédia humana e uma calamidade económica", disse a responsável, exemplificando que "vários países no continente, desde a África do Sul ao Uganda ou Ruanda, foram obrigados a reintroduzir restrições, piorando ainda mais uma recuperação já de si precária, num contexto em que África está mal protegida devido a uma severa falta de vacinas, já que só 0,6% da população adulta africana foi completamente vacinada".

Para Georgieva, "os sinais de alarme são claros, e mostram uma pandemia a duas velocidades, que leva a uma recuperação a duas velocidades, com África a ficar para trás em termos de perspetivas de crescimento económico".

O FMI estima uma taxa de crescimento global de 6% este ano, mas apenas 3,2% para o continente africano.

16h00 - Investigador estima subida de casos de covid por mais algum tempo

A incidência nacional está agora claramente na zona vermelha da matriz de risco para a covid.
O investigador do Instituto de Medicina Molecular da Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa, o professor catedrático de bioquímica Miguel Castanho, não se mostra surpreendido pela subida da incidência e dos casos de covid-19 que deverá manter-se durante mais algum tempo.

15h36 - Variante Delta poderá representar 90% dos casos na UE até setembro, alerta ECDC

O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC) alerta que até final de agosto, a variante Delta, detetada pela primeira vez na Índia, poderá ser responsável por 90 por cento dos casos registados na União Europeia.

“É muito provável que a variante Delta circule amplamente durante o verão, particularmente entre os indivíduos mais jovens que não são alvo da vacinação”, alerta Andrea Ammon, diretora do ECDC, citada por The Guardian.

"Dados preliminares mostram que [esta variante] também pode infetar indivíduos que receberam apenas uma dose das vacinas disponíveis”, o que poderá conduzir a uma nova vaga da pandemia, explica a responsável.

“A boa notícia é que ter recebido duas doses de qualquer uma das vacinas disponíveis atualmente oferece uma elevada proteção contra esta variante e as suas consequências”, ressalva a diretora do ECDC, que apela a uma aceleração da vacinação na UE. Segundo Andrea Ammon, cerca de 30 por cento das pessoas com mais de 80 anos e 40 por cento dos maiores de 60 ainda não completaram o esquema de vacinação na UE.

“Ainda há muitas pessoas em risco de infeção grave por Covid-19 que precisamos proteger o mais rápido possível. Até que a maioria dos indivíduos vulneráveis esteja protegida, precisamos de manter a circulação do vírus Delta baixa, aderindo estritamente às medidas de saúde pública, que funcionaram para controlar o impacto de outras variantes”, apelou a responsável.

15h15 - MNE assegura que Portugal cumpriu as regras na entrada de britânicos

O ministro dos Negócios Estrangeiros assegurou hoje que Portugal cumpriu as regras de saúde pública relativamente à entrada de turistas britânicos, depois das críticas de Angela Merkel à descoordenação europeia quanto a viagens na União Europeia.

"O que nós dissemos foi que os viajantes britânicos que vêm para Portugal, apresentando um teste negativo à chegada, podem entrar em Portugal. Não vejo que seja, de alguma maneira, escancarar Portugal aos ingleses sem o cuidado de verificar as suas condições de saúde no que diz respeito à covid-19", disse Augusto Santos Silva na comissão parlamentar de Assuntos Europeus.
"É difícil compreender as posições de alguns governos dos Estados-membros que agora querem propor novos critérios. O que nós fizemos em relação aos britânicos é o que a partir de 01 de julho será mandatório no âmbito da UE", disse ainda o ministro, que respondia a uma pergunta do PCP sobre regras de viagens para os cidadãos da UE.

14h55 - Marta Temido aponta para continuação das restrições em Lisboa

A ministra da Saúde disse hoje que a situação epidemiológica da covid-19 na região de Lisboa e Vale do Tejo deve traduzir-se na continuidade da aplicação das medidas de restrição em vigor.

“Os números neste momento levam a sugerir que a situação de Lisboa ainda não esteja ultrapassada", o que leva a que “as medidas específicas tenham de se manter, como se mantiveram em outros pontos do país quando estavam em situação de risco especial” na evolução epidemiológica, disse Marta Temido em declarações à margem da apresentação do Relatório de Primavera do Observatório Português dos Sistemas de Saúde (OPSS).

“Temos de estar conscientes de que estamos a lidar com um fenómeno cuja evolução ainda se reveste de muitas incertezas. Não é possível garantir que o futuro seja desta ou daquela maneira, o que podemos garantir é que tudo faremos para que isso não seja necessário, mas conhecemos a nossa realidade. Os números continuam a aumentar, ainda não estamos num momento em que estejamos a vê-los decrescer e, portanto, temos de estar atentos”, adiantou a ministra.

14h16 - Aumento da incidência coloca Portugal no vermelho

O boletim revela ainda um aumento da incidência. Portugal tem neste momento 128,6 casos por 100 mil habitantes a nível nacional e 129,6 a nível continental, o que coloca o país na área vermelha da matriz de risco.

A incidência da infeção com o coronavírus SARS-CoV-2 em Portugal continental estava, na segunda-feira, nos 120 casos por 100.000 habitantes, enquanto o valor para a totalidade do território situava-se nos 119,3.

O R(t) desceu ligeiramente para 1,17 a nível nacional e 1,18 a nível continental. Na atualização anterior, o índice de transmissibilidade era de 1,18 e 1,19, respetivamente.

14h03 - Mais 1497 casos e três mortes em Portugal

O último boletim da Direção-Geral da Saúde (DGS) reporta mais 1497 casos de infeção em Portugal e três óbitos. Este é o maior número de infeções registado nos últimos quatro meses.

Os três óbitos foram registados em Lisboa e Vale do Tejo, que regista ainda 964 novos casos, o que corresponde a 64 por cento do total de infeções registadas hoje. A região norte registou 208 novos casos, o Algarve 127, o centro 108 e o Alentejo 59.

Apesar do aumento de infeções, foi registado uma diminuição nos internamentos, com menos 13 doentes em enfermaria e menos um em unidades de cuidados intensivos (UCI). No total, estão internados neste momento 437 doentes, dos quais 100 em UCI.

Há ainda a reportar mais 860 recuperados, para um total de 822.234. Esta quarta-feira, Portugal tem mais 634 casos ativos (29.012 no total) e mais 1760 contactos em vigilância (43.419 no total).

Desde que foi reportado o primeiro caso de Covid-19 em Portugal já foram confirmadas 868.232 infeções pela doença e 17.077 mortes.

14h00 - Variante Delta força recuo no desconfiamento em vários países

É o caso de Israel, que acaba de registar o maior número de casos desde finais de abril. O Governo israelita volta a impor o uso de máscara e pede aos pais para que vacinem as crianças e adolescentes. Austrália e Nova Zelândia também já fizeram marcha atrás em algumas regiões.

13h45 - Meta de vacinação pode atrasar-se duas semanas

Pode atrasar-se quinze dias a meta de ter setenta por cento da população portuguesa com, pelo menos, uma dose da vacina até 8 de agosto. A revelação foi feita pelo coordenador da Task Force ouvido esta manhã, no parlamento.
Gouveia e Melo justifica o eventual atraso com a falta de vacinas. O que não o impediu de anunciar que os maiores de 18 anos podem começar o autoagendamento da vacina no dia 4 de julho.

13h33 - Casos de infeção no mundo superam os 179 milhões

A pandemia do novo coronavírus ultrapassou os 179 milhões de casos de infeção a nível mundial, com o registo de mais de 370 mil novos contágios nas últimas 24 horas, revela hoje o balanço da France-Presse (AFP).

No total, e desde que o novo coronavírus (SARS-CoV-2) foi identificado na China em dezembro de 2019, pelo menos 179.071.540 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em todo o mundo.

A grande maioria dos pacientes recupera da doença covid-19, provocada pelo SARS-CoV-2, mas uma parte destas pessoas ainda relatam sentir alguns sintomas associados durante semanas ou mesmo até meses, segundo a agência noticiosa AFP.

Desde o início da crise sanitária, a covid-19 já provocou pelo menos 3.884.538 vítimas mortais no mundo, de acordo com o mesmo balanço da agência francesa.

Nas últimas 24 horas, registaram-se mais 9.057 óbitos e 370.221 novos casos da doença em todo o mundo, números acima dos valores observados no dia anterior (6.696 mortes e 296.514 novas infeções).

13h20 - Pode estar comprometida dentro de poucos dias a assistência a doentes não Covid na região de Lisboa e Vale do Tejo

A ocupação hospitalar começar a ser uma preocupação. Para tentar travar a escalada da variante Delta, a vacinação deve acelerar em todo o país.


13h13 - Merkel diz que Alemanha poderá dar vacina a toda a populaçáo até 21 de setembro se as entregas foram realizadas como prometido

12h55 - Vacinas da Janssen ficaram pela metade em junho e julho já leva corte de 150.000

Portugal teve acesso em junho a cerca de metade das 300.000 vacinas da Janssen que estavam previstas e este mês o corte será de 150.000 vacinas do mesmo laboratório, anunciou o coordenador do Plano de Vacinação contra a covid.19.

O vice-almirante Gouveia e Melo, que hoje de manhã foi ouvido na Comissão Parlamentar da Saúde, explicou que em junho estava previsto o acesso a 300.000 vacinas da Janssen e só chegaram 146.000 e que este mês estavam previstas 800.000 e serão menos 150.000.

"E isto são coisas que só sabemos a 15, 20 ou 30 dias, no máximo", afirmou.

12h45 - Merkel avisa que a pandemia ainda não acabou e que estamos "em gelo fino"

Casos da variante Delta estão a aumentar na Alemanha.

12h39 - Variante Delta representa 9 a 10 por cento dos novos casos na França

A semana passada representava 2 1 4 por cento dos novos casos.

12h24 - Marta Temido: "As vacinas são seguras, mas não são milagres"

A ministra da Saúde afirmou ao início desta tarde que "as vacinas são seguras, têm qualidade, mas não são milagres. A possibilidade de uma pessoa vacinada contrair uma forma grave da doença é reduzida. Mas há sempre uma margem de risco que as vacinas não evitam completamente".

Marta Temido referiu ainda dois aspetos a ter em conta na proteção. A segunda toma da vacina e os dias que demora a eficácia da vacina.


11h42 - Marta Temido responde a críticas e defende mais valia das reuniões do Infarmed

No início da sessão da apresentação deste relatório, e em resposta às críticas, a Ministra da Saúde realçou a mais valia das reuniões do Infarmed e o investimento de 727 milhões de euros no Serviço Nacional de Saúde.


11h09 - Vacinação acima dos 18 anos começa a 4 de julho

O coordenador da 'task-force' para o Plano de Vacinação contra a Covid-19 apontou hoje a data de 04 de julho para começar a vacinar as pessoas com mais de 18 anos.

"Daqui a 15 dias temos todas faixas etárias em processo vacinação", afirmou o vice-almirante Gouveia e Melo durante uma audição na comissão parlamentar de Saúde.


10h54 - Vacinas da AstraZeneca e Pfizer-BioNTech continuam eficazes contra variantes Delta e Kappa da Covid-19

Informação avançada por estudo da Universidade de Oxford. Eficácia é no entanto bastante superior com as duas doses da vacina.

No entanto, indica o mesmo estudo, a concentração de anticorpos neutralizadores no sangue ficam algo reduzidos, o que pode originar algumas infeções.

10h14 - "Nós estamos a vacinar ao máximo. Temos stocks muito limitados. Arriscamos bastante não criando stocks", diz o Vice-Almirante

10h12 - Meta de agosto para os 70% da população inoculada com pelo menos uma dose pode ser atrasada em duas semanas, admite o vice-almirante Gouveia e Melo, coordenador da task-force da vacinação contra a Covid-19

O responsável atribui esta possibilidade a problemas nas remessas por parte das farmacêuticas.

"Se a redução for muito grave esta meta pode ser posta em causa", admite mesmo.

10h10 - "Estamos agora a vacinar ligeiramente acima das 100 mil vacinas por dia", afirmou o Vice-Almirante Gouveia e Melo, responsável pela Task-Force de vacinação

Disse ainda o Vice-Almirante que se forem aumentados os horários é possivel ir "até às 140 mil vacinas por dia".

09h56 - Alemanha baixa nível de risco de Cabo Verde e permite regresso de turistas vacinados

O Governo alemão baixou a classificação de covid-19 em Cabo Verde, deixando de ser uma área de alta incidência e passando a risco básico, mantendo obrigação de quarentena no regressa à Alemanha, que pode ser levantada com vacinação.

09h41 - Ordem propõe ativar transferência de doentes a partir de 7,5% de ocupação em intensivos

A Ordem dos Médicos propôs hoje que a rede de transferência de doentes internados seja ativada a partir de uma ocupação de 7,5% das camas em cuidados intensivos para evitar prejudicar novamente a atividade não covid.

Em comunicado, o bastonário e o Gabinete de Crise para a covid-19 da Ordem dos Médicos (OM) reiteram a necessidade de reformular as linhas amarelas e vermelhas a nível regional e nacional, propondo, designadamente, limites de 7,5% e 15% da lotação atual de camas em cuidados intensivos a partir dos quais a rede de transferência deve ser ativada.

A OM alerta ainda para a "não implementação de critérios claros, coerentes e uniformes no controlo de fronteiras", em particular nos passageiros provenientes de zonas de risco, e reitera a necessidade de alargar o agendamento para vacinação a toda a população adulta e de serem disponibilizados dados que permitam atualizar a matriz em vigor.

09h39 - Turismo algarvio apreensivo com a evolução da Covid na região e em Portugal

09h17 - Rússia com mais 17,594 novos casos e 548 mortes

09h15 - Autotestes nos eventos não precisam de supervisão por profissional de saúde

Os autotestes rápidos feitos no próprio dia e local onde decorrem os eventos culturais, desportivos ou corporativos onde a testagem à covid é recomendada deixam de ter de ser supervisionados por profissionais de saúde, segundo a Direção-Geral da Saúde.

A atualização da norma relativa à Estratégia Nacional de Testes para SARS-CoV-2, divulgada pela Direção-Geral da Saúde (DGS), indica que estes testes rápidos de antigénio na modalidade de autoteste (colheita nasal) devem ser feitos "sob supervisão de um profissional da entidade ou estabelecimento".

Segundo a DGS, os testes são recomendados em eventos de natureza cultural, desportiva ou corporativa "sempre que o número de participantes/espectadores seja superior a 1.000, em ambiente aberto, ou superior a 500, em ambiente fechado".

A DGS explica ainda que nos eventos de natureza cultural "cuja venda de bilhetes já se encontre iniciada à data da atualização" desta norma, sempre que o número de espetadores corresponda ao indicado "é recomendado que o promotor avalie a possibilidade da realização de rastreios laboratoriais".

A norma define também que os testes à covid-19 passam a ser recomendados em eventos familiares com mais de 10 pessoas, como casamentos e batizados, serviços públicos e empresas.

A autoridade de saúde recomenda igualmente a testagem regular em contexto laboral, nos locais de maior risco de transmissão, como as explorações agrícolas e o setor da construção, a cada 14 dias, uma periodicidade que deve igualmente ser aplicada em serviços públicos e locais de trabalho com 150 ou mais trabalhadores, independentemente do seu vínculo laboral, da modalidade ou da natureza da relação jurídica.

Os resultados positivos nos testes rápidos antigénio devem ser confirmados por testes PCR no prazo de 24 horas, "de forma a garantir a implementação de medidas de Saúde Pública adequadas e proporcionais, assumindo-se o resultado obtido no TAAN (Teste de amplificação de ácidos nucleicos, PCR) como válido", indica a DGS.

08h56 - 30% dos doentes em cuidados intensivos receberam primeira dose da vacina

Nos cuidados intensivos, 30 por cento dos doentes com Covid-19 foram vacinados com a primeira dose da vacina.

Uma informação avançada esta quarta-feira, no Bom Dia Portugal, pelo Presidente da Sociedade Portuguesa de Cuidados Intensivos.


08h49 - Vice-presidente do Brasil faz "mea culpa"

Hamilton Mourão assume que o executivo falhou em esclarecer a população brasileira sobre os riscos da pandemia de Covid-19.


08h28 - Governo timorense renova cercas em Díli e Baucau

O Governo timorense decidiu hoje renovar as cercas sanitárias em vigor nas duas maiores cidades do país, Díli e Baucau, e pedir ao Presidente da República a renovação do estado de emergência no país por mais 30 dias.

08h22 - Medina convencido que Lisboa terá de dar passo atrás no desconfinamento

8h09 - "Vacinar, Rastrear, Sequenciar e Certificar"

O bastonário e o Gabinete de Crise da Ordem dos Médicos reafirmam, em comunicado, "a indispensabilidade de alargar a vacinação a toda a população adulta em regime de autoagendamento e a importância da disponibilização de dados que permitam atualizar a matriz em vigor".

"Simultaneamente, reforça-se a necessidade de reformular as linhas amarelas e vermelhas a nível regional e nacional no que diz respeito, por exemplo, aos internamentos em cuidados intensivos, e alerta-se para a não implementação de critérios claros, coerentes e uniformes no controlo de fronteiras".

8h05 - Variante Delta representa 70% dos novos contágios em Lisboa e Vale do Tejo

Lisboa e Vale do Tejo continua a ser a zona do país com níveis mais preocupantes, quer nos novos casos de infeção, quer nos internamentos. O microbiologista João Paulo Gomes revela que a variante Delta já representa 70% dos novos casos de contágio.
Um valor que pode até ser mais elevado, na região de Lisboa, admite o coordenador do estudo de variabilidade genética do Sars-CoV-2.

8h01 - Delegada de Saúde do Algarve preocupada com aumento de casos

Em entrevista à Antena 1, Ana Cristina Guerreiro revela que a variante Delta está a ganhar terreno no sul do país e que o índice de transmissibilidade já atinge valores muito elevados.
As autoridades de saúde do Algarve justificam esta subida do número de casos com o peso cada vez maior da variante Delta.

A delegada de Saúde diz que, face a esta evolução, várias autarquias da região podem vir a ter de dar um passo atrás no plano de desconfinamento.

Ana Cristina Guerreiro tem hoje encontro marcado com os autarcas da região, em plena época alta do turismo, um sector fundamental para a economia do sul do país.

7h53 - Novas restrições em Wellington

As autoridades neozelandesas reintroduziram restrições a ajuntamentos na capital do país, depois de ter sido apurado que um cidadão australiano infetado visitou vários locais turísticos na cidade.

"Isto não é um confinamento", afirmou o ministro com a pasta da resposta à pandemia, Chris Hipkins, que não deixou de sublinhar que tal cenário poderá repetir-se, caso se detete uma propagação comunitária de casos de Covid-19.

7h48 - Tailândia com novo máximo diário de mortes

A Tailândia reportou o número mais elevado de mortes associadas à Covid-19 em 24 horas desde o início da pandemia: 51, para um total acumulado de 1744.

O país, que se debate agora com uma terceira vaga, reportou também 3174 novas infeções, para um total de 228.539.

Mais de 85 por cento dos totais de casos e óbitos aconteceram após abril deste ano.

7h28 - Técnicos de Emergência queixam-se de atraso no subsídio de risco

O Sindicato dos Técnicos de Emergência Médica Pré-Hospitalar denuncia a falta de pagamento, por parte do INEM, do subsídio de risco da Covid-19 referente a abril, que deveria ter sido pago com o salário processado esta semana.

Ouvida pela Lusa, fonte sindical afirmou que o Instituto Nacional de Emergência Médica "já paga o trabalho suplementar, e consequentemente o subsídio extraordinário de risco covid-19, com dois meses de atraso, ao contrário da maioria dos serviços do Estado", acrescentando que estes técnicos deveriam ter recibo em junho o valor referente ao subsídio dos meses de março e abril. Isto porque o pagamento é bimestral.

"Dirigimos um pedido de esclarecimento ainda na semana passada ao INEM, sem resposta", disse o presidente do sindicato, Rui Lázaro.

7h21 - Governo do Brasil admite falha de comunicação

O vice-presidente brasileiro reconhece que o Governo Federal falhou ao não levar a cabo uma campanha "firme" de esclarecimentos à população sobre a Covid-19, em entrevista difundida ao canal GloboNews.

"Eu vou dizer qual é o nosso maior erro, na minha visão: a questão de comunicação desde o ano passado. De campanhas de esclarecimento à população. Acho que esse foi o grande erro, uma campanha de esclarecimento firme, como tivemos no passado, de outras vacinas, mas uma campanha de esclarecimento da população sobre a realidade da doença, orientações o tempo todo para a população", afirmou Hamilton Mourão, num excerto da entrevista agora divulgado.

7h05 - Ponto de situação

O Observatório Português dos Sistemas de Saúde critica a atuação do Governo no combate à pandemia.

Num relatório agora divulgado, defende que é preciso uma governação mais sensível ao conhecimento e com aconselhamento científico "contínuo, transparente e independente de poderes".

O Observatório critica ainda o modelo das reuniões no Infarmed. Acusa o Executivo de ter feito uma sintese própria e política de contributos individuais dos peritos.

Merkel critica decisões portuguesas
A chanceler alemã disse que a atual situação da pandemia em Portugal talvez pudesse ser ter sido evitada, numa aparente referência à decisão de deixar entrar turistas do Reino Unido, país onde a variante indiana estava já em crescimento.
É um puxão de orelhas de Berlim para Lisboa, com escala em Bruxelas.

Angela Merkel critica a abertura de Portugal ao turismo britânico que, na sua opinião, facilitou a dispersão da variante delta em território europeu.
Bruxelas negoceia compra de nova geração de vacinas
O Executivo comunitário comprou mais 150 milhões de doses da vacina da Moderna contra a Covid-19. A presidente da Comissão Europeia anunciou que Bruxelas está também a garantir contratos para adquirir a nova geração de vacinas.
Trata-se de vacinas atualizadas para garantir eficácia em relação às novas estirpes do vírus SARS-CoV-2.
Vacinação em lares
A vacinação de idosos em lares que tenham estado infetados vai ser antecipada.

Assim, os idosos e funcionários dos lares que estiveram infetados há mais de três meses vão começar já a ser vacinados. O prazo é reduzido para metade em relação ao que estava previsto.

Entre utentes e funcionários dos lares, a Segurança Social identificou cerca de 8600 pessoas que ainda estão por vacinar.

O presidente da União das Misericórdias Portuguesas reforça que já tinha indicado a necessidade de, no caso daqueles que estão em lares, não se aguardar os seis meses após a infeção por SARS-CoV-2 para administrar a vacina.
Surtos em lares
Já morreram três idosos no lar de Mafra que está a ser afetado por um surto de Covid-19. A primeira morte aconteceu no domingo. Ontem foram confirmados mais dois óbitos.

A estes três óbitos de idosos já vacinados, junta-se a morte da idosa do lar de Faro, no domingo.
O presidente da Confederação Nacional das IPSS, Lino Maia, aconselha a suspensão das visitas aos lares que estão em localidades onde há surtos na comunidade.

Apesar dos surtos em lares, com 54 infetados, a ministra da Saúde, Marta Temido, considera que não há necessidade de reduzir as visitas.
Escolas
Neste momento, mais de um terço dos surtos ativos de Covid-19 em Portugal ocorrem em estabelecimentos de ensino.

Dos 306 surtos, 116 surgiram em escolas, universidades, creches e outros estabelecimentos.
Mais de 600 pessoas testaram positivo, entre alunos, profissionais e funcionários.
O quadro em Portugal
Portugal registou mais seis mortes e 1020 casos confirmados de infeção, segundo o mais recente boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde, conhecido ao início da tarde de terça-feira.

Desde o início da pandemia, morreram mais de 17 mil pessoas e foram infetadas mais de 866 mil.

Havia ontem mais sete doentes internados em enfermaria, para um total de 450. Em unidades de cuidados intensivos estavam 101 doentes - mais quatro face à véspera.
O quadro internacional
A pandemia da Covid-19 provocou pelo menos 3.875.359 mortes, resultantes de mais de 178,6 milhões de casos de infeção, de acordo com o balanço em permanente atualização por parte da agência France Presse.

O desconfinamento em Espanha e França está a causar agitação.
Espanha reabriu as discotecas e os bares e França prepara-se para fazer o mesmo. Os dois países começaram o regresso à normalidade depois de meses de restrições.