Drone indiano invade território chinês

| Mundo

A China denunciou esta quinta-feira, em comunicado, o sobrevoo do drone indiano como “uma violação da soberania territorial”
|

Um avião não tripulado de origem indiana “invadiu o espaço aéreo chinês e despenhou-se”. O Governo chinês considera que foi violação de soberania territorial.

A China denunciou esta quinta-feira, em comunicado, o sobrevoo do drone indiano como “uma violação da soberania territorial”.

“Expressamos o nosso forte descontentamento e a nossa oposição”, declararam as autoridades militares chinesas, segundo a agência de notícias Xinhua.

O avião não tripulado (UAV, na sigla em inglês) entrou sem autorização no espaço aéreo da China, acabando por se despenhar pouco depois.

As tropas fronteiriças da China identificaram de imediato o drone, de acordo com Zhang Shuili, vice-diretor do departamento de combate do Estado-Maior da zona de defesa do Oeste, que não avançou com detalhes sobre o tipo de aparelho ou o local exato onde este caiu.

"Cumpriremos a nossa missão e responsabilidade e defenderemos firmemente a soberania nacional e a segurança da China", acrescentou Zhang.
Drone falhou em missão de treino
O Ministério de Defesa da Índia confirmou, entretanto, que o drone - em missão de treino - entrou no espaço aéreo chinês devido a um problema técnico.

Aman Anand, do exército da Índia, afirmou que quando as forças militares do seu país perderam o controlo do avião informaram as autoridades chinesas.

"Por protocolo habitual, o pessoal de segurança fronteiriça indiano alertou os chineses imediatamente para localizar o UAV", lê-se no comunicado do Ministério indiano da Defesa.

A tensão nas fronteiras entre estes dois países já é antiga, mas aumentou desde que em junho a China acusou as forças militares indianas de entrarem no seu território ilegalmente com objetivo de parar as obras de Doklam, uma estrada fronteiriça numa zona disputada pela China e pelo Butão, apoiado pela Índia.

Depois de a China acusar a Índia de “brincar com o fogo”, este incidente pode gerar novos desentendimentos na região disputada.

Desde setembro os dois países entenderam-se quanto à necessidade de empreender um maior esforço de cooperação para manter a “paz e tranquilidade” nas fronteiras.

"A China pede que a Índia pare imediatamente as suas atividades com aeronaves não tripuladas perto da fronteira e que trabalhe em conjunto com a China para manter a paz e a tranquilidade da região fronteiriça", apelou o ministro dos Negócios Estrangeiros da China, Geng Shuang, citado pela Reuters.

Tópicos:

China, avião, conflito, drone, fronteiras, Índia,

A informação mais vista

+ Em Foco

O antigo procurador-geral da República do Brasil revelou à RTP que já recebeu várias ameaças de morte e defendeu uma reforma profunda do sistema político brasileiro.

Quando Ana Paula Vitorino indicou Lídia Sequeira, a economista ainda era gerente da sua empresa, o que viola a lei em matéria de incompatibilidades e o dever de imparcialidade.

Em seis anos, as investigações sucederam-se, sem poupar ninguém, da política ao futebol e à banca, seguindo a bandeira da ainda procuradora geral, o combate à corrupção.

    O Conselho Europeu informal de Salzburgo tem em cima da mesa dossiers sensíveis, com a imigração e o Brexit no topo da agenda. A RTP preparou um conjunto de reportagens especiais sobre esta cimeira.